Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DAG - Departamento de Agricultura >
DAG - Programa de Pós-graduação >
DAG - Agronomia/Fitotecnia - Doutorado (Teses) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1045

Título: Crescimento e produção de constituintes voláteis de Ocimum basilicum e Mentha arvensis por cultura de tecidos
Autor(es): Monfort, Lucila Elizabeth Fragoso
Orientador: Pinto, José Eduardo Brasil Pereira
Membro da banca: Corrêa, Ricardo Monteiro
Bertolucci, Suzan Kelly Vilela
Carvalho, Elisangela Elena Nunes
Gonçalves, Adenilson Henrique
Área de concentração: Produção Vegetal
Assunto: Hortelã japonesa
Planta medicinal
Metabólito especial
Micropropagação
Manjericão
Medicinal plant
Special metabolite
Micropropagation
Lamiaceae
Data de Defesa: 29-Jun-2013
Data de publicação: 2013
Agência de Fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: MONFORT, L. E. F. Crescimento e produção de constituintes voláteis de Ocimum basilicum e Mentha arvensis por cultura de tecidos. 2013. 131 p. Tese (Doutorado em Produção Vegetal)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2013.
Resumo: O objetivo do trabalho foi identificar as condições mais adequadas de cultivo in vitro que possibilitem melhor crescimento da plântula e produção de constituintes voláteis nas folhas de Ocimum basilicum e Mentha arvensis. Seis experimentos com ambas as espécies foram realizados: diferentes meios de cultura; diferentes concentrações do meio MS; diferentes segmentos e orientação do explante; diferentes reguladores de crescimento; estádio de desenvolvimento do explante e comparação da fração volátil entre a planta matriz, aclimatizada e cultivada in vitro. Para O. basilicum o meio MS na concentração normal de sais proporcionou melhor crescimento in vitro. O segmento nodal inoculado na orientação horizontal incrementou o crescimento das plântulas. Para esses experimentos, o estragol foi o constituinte mais abundante nas folhas in vitro. O uso de auxinas isoladas possibilitou o maior crescimento da plântula in vitro, sendo o ANA responsável pelo maior aumento dos teores de linalol. Houve um comportamento crescente dos parâmetros de crescimento no decorrer de 100 dias, porém plântulas de O. basilicum devem permanecer por até 2 meses num mesmo meio de cultura. Após a aclimatização ocorreu acúmulo de linalol em plantas de O. basilicum. Para a M. arvensis os diferentes meios proporcionaram o crescimento de plântulas in vitro. Menores concentrações de sais induziram melhor crescimento das plântulas cultivadas in vitro. O segmento nodal inoculado na orientação horizontal proporcionou um melhor crescimento dos explantes. Os diferentes reguladores testados influenciaram no crescimento e na composição química da fração volátil das plântulas. Para as variáveis analisadas houve um comportamento crescente dos valores no decorrer de 100 dias e as plântulas não apresentaram sinais de deficiência nutricional. Altos teores de pulegona foram observados em todos os experimentos, porém maior tempo de cultivo eleva os teores de mentol. Plântulas in vitro de M. arvensis tendem a acumular pulegona, mas após a aclimatização, a planta acumula teores de mentol elevados próximos ao da planta matriz.
Abstract: The aim of this research was to study in vitro culture conditions for plantlet growth and volatile constituent production in the leaves of Ocimum basilicum and Mentha arvensis. Six experiments with both species were investigated: different culture media, different MS salt concentration; different segments and explant orientation; different growth regulators; developmental stage of the explant and comparison of the volatile fraction among mother plant, acclimatized and plantlet. Ocimum basilicum showed better growth in MS normal salt concentration. And, the nodal segments inoculated in horizontal orientation increased plantlet growth. The estragole was the most abundant constituent in the leaves in vitro. Medium supplemented with auxin promoted the highest plantlet growth and ANA was responsible for the largest increase in linalool in leaf. In growth parameters there was an increase during 100 days of culture. However, plantlet of O. basilicum should remain for up to 2 months in the same culture medium. After acclimatization occurred linalool accumulation in plants of O. basilicum. Mentha arvensis the different media provided plantlet growth in vitro. Lower MS salts concentrations enhancement plantlet growth. The nodal segments cultured in horizontal position showed better explant growth. And, different growth regulators influenced growth and chemical composition of the volatile fraction in plantlet. There was an increase in parameters analyzed during 100 days of culture and plantlet did no showed signs of nutritional deficiency. High levels of pulegone were observed in all experiments, but older culture the levels of menthol increase. In vitro leaves of M. arvensis tend to accumulate pulegone, but after acclimatization, the plant accumulates high levels of menthol close to the mother plant.
Informações adicionais: Tese apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitotecnia, área de concentração em Produção Vegetal, para a obtenção do título de Doutor.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1045
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DAG - Agronomia/Fitotecnia - Doutorado (Teses)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
TESE_Crescimento e produção de constituintes voláteis....pdf1,17 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback