Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DCF - Departamento de Ciências Florestais >
DCF - Programa de Pós-graduação >
DCF - Ciência e Tecnologia da Madeira - Doutorado (Teses) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/10841

Título: Tratamento do resíduo da depuração (UKP) da indústria de celulose para produção de chapas minerais
Título Alternativo: Treatment of cleansing waste from cellulose industry for mineral boards production
Autor(es): César, Antônia Amanda da Silva
Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4207787A6
Orientador: Mendes, Lourival Marin
Coorientador: Martins, Maria Alice
Coorientador: Mori, Fábio Akira
Membro da banca: Abreu, Luciana Barbosa de
Membro da banca: Guimarães Júnior, José Benedito
Membro da banca: Mori, Fábio Akira
Membro da banca: Rabelo, Giovanni Francisco
Assunto: Painel particulado
Polpação
Polpa de celulose
Refino
Tratamento químico
Particleboard
Pulping
Pulp
Refining
Chemical treatment
Data de Defesa: 7-Ago-2015
Data de publicação: 22-Fev-2016
Agência de Fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: CÉSAR, A. A. da S. Tratamento do resíduo da depuração (UKP) da indústria de celulose para produção de chapas minerais. 2016. 103 p. Tese (Doutorado em Ciência e Tecnologia da Madeira)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2015.
Resumo: O processo de produção de celulose gera diversos resíduos, dentre eles as fibras resultantes da depuração. O emprego desses resíduos na fabricação de produtos pode agregar valor e solucionar problemas ambientais, além de contribuir para o desenvolvimento de novos produtos e tecnologias. Objetivouse neste trabalho caracterizar o resíduo UKP (“Unbleach Kraft Pulp”), e com ele, produzir e caracterizar painéis cimento-madeira com este material. O resíduo foi avaliado nas seguintes condições: in natura (N), com imersão em água 24h (A), com imersão em hidróxido de sódio 10% por 24h (H) e com imersão nesses dois líquidos com posterior refino do material (RA e RH). O resíduo teve avaliadas suas características anatômicas, sua composição química, seu comportamento à decomposição térmica, sua distribuição granulométrica e suas densidades (básica e a granel). Os painéis minerais foram produzidos com densidade nominal de 1,4 g.cm-3 , com o seguinte ciclo de prensagem: temperatura ambiente, pressão de 0,4 MPa e grampeamento por 24 horas. Posteriormente os painéis foram climatizados e cortados em corpos de prova para realização de testes físicos e mecânicos. Os seguintes testes foram realizados: absorção de água após 2 e 24 horas de imersão, inchamento em espessura após 2 e 24 horas de imersão, densidade aparente, taxa de não retorno em espessura, umidade, arrancamento de parafuso na face, compressão, ligação interna e flexão estática. Para a distribuição granulométrica das partículas, o maior percentual de material ficou retido na peneira de 20 mesh. Para as características anatômicas avaliadas, houve redução do comprimento das fibras e diminuição da espessura da parede da fibra, apenas para os tratamentos com refino. Para a constituição química do resíduo, ocorreu redução do percentual de lignina e extrativos para os tratamentos com refino e com hidróxido. Quanto ao comportamento do resíduo, em função da decomposição térmica, foram similares as curvas comumente encontradas para madeiras e resíduos lignocelulósicos, diferindo apenas nos pontos onde se encontra a faixa de decomposição da lignina. Para as propriedades físicas avaliadas, não houve diferença significativa entre os tratamentos para as seguintes variáveis D (1,41 g.cm-3), UM (9,9%) e TNR (0,9%). Já para as variáveis AA_2h, AA_24h, IE_2h , IE_24h, LI, AP, CP, MOE e MOR houve diferença entre os tratamentos propostos. De maneira geral os tratamentos com imersão em solução com hidróxido e os tratamentos com refino apresentaram melhor desempenho. Portanto pode-se inferir que essa destinação para o resíduo é promissora, sendo necessárias mais pesquisas.
Abstract: The production process of cellulose generates many residues, among which are the fibers resulting of cleansing. The employment of these residues in product manufacturing can add value and solve environmental issues, in addition to contributing for developing new products and technologies. The objective of this work was to characterize the UKP (Unbleach Kraft Pulp) residue, using it to produce and characterize wood-cement panels. The residue was evaluated under the following conditions: in natura (N), with water immersion for 24 hours (A), with immersion in 10% sodium hydroxide for 24 hours (H), and with immersion in both liquids with subsequent material refining (RA and RH). We evaluated the residue‟s anatomical traits, chemical composition, behavior to thermal decomposition, particle size distribution and basic and bulk densities. The mineral panels were produced with nominal density of 1.4 g.cm-3 , and the following pressing cycle: ambient temperature, pressure of 04 MPa and stapling for 24 hours. Subsequently, the panels were acclimatized and cut into proofbodies for conducting the following physical and mechanical tests: water absorption after 2 and 24 hours of immersion, thickness swelling after 2 and 24 hours of immersion, apparent density, thickness non-return rate, moisture, screw holding, compression, internal bonding and static bending. For particle distribution, the highest percentage of material was retained in the 20 mesh sieve. For the anatomical traits, there was decrease in the length of the fibers and in the thickness of the fiber wall for treatments undergoing refinement. For chemical constitution, there was decrease in the percentage of lignin and extractives for treatments with refinement and hydroxide. Concerning the behavior of the residue in function of thermal decomposition, the curves commonly found for wood and lignin-cellulose residues were similar, differing only at the point of lignin decomposition. Regarding the evaluated physical properties, there was no significant difference between treatments for the following variables: D (1.41 g.cm-3 ), UM (9.9%) and TNR (0.9%). For variables AA_2h, AA_24h, IE_2h, IE_24h, LI, AP, CP, MOE and MOR there were significant differences between the proposed treatments. In general, the treatments with immersion in hydroxide and those with refining presented better performance. Therefore, we can infer that this is a promising destination for the residue, however requiring more research.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/10841
Publicador: Universidade Federal de Lavras
Idioma: por
Aparece nas coleções: DCF - Ciência e Tecnologia da Madeira - Doutorado (Teses)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
TESE_Tratamento do resíduo da depuração (UKP) da indústria de celulose para produção de chapas minerais.pdf2 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback