Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DCF - Departamento de Ciências Florestais >
DCF - Programa de Pós-graduação >
DCF - Ciência e Tecnologia da Madeira - Mestrado (Dissertações) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/10674

Title: Restauração da mata atlântica no vale do Rio Paraíba do Sul, RJ: buscando estratégias sustentáveis
???metadata.dc.creator???: Siqueira, Flávia Freire de
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Berg, Eduardo van den
???metadata.dc.contributor.advisor2???: Teodoro, Grazielle Sales
???metadata.dc.contributor.referee1???: Pereira, Israel Marinho
???metadata.dc.contributor.referee2???: Chazdon, Robin Lee
???metadata.dc.contributor.referee3???: Santos, Rubens Manoel dos
Keywords: Restauração florestal
Regeneração
Ecossistemas de referência
Sucessão ecológica
Forest restoration
Regeneration
Reference ecosystems
Ecologic succession
???metadata.dc.date.submitted???: 26-Feb-2015
Issue Date: 9-Dec-2015
Citation: SIQUEIRA, F. F. de. Restauração da mata atlântica no vale do Rio Paraíba do Sul, RJ: buscando estratégias sustentáveis. 2015. 105 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2015.
???metadata.dc.description.resumo???: As técnicas de restauração florestal vêm sendo aprimoradas buscando conduzir a área restaurada a um estado próximo à condição original, recuperando a integridade biológica do sistema. Poucas áreas restauradas possuem uma avaliação do seu sucesso em relação aos Fragmentos Florestais de Referência (FR) e, muitas vezes, quando há insucesso, os resultados não são divulgados ou publicados. Algumas dessas técnicas foram usadas pela empresa FURNAS na região denominada Vale do Paraíba inserida na Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul, no domínio da Mata Atlântica, sudeste do Brasil. Essa empresa apresentou interesse de avaliar o sucesso de seus projetos de restauração no entorno da Usina Hidrelétrica do Funil (UHE - Funil), buscando aprimorar suas estratégias de restauração. Para essa avaliação foi estabelecida uma parceria com a Universidade Federal de Lavras. Diante disso surgiu esta pesquisa com o objetivo de avaliar se quatro áreas de restauração estão alcançando os padrões de referência encontrados nos Fragmentos de Florestas Estacionais Semideciduais (FES). Características da comunidade vegetal e das parcelas foram mensuradas em 10 áreas, sendo quatro plantios de restauração IB (14 anos), CG (15 anos), CB (17 anos) e FUR (20 anos) e seis RF de FES em diferentes estágios sucessionais INI (10 a 16 anos), INT (30 a 40 anos) e AVA (mais de 60 anos), sendo dois fragmentos por estágio. Foram mensuradas variáveis ambientais da comunidade vegetal e das parcelas. Sendo elas: composição florística e estrutural da comunidade, grupos ecológicos, síndrome de dispersão, abundância de lianas, abundância de espécies exóticas, presença de regeneração, características edáficas, microclimáticas, características da paisagem, cobertura da superfície do solo, declividade e abertura do dossel. Os plantios apresentaram menor riqueza, menor porcentagem de indivíduos pioneiros e zoocóricos e maior abertura de dossel, quando comparados aos FR. Os plantios tiveram riqueza de espécies significativamente menores que os FR e diferiram fortemente dos mesmos em termos de composição de espécies. O microclima, fertilidade do solo e a cobertura da superfície do solo foram similares entre os plantios e o FR. Houve uma alta porcentagem de indivíduos exóticos nos plantios e pouca colonização de indivíduos após a implantação dos projetos de restauração. Os quatros plantios foram semelhantes em termos de riqueza e número de regenerantes. A porcentagem de indivíduos zoocóricos influenciou positivamente e a declividade negativamente na abundânciae regeneração nas parcelas. O plantio mais antigo (FUR) é o que mais se diferenciou dos FR nos vários parâmetros avaliados. O plantio CB foi o mais similar, sendo o único que obteve tratos culturais diferenciados tais como replantio, controle de invasoras e maior fertilização. Além disso, neste plantio foi utilizada menor porcentagem de indivíduos pioneiros e exóticos. Os resultados obtidos evidenciam que os plantios de restauração não aparentam estar progredindo em um processo natural e autossustentável de sucessão rumo aos parâmetros observados nos FR. Os resultados evidenciam a necessidade de mudanças nas estratégias adotadas, favorecendo o plantio de espécies nativas, de diferentes grupos sucessionais e também elevada proporção de espécies zoocóricas. Além disso, tratos culturais podem favorecer um melhor desenvolvimento dos plantios.
Abstract: Techniques of forest restoration have been improved in orderto lead the restored area to a state close to the initial condition, recovering the biological integrity of the system. A few studied areas had an evaluation of their success compared to reference forest areas and, in most cases, whether successful, results are non-published. Such techniques have been used by Furnas Company in the region named Vale do Paraíba within Rio Paraíba do Sul watershed, in an area of Atlantic Forest, southeastern Brazil. The company showed interest to evaluate the success of restoration projects surrounding Usina Hidrelétrica do Funil (UHE – Funil), aiming the improvement of restoration strategies. For this evaluation, it was established a partnership with Universidade Federal de Lavras (University of Lavras). Therefore, the present research arose, aimed to evaluate whether four restoration areas are achieving reference standards found in semideciduous seasonal forest fragments. The characteristics of the plant community as well as plots were measured in ten areas, four restoration plantings IB (14 years), CG (15 years), and FUR (20 years), and six reference areas of semideciduous seasonal forest in different successional stages INI (10 to 16 years), INT (30 to 40 years), and ADV (over 60 years), two fragments per stage. Environmental variables of plant community and plots were measured, i.e., floristic and structural composition of the community, environmental groups, dispersion syndrome, liana abundance, exotic species abundance, regeneration presence, edaphic, microclimate, and landscape characteristics, soil surface covering, slope and canopy openness. Plantings presented decreased richness, lesser percentage of pioneer and zoochoric individuals, as well as greater canopy covering when compared to reference areas. Plantings had significant lower richness in comparison to reference areas, also strongly differing regarding species composition. Microclimate, soil fertility, and soil surface covering were similar between plantings and reference areas. There was a high percentage of exotic individuals in plantings and a small colonization of individuals after implementing restoration projects. The four plantings were similar regarding richness and number of saplings. The percentage of zoochoric individuals influenced positively and the slope influenced negatively the abundance of plots. The oldest planting (FUR) differed to the most from the forest areas in several parameters evaluated. CB planting was the most similar, and it obtained different cultivation treatment such as replanting, weed control, and larger fertilization. Besides, a smaller percentage of pioneer and exotic individuals were used in this planting. Results showed that restoration plantings do not seem to be prospering in a natural and self-sustainable successional process towards the parameters observed in forest areas. Results also showed that there is the need to change the strategies adopted, favoring the planting of native species from different successional groups as well as a higher number of zoochoric species. In addition, cultivation treatment may favor a better development of plantings.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/10674
Publisher: Universidade Federal de Lavras
???metadata.dc.language???: por
Appears in Collections:DCF - Ciência e Tecnologia da Madeira - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
DISSERTAÇÃO_Restauração da mata atlântica no vale do Rio Paraíba do Sul, RJ.pdf1.22 MBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.


View Statistics

 


DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback