Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DAG - Departamento de Agricultura >
DAG - Programa de Pós-graduação >
DAG - Agronomia/Fitotecnia - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1069

Título: Tolerância ao florescimento precoce e à termoinibição em genótipos de alface
Autor(es): Rezende, Marcelo Teixeira
Orientador: Gomes, Luiz Antônio Augusto
Membro da banca: Silva, Ernani Clarete da
Guimarães, Renato Mendes
Área de concentração: Produção Vegetal
Assunto: Lactuca sativa L.
Alface - Variabilidade
Alface - Dormência
Alface - Calor
Alface - Germinação
Data de Defesa: 28-Jan-2013
Data de publicação: 2013
Agência de Fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes)
Referência: REZENDE, M. T. Tolerância ao florescimento precoce e à termoinibição em genótipos de alface. 2013. 51 p. Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2013.
Resumo: Alface é a hortaliça folhosa mais consumida no mundo, sendo utilizada na alimentação humana como fonte de vitaminas e minerais. Em regiões de clima quente o cultivo de alface pode ser inviabilizado devido ao pendoamento precoce. Além disso, sementes dessa espécie normalmente não apresentam germinação satisfatória em temperaturas elevadas. Neste trabalho avaliaram-se 16 cultivares de alface, juntamente com a cultivar termotolerante Everglades, quanto à tolerância ao florescimento precoce e à termoinibição, com vistas à identificação de genótipos promissores para utilização em programas de melhoramento de alface para regiões com temperaturas mais elevadas. Foram obtidas sementes em plantas cultivadas na época primavera/verão 2010 das cultivares Babá de Verão, Colorado, Elisa, Everglades, Floresta, Grand Rapids, Hortência, Laurel, Lídia, Luisa, Mariane, Raider Plus, Regina 71, Regina 2000, Salinas 88, Verônica e Yuri. O plantio foi feito em cultivo protegido no delineamento experimental de blocos casualizados com três repetições e seis plantas por parcela, sendo avaliado o número de dias após a semeadura para ocorrência da primeira antese de cada planta. As sementes provenientes de cada cultivar foram colhidas, secas e tratadas, sendo parte utilizada para avaliação imediatamente após a colheita e parte utilizada para outro experimento realizado seis meses após a colheita. Nesses experimentos avaliaram-se a germinação e o índice de velocidade de germinação (IVG) de cada cultivar em quatro temperaturas: 20, 25, 30 e 35oC sob um delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial. O índice de velocidade de emergência (IVE) também foi avaliado, utilizando-se os padrões da RAS. Tanto no experimento pós-colheita, quanto no experimento que foi realizado seis meses após a colheita a cultivar Everglades foi a única que apresentou boa germinação em temperatura superior a 30oC, confirmando sua tolerância à termoinibição. A ocorrência de dormência primária pode ser evidenciada pela baixa germinação de algumas cultivares mesmo aos 20°C. Aos seis meses após a colheita a cultivar Luisa foi estatísticamente igual a Everglades aos 35°C, mas não apresentou germinação com padrão comercial. Não se evidenciou relação alta entre pendoamento precoce e germinação de sementes em temperaturas elevadas. Everglades é um material promissor para ser usado em programas de melhoramento para tolerância à termoinibição.
Lettuce is a leafy vegetable most consumed in the world, being used in alimentation as a source of vitamins and minerals. In warm climates growing lettuce can be made impossible due to the early flowering. Moreover, seeds typically do not exhibit satisfactorily germination at elevated temperatures. In this study we evaluated 16 cultivars of lettuce, together with thermotolerant cultivar Everglades, with a view to identifying promising genotypes for use in breeding programs of lettuce to regions with higher temperatures. Seeds were obtained in plants cultured during spring/summer. The planting was done in greenhouse in a randomized complete block design with three replications and six plants per plot, and evaluated the number of days to the first anthesis of each plant. The seeds from each cultivar were harvested, dried and treated, being part used for evaluation immediately after harvest and part used for another experiment realized six months after. In these experiments we evaluated the germination and germination speed index (GSI) of each cultivar at four temperatures: 20, 25, 30 and 35°C under a completely randomized in a factorial design. The emergence speed index (EVI) was also assessed, using the standards of the RAS. Both experiment in post-harvest, as was made in six months after harvest. Everglades was the only cultivar that showed satisfactory germination temperature above 30°C. The occurrence of primary dormancy may be evidenced by the low germination of some cultivars even at 20 ° C. At six months after harvest to cultivate Luisa was statistically equal to Everglades to 35 ° C, but not with standard commercial germinates. No relationship was evident between early flowering and germination at high temperatures. Everglades is a promising material for breeding to feature thermoinhibition.
Informações adicionais: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitotecnia, área de concentração em Produção Vegetal, para a obtenção do título de Mestre.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1069
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DAG - Agronomia/Fitotecnia - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_Tolerância ao florescimento precoce e à termoinibição em genótipos de alface.pdf1,17 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback