Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/10994
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorNarciso, Thiago Pasqua-
dc.date.accessioned2016-04-04T12:13:51Z-
dc.date.available2016-04-04T12:13:51Z-
dc.date.issued2016-04-04-
dc.date.submitted2016-02-19-
dc.identifier.citationNARCISO, T. P. Investigação do estado da leishmaniose visceral canina no município de Lavras - MG. 2016. 43 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2016.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/10994-
dc.description.abstractCanine visceral leishmaniasis (CVL) is a zoonotic parasitic disease caused by Leishmania infantum. In Brazil, the main transmitter species is Lutzomyia longipalpis. By the year 2013, the city of Lavras was considered, according to the criteria established by the Manual of Surveillance and Control of Visceral Leishmaniasis, quiet area and not vulnerable to the LVC. Face to unofficial data of positive animals, it was necessary to investigate the epidemiological status of the LVC. Given these facts, this study aimed to investigate the status of the LVC in Lavras using molecular and serological techniques. The L. infantum infection was confirmed in spleen and bone marrow samples nine dogs subjected to qPCR. Four dogs were positive in both bone marrow and spleen samples. For the evaluation of serological tests, serum of 52 animals was submitted to DPP®, ELISA Canine Visceral Leishmaniasis - BioManguinhos and ELISA - rKDDR. Of the 52 animals, 40 were observed (75%) positive and 12 (25%) negative for the LVC DPP® Biomanguinhos and ELISA tests. After completion of the ELISA DDR, it was observed 34 (65%) positive animals and 18 (35%) negative animals, indicating that it is necessary a more detailed assessment of this material, in order to determine the presence or absence of cross-reactivity test DPP® and ELISA Biomanguinhos or a possible misdiagnosis ELISA rKDDR. Through the results of this project was confirmed by qPCR, the first case of canine infection by Leishmania infantum in Lavras-MG.pt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Lavraspt_BR
dc.rightsacesso abertopt_BR
dc.subjectLeishmania infantumpt_BR
dc.subjectqPCRpt_BR
dc.subjectELISApt_BR
dc.titleInvestigação do estado da leishmaniose visceral canina no município de Lavras - MGpt_BR
dc.title.alternativeResearch of state of canine visceral leishmaniasis in the city of Lavras - MGpt_BR
dc.typedissertaçãopt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Ciências Veterináriaspt_BR
dc.publisher.initialsUFLApt_BR
dc.publisher.countrybrasilpt_BR
dc.contributor.advisor1Peconick, Ana Paula-
dc.contributor.referee1Peconick, Ana Paula-
dc.contributor.referee2Barçante, Joziana Muniz de Paiva-
dc.contributor.referee3Raymundo, Djeison Lutier-
dc.contributor.referee4Fujiwara, Ricardo Toshio-
dc.description.resumoA leishmaniose visceral canina (LVC) é uma doença parasitária de caráter zoonótico, causada pelo protozoário Leishmania infantum. No Brasil, a principal espécie transmissora é Lutzomyia longipalpis. Até o ano de 2013, o município de Lavras era considerado, de acordo com os critérios estabelecidos pelo Manual de Vigilância e Controle da Leishmaniose Visceral, área silenciosa e não vulnerável para a LVC. Frente a dados não oficiais de animais positivos, fez-se necessário à investigação do estado epidemiológico da LVC. O presente trabalho teve como objetivo investigar o estado da LVC no município de Lavras utilizando técnicas moleculares e sorológicas. A infecção por L. infantum foi confirmada em amostras de baço e medula óssea de nove cães submetidas à qPCR. Quatro cães foram positivos tanto em amostras de medula óssea como de baço. Para a avaliação dos ensaios sorológicos, o soro de 52 animais foi submetido aos testes DPP®, ELISA Leishmaniose Visceral Canina - BioManguinhos e ELISA – rKDDR. Dos 52 animais, foram observados 40 (75%) positivos e 12 (25%) negativos para LVC nos testes DPP® e ELISA Biomanguinhos. Após a realização do ELISA rKDDR, foram observados 34 (65%) animais positivos e 18 (35%) animais negativos, indicando que se faz necessário uma avaliação mais detalhada desse material, a fim de se determinar a ocorrência ou não de reatividade cruzada dos testes DPP® e ELISA Biomanguinhos ou uma possível falha diagnóstica no ELISA rKDDR. Através dos resultados obtidos neste projeto foi possível confirmar, através da qPCR, o primeiro caso de infecção canina pela espécie Leishmania infantum no município de Lavras-MG.pt_BR
dc.publisher.departmentDepartamento de Medicina Veterináriapt_BR
dc.subject.cnpqDoenças Parasitárias de Animaispt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/5974614900115552pt_BR
Appears in Collections:DMV - Ciências Veterinárias - Mestrado (Dissertações)



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.