Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DEN - Departamento de Entomologia >
DEN - Programa de Pós-graduação >
DEN - Entomologia - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/11050

Título: História natural de Paraselenis dichroa Germar, 1824(Coleoptera: Chrysomelidae: Cassidinae)
Título Alternativo: Natural history of Paraselenis dichroa Germar, 1824 (Coleoptera: Chrysomelidae: Cassidinae)
Autor(es): Cuozzo, Mariana Deprá
Lattes: http://lattes.cnpq.br/8116229340192091
Orientador: Souza, Brígida
Coorientador: Frieiro-Costa, Fernando A.
Membro da banca: Ferreira, Ronara de Souza
Membro da banca: França, Filipe Machado
Assunto: Cassidíneo
Ciclo de vida
Inimigos naturais
Condições naturais
Cassidinae
Biological life cycle
Natural enemies
Natural conditions
Data de Defesa: 24-Fev-2016
Data de publicação: 18-Abr-2016
Agência de Fomento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Referência: CUOZZO, M. D. História natural de Paraselenis dichroa Germar, 1824 (Coleoptera: Chrysomelidae: Cassidinae). 2016. 86 p. Dissertação (Mestrado em Entomologia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2016.
Resumo: Cassidinae Gyllenhal, 1813 é a segunda maior subfamília de Chrysomelidae, com cerca de 6.000 espécies distribuídas no mundo. Esses besouros são muito característicos quanto à morfologia, biologia e comportamento. Este estudo objetivou descrever o ciclo de vida de Paraselenis dichroa, alguns aspectos biológicos e comportamentais, bem como identificar os inimigos naturais e determinar seu efeito sobre os estágios imaturos dessa espécie. A pesquisa foi realizada entre fevereiro e abril de 2015, na Floresta Nacional de Passa Quatro (Mata Atlântica), Passa Quatro, MG, Brasil. Para o experimento de biologia e etologia, foram realizadas observações diárias, pela manhã e à tarde, avaliandose 33 fêmeas e suas proles nas plantas hospedeiras Ipomoea sp. e Merremia macrocalyx (Convolvulaceae). No experimento sobre os inimigos naturais, foram realizados dois tratamentos, com e sem proteção da prole. Verificou-se que a espécie possui dois ciclos reprodutivos. Os ovos são depositados em massas junto à nervura principal e na face abaxial da folha (n=25). A desova é imbricada, pedunculada e os ovos são desprovidos de qualquer cobertura. As desovas apresentam, em média, 27,7±5,5 ovos (n=30). O período médio de incubação foi de 12,46±1,98 dias (n=13). As larvas permanecem em grupos nas folhas durante todo desenvolvimento, exceto quando se alimentam. Possuem o anexo exúvio-fecal no urogonfo, como mecanismo de defesa. O número médio de larvas eclodidas por prole foi 14,15±11,5 (n=33). O estágio larval é a fase mais longa do desenvolvimento, com duração de 24,9±3,3 dias (n=20). A pupação ocorre no caule da planta e, nesse período, não possuem mais o anexo exúvio-fecal. O número médio de pupas foi 13,4±9,9 (n=23) e a duração média dessa fase foi 9,35±2,2 dias (n=14). O número médio de adultos emergidos foi 11,7±9,0 (n=16). A duração total do ciclo foi 45,6±9,0 dias (n=10). Os adultos possuem dimorfismo sexual quanto ao formato dos élitros. A mãe, ao ser manipulada, defeca e/ou excreta hemolinfa, como mecanismos de defesa. Durante todos os estádios imaturos a fêmea permanece junto à prole, inclusive durante os primeiros dias após a emergência dos adultos. Houve efeito dos tratamentos com e sem proteção sobre a mortalidade total; sobre a mortalidade na fase larval; sobre a mortalidade das pupas; e sobre a sobrevivência dos imaturos. Constatou-se a ocorrência do parasitoide de ovos Emersonella pubipennis (Eulophidae). O hemíptero Stiretrus decengutatus (Pentatomidae) foi observado predando larvas, bem como os parasitoides da família Tachinidae (Diptera); e as pupas sofreram ataques de Conura sp. e Brachymeria sp. (Chalcididae). A história natural de P. dichroa é importante para servir de ponto de partida e base para compreender questões evolutivas e interações multitróficas.
Abstract: Cassidinae Gyllenhal, 1813 is the second largest subfamily of Chrysomelidae, with about 6000 species distributed worldwide. They are extremely characteristics in terms of morphology, biology and behavior. The objective of the present work was describe the life cycle of the Paraselenis dichroa, their biological and behavioral aspects as well as identify their natural enemies and determine their effect on the immature stages. The study was conducted between February and April 2015, in the Nacional Forest of Passa Quatro (Atlantic Forest Biome), Passa Quatro, MG, Brazil. For the experiment on biology and ethology, daily observations were conducted in the morning and afternoon, evaluating 33 females and their offspring on the host plants Ipomoea sp. and Merremia macrocalyx (Convolvulaceae). In the experiment on natural enemies, there were two treatments with and without offspring protection. The species has two reproductive cycles of 2.5 months. Eggs are laid in groups on the main vein of the leaf on the abaxial face (n=25). The egg clusters are imbricated, pedunculated and the eggs are uncovered. The egg clusters presented, on average, 27.7±5.5 eggs (n=30). The average of incubation period of the eggs was 12.46±1.98 days (n=13). Larvae remain in cicloalexy during development on the leaves, except when feeding. They have the exuvio-fecal shield, on the urogomphus, as a defense mechanism. The average number of larvae that ecloded per spawn was, 14.15±11.5 individuals (n=33). The larval phase is the longest stage of the development of the immatures, lasting 24.9±3.3 days (n=20). The pupation occurs on the stem of the host plant and in this period the exuvio-fecal shield is not present. The average number of pupae was 13.4±9.9 individuals (n=23). The pupal stage duration, on average, was 9.35±2.2 days (n=14). The number of the emerged adults, on average, was 11.7±9.0 (n=16), and the total cycle time was 45.6±9.0 days (n=10). There is a clear sexual dimorphism in adults. Mothers, when manipulated, defecate and/or excrete hemolymph, as a defense mechanism. During all immature stages the females stay together with their offspring, until the first days of the newly emerged adults. There was an effect of treatments with and without offspring protection on total mortality; larval mortality; pupa mortality and survival of immatures. The natural enemy of the eggs was Emersonella pubipennis (Eulophidae). The Hemiptera Stiretrus decengutatus (Pentatomidae) was observed preying on the larvae, as well as the parasitoids of Tachinidae (Diptera), and the pupae suffered attacks by Conura sp. and Brachymeria sp. (Chalcididae). The natural history of P. dichroa is important as a starting point and basis for understanding evutionary questions and multispecies interactions.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/11050
Publicador: Universidade Federal de Lavras
Idioma: por
Aparece nas coleções: DEN - Entomologia - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_História natural de Paraselenis dichroa Germar, 1824(Coleoptera Chrysomelidae Cassidinae)..pdf1,74 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback