Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DFP - Departamento de Fitopatologia >
DFP - Programa de Pós-graduação >
DFP - Agronomia/Fitopatologia - Doutorado (Teses) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1053

Title: Transmissão e desempenho de sementes de milho portadoras do complexo Stenocarpella sob condições controladas
???metadata.dc.creator???: Siqueira, Carolina da Silva
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Machado, José da Cruz
???metadata.dc.contributor.referee1???: Moraes, Maria Heloísa Duarte de
Oliveira, João Almir
Figueira, Antônia dos Reis
Alves, Eduardo
???metadata.dc.description.concentration???: Fitopatologia
Keywords: Stenocarpella maydis
Stenocarpella macrospora
Fungo
Patologia de semente
Fitopatologia
Fungus
Seed pathology
Phytopathology
???metadata.dc.date.submitted???: 2-Aug-2013
Issue Date: 2013
???metadata.dc.description.sponsorship???: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Citation: SIQUEIRA, C. da S. Transmissão e desempenho de sementes de milho portadoras do complexo Stenocarpella sob condições controladas. 2013. 131 p. Tese (Doutorado em Fitopatologia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2013.
???metadata.dc.description.resumo???: Stenocarpella maydis e Stenocarpella macrospora são espécies causadoras da podridão do colmo e da espiga e de manchas foliares em milho e que podem ser transmitidas pelas sementes deste cereal. Este trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar as relações de S. maydis e S. macrospora com sementes de milho, com foco na transmissão destes organismos, de sementes para a planta e nos efeitos resultantes dessa interação, levando-se em consideração alguns importantes fatores que podem interferir nesta relação. Para a determinação da taxa de transmissão e a avaliação dos efeitos dos patógenos no desempenho das sementes/plântulas de milho, foram utilizados dois isolados de cada espécie de Stenocarpella, sendo a inoculação realizada pelo método de condicionamento osmótico em sementes de duas cultivares de milho, uma suscetível (C1-RB9308YG) e outra moderadamente resistente (C2-RB9108). Foram obtidos diferentes potenciais de inóculo, por meio da variação dos tempos de contato das sementes com as colônias dos fungos, sendo estabelecidos, neste caso, os períodos de 24 (P1), 48 (P2), 72 (P3) e 96 (P4) horas. Os experimentos foram desenvolvidos em câmaras de crescimento vegetal com temperaturas de 20 °C e 25 °C, sendo os efeitos avaliados diariamente. A taxa de transmissão total de cada patógeno foi calculada pelo somatório da taxa de morte em pré-emergência e as taxas de transmissão com infecção sintomática e assintomática. Para S. maydis a transmissão ocorreu em todos os potenciais de inóculo, a taxa total variando entre 25% para sementes da cultivar C2 com potencial P1 em cultivo a 20 °C e 93% para esta mesma cultivar com P3 a 25 °C. As taxas de transmissão total de S. macrospora, da semente para planta, foram diretamente proporcionais ao aumento dos potenciais de inóculo, sendo de 84% a maior taxa que ocorreu na cultivar C1 no maior potencial de inóculo (P4), com cultivo a 20 °C e a menor taxa de 6,75% em sementes da cultivar C2 com P1 e cultivo a 20 °C. Em relação aos efeitos fisiológicos, avaliaram-se a germinação e o vigor (índice de velocidade de emergência ou IVE), o estande inicial e final, a altura e o peso de matéria fresca e seca das plantas, o teste de frio e a condutividade elétrica e, também, o teste de sanidade, nas sementes inoculadas nos mesmos potenciais de inóculo utilizados para avaliar as taxas de transmissão dos patógenos. Observou-se que, para as duas espécies de Stenocarpella, quanto maior o potencial de inóculo inicial nas sementes, maiores foram os efeitos negativos na qualidade das sementes inoculadas e nas plantas oriundas delas. Nas plantas provenientes de sementes com potencial P4 ocorreram os mais baixos valores de IVE, estandes, pesos e alturas de plantas. Pelos testes de qualidade das sementes, observou-se que quanto maior os potenciais de inóculo, menores foram as porcentagens de plântulas normais, tanto no teste de germinação como no teste de frio, ocorrendo nestes potenciais os maiores percentuais de incidências dos patógenos nas sementes. Também nessas sementes infectadas verificou-se avançado processo de degradação pelas análises de condutividade elétrica. Para os estudos utilizando os marcadores genéticos que expressam green fluorescent protein (GFP) e red fluorescent protein (DsRed), isolados de S. maydis e de S. macrospora foram transformados com sucesso, por meio da utilização de seus respectivos protoplastos e plasmídeos selecionados. Nas sementes infectadas artificialmente, pelos isolados transformados de ambas as espécies, foram observados diferentes padrões de colonização de acordo com as intensidades de fluorescência reveladas por análises em microscopia de fluorescência. Os potenciais de inóculo P3 e P4, nas sementes infectadas, foram os que provocaram as maiores intensidades de fluorescência pelas colonizações dos patógenos. Por meio da microscopia eletrônica de varredura, as análises realizadas foram eficazes para observar a dinâmica da colonização de S. maydis e S. macrospora nos tecidos das sementes inoculadas, em todos os potenciais de inóculo. Nos potenciais mais elevados (P3 e P4), visualizou-se crescimento micelial abundante e abrangente nas estruturas das sementes analisadas.
Abstract: Stenocarpella maydis and Stenocarpella macrospora are species causing stem/ear rot and leaf spots in corn and can be transmitted by seeds of this cereals. The objectives in this study were to evaluate the relationship of S. maydis and S. macrospora with maize seeds with a focus on transmission of these organisms, from seeds to plants, and the resulting effects of this interaction taking into account some important factors that may affect this relation. To determine the rate of transmission and to evaluate the effects of the pathogens on the performance of seeds/seedlings of corn, two isolates of each species of Stenocarpella were used. Inoculation was performed by the osmotic conditioning method using two cultivars of maize, one susceptible (C1-RB9308YG) and the other moderately resistant (C2-RB9108). Different inoculum potentials were obtained by varying the time of contact between seeds and fungal colonies, establishing the periods of 24 (P1), 48 (P2), 72 (P3) and 96 (P4) hours. The experiments were conducted in growth chamber with temperatures of 20 °C and 25 °C, the effects being evaluated daily. The total transmission rate of each pathogen was calculated by the sum of the death pre-emergence rate and transmission rate with symptomatic and asymptomatic infection. Transmission of S. maydis occurred at all inoculum potentials, the total rate ranging from 25% for C2 with P1 potential at 20 °C and 93% for C2 with P3 at 25 °C. The total transmission rates of S. macrospora, from the seed to plant, were directly proportional to the increase of the inoculum potentials, the highest rate 84% occurred in the cultivar C1 at the highest potential inoculum (P4), with cultivation at 20 °C and the lowest rate of 6.75% in the C2 with P1 and cultivation at 20 °C. Regarding the physiological effects the germination and vigor index (Emergency Speed Index- ESI), initial and final stands, height and fresh and dry weights of plants, cold test and electrical conductivity, and in addition to the health test, in inoculated seeds with the same inoculum potential used to assess the rates of transmission of pathogens were applied. It was observed that for both species of Stenocarpella, higher initial inoculum potentials in the seeds provoked bigger damages on the quality of seeds and in the resulting plants. In plants emerged from seeds with the highest potential (P4) it was observed the lowest values of ESI, stands, weights and heights of plants. By the quality seed test, it was also observed that the higher the inoculum potential caused the lower percentages of normal seedlings, both germination and cold test. At these potentials higher percentages of incidences of the pathogens in seeds were observed. In those infected seeds it was verified the occurrence of an enhancement effect of membrane degradation as indicated by the electrical conductivity analyzes. For studies using genetic markers that express green fluorescent protein (GFP) and red fluorescent protein (DsRed), isolates of both S. maydis and S. macrospora have been successfully transformed by the use of their respective protoplasts and selected plasmids. In the artificially infected seeds by the transformed isolates of both species, it was observed different colonization patterns in accordance with the intensities of fluorescence revealed by fluorescence microscopy analyzes. The inoculum potentials P3 and P4, in the infected seeds, were the ones that produced the highest levels of emitted fluorescence in the colonization by the pathogens. By scanning electron microscopy, the analyzes were effective to demonstrate the dynamics of colonization of S. maydis and S. macrospora in the tissues of inoculated maize seeds at all inoculum potentials. In the higher inoculum potentials (P3 and P4) abundant and comprehensive mycelial growth in the structures of seeds were observed.
Description: Tese apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Agronomia, área de concentração em Fitopatologia, para a obtenção do título de Doutor.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1053
Publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
???metadata.dc.language???: pt_BR
Appears in Collections:DFP - Agronomia/Fitopatologia - Doutorado (Teses)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
TESE_Transmissão e desempenho de sementes de milho....pdf3.46 MBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.


View Statistics

 


DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback