Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
BU - Biblioteca Universitária >
BU - Trabalhos apresentados em eventos >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/10471

Título: Formulação e implementação da política do Repositório Institucional da Universidade Federal de Lavras (UFLA)
Autor(es): Medeiros, Simone Assis
Ferreira, Patrícia Aparecida
Ribeiro, Nivaldo Calixto
Assunto: Repositórios institucional
Implementação de políticas
Data de publicação: 2-Out-2015
Referência: MEDEIROS, S. A.; FERREIRA, P. A.; RIBEIRO, N. C. Formulação e implementação da política do Repositório Institucional da Universidade Federal de Lavras (UFLA). In: CONFERÊNCIA LUSO-BRASILEIRA DE ACESSO ABERTO, 6., 2015, Salvador. Anais... Salvador: UFBA, 2015.
Resumo: Objetivo: Compreender a percepção dos atores envolvidos com a Política Institucional de Informação e do Repositório Institucional da UFLA (RIUFLA). Introdução: Atualmente, o IBICT vem atuando na promoção da popularização da informação científica e tecnológica no Brasil, com projetos voltados para o movimento do acesso livre ao conhecimento. Na perspectiva de promover o desenvolvimento de recursos e a infraestrutura de informação em ciência e tecnologia para a produção, a socialização e a integração do conhecimento científico-tecnológico, o IBICT, em parceria com a FINEP, lançou o edital de chamada FINEP/PCAL/XBDB, no intuito de apoiar projetos de implantação de RI nas instituições públicas de ensino e pesquisa (federais, estaduais e municipais), de modo a possibilitar o registro e proporcionar maior visibilidade e disseminação da produção científica dessas instituições. Nesse contexto, a UFLA identificou, em 2012, uma oportunidade para participar dessa política desenvolvida pelo IBICT. A UFLA, como instituição centenária de ensino, pesquisa e extensão, sempre foi grande produtora de conhecimento científico, porém carecia de formas de divulgação mais aprimoradas dessa produção para a comunidade acadêmica, bem como para a sociedade, implantando o RIUFLA. No intuito de ampliar o estudo sobre o RIUFLA, procurou-se compreender a opinião de três atores que estiveram envolvidos com o processo de implementação: o reitor, o chefe do departamento do projeto piloto e o diretor da biblioteca, setor onde é gerenciado. Foram realizadas entrevistas em profundidade com esses atores, cujos relatos subsidiaram a construção das seguintes categorias que corroboraram com a avaliação do processo de implementação do RIUFLA: movimento de acesso livre à produção científica, visibilidade, implantação do repositório, benefícios, barreiras e obrigatoriedade do depósito. Metodologia: Pesquisa descritiva, adotando o método estudo de caso e a coleta de dados foi por meio de entrevistas em profundidade e análise de conteúdo. Resultados: Com relação a análise das categorias pelos entrevistados, observou-se que todos afirmaram que têm conhecimento do movimento do acesso livre à produção científica, mesmo que de forma superficial ou adquirido recentemente com a implantação do RI na UFLA. Buscou-se saber dos entrevistados se a implantação do RI trará visibilidade para a produção científica e visibilidade da instituição, tanto nos Ranking Webometrics, quanto no processo de internacionalização. Todos os entrevistados foram unânimes em declarar que esta implantação promoverá a visibilidade da UFLA e da sua produção científica e salientaram que o RI medirá o acesso as publicações da universidade e garantirá uma melhor classificação da universidade no Ranking Web. Procurou saber, ainda, se, na opinião dos entrevistados, o projeto de implantação do RIUFLA contribuirá para o projeto de internacionalização da universidade. Todos os entrevistados foram afirmativos na questão da internacionalização. Por outro lado, um dos entrevistados ponderou que a língua pode se tornar uma barreira para o projeto de internacionalização, no entanto, já existe um trabalho para sanar esse problema, o qual incentiva a produção de artigos na língua inglesa. Quanto ao processo de implementação do RIUFLA identificou-se como os entrevistados estão vendo a implantação dessa política de informação na UFLA. Os entrevistados veem a implantação da política na UFLA como um processo coerente, entretanto, a principal dificuldade concentra-se nas incertezas e resistências por parte dos pesquisadores. Nesta análise, observa-se que os três entrevistados, apesar de serem favoráveis ao projeto, sabem que em alguns momentos o RI encontrará obstáculos. Em suas concepções, essas dificuldades são originárias do desconhecimento do que é o RIUFLA, ainda em fase de implantação. Segundo Costa e Leite (2009), a plena adoção de RIs em universidades e institutos de pesquisa traz consigo benefícios em todos os níveis. Procurou-se identificar quais seriam as vantagens da implantação do RI para a universidade e para seus pesquisadores. Os três entrevistados destacaram o aumento da visibilidade da produção científica institucional, o armazenamento da produção, a interoperabilidade e a preservação de dados, o intercâmbio de informação e a melhoria da qualidade dos trabalhos científicos, além de dar satisfação à sociedade dos investimentos gastos em pesquisa. Buscou-se saber se os atores percebem alguma barreira na implantação e quais seriam, buscando antecipar soluções. Pelos resultados, todos os entrevistados concordaram que o projeto encontrará, sim, barreiras. Entretanto, a percepção desses atores é diferente, devido às posições que assumem no contexto da instituição. Um traz a visão de gerenciamento do RI; o outro, como ator que está no locus da implementação de uma unidade que é o projeto piloto e, por último, o olhar do ator sob a perspectiva da política institucional da universidade. As possíveis barreiras descritas são quanto ao desconhecimento das políticas de informação e de repositórios, por parte dos pesquisadores e questões referentes a direitos autorais. As políticas de depósito obrigatório, são diretamente responsáveis pelas altas taxas de povoamento de RIs. Assim, buscou-se identificar a percepção dos entrevistados com relação à obrigatoriedade de depósito em repositórios. Quanto a esta questão, um dos entrevistados reconhece a obrigatoriedade como essencial, mas salienta que isso seria possível somente por algum tipo de controle. Os outros dois declararam que são totalmente favoráveis, pois o depósito das pesquisas financiadas com recursos públicos deveria estar obrigatoriamente visível para a sociedade. Conclusão: A realização das entrevistas com três atores envolvidos com o RIUFLA foi de suma importância para avaliar as primeiras iniciativas de implementação dessa política na instituição. Os entrevistados declararam que compreendem o objetivo do repositório como um mecanismo que propicia visibilidade à instituição, difundindo a produção científica e tecnológica aos vários segmentos da sociedade, além de ampliar benefícios, tanto para os pesquisadores quanto para a universidade, no tocante à valorização do profissional e da própria instituição frente ao mercado no qual estão inseridos. Enfim, o RI é algo legitimado pelos seus propósitos de ampliar a informação em pesquisa, ciência e tecnologia. Dentre as principais limitações, quanto à percepção dos entrevistados na UFLA definiram a questão da obrigatoriedade do depósito. Embora a obrigatoriedade do depósito seja uma questão que ainda apresenta diferentes conotações para a comunidade acadêmica, entende-se que ela representa um elemento coercitivo fundamental para a sustentabilidade do RI como instrumento de política de acesso livre.
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: BU - Trabalhos apresentados em eventos

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
EVENTO - Formulação e implementação da política do RIUFLA.pdf143,53 kBAdobe PDFVer/abrir

Este item está licenciado com Licença Creative Commons
Creative Commons

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback