Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DAG - Departamento de Agricultura >
DAG - Programa de Pós-graduação >
DAG - Plantas Medicinais, Aromáticas e Condimentares - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/11154

Título: Potenciais alelopáticos e antioxidante de Portulaca oleracea L. e Raphanus raphanistrum L.
Título Alternativo: Potential allelopathic and antioxidant Portulaca oleracea L. and Raphanus raphanistrum L.
Autor(es): Santos, Maria de Fátima
Lattes: http://lattes.cnpq.br/9257232683092594
Orientador: Gonçalves, Adenilson Henrique
Coorientador: Bertolucci, Suzan Kelly Vilela
Membro da banca: Gaspar Júnior, Pascoal Jose
Membro da banca: Bertolucci, Suzan Kelly Vilela
Membro da banca: Gonçalves, Adenilson Henrique
Assunto: Radicais livres
Bioensaio vegetal
Aleloquímico
Nabiça
Beldroega
Free radicals
Plant bioassay
Allelochemical
Turnip
Purslane
Data de Defesa: 29-Mar-2016
Data de publicação: 5-Mai-2016
Agência de Fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: SANTOS, M. de F. Potenciais alelopáticos e antioxidante de Portulaca oleracea L. e Raphanus raphanistrum L. 2016. 111 p. Dissertação (Mestrado em Plantas Medicinais, Aromáticas e Condimentares)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2016.
Resumo: Este trabalho objetivou-se avaliar o potencial alelopático de diferentes extratos obtidos das folhas secas de Portulaca oleracea (beldroega) e Raphanus raphanistrum (nabiça). Os extratos foram preparados por refluxo em água ultrapura e maceração dinâmica utilizando solventes de polaridade crescente (hexano, diclorometano, acetato de etila, butanol e água ultrapura). Os extratos obtidos foram filtrados e evaporados sob vácuo, em seguida foram realizados os cálculos dos rendimentos extrativos e os ensaios de quantificação de fenólicos totais (fenóis, flavonoides e dihidroflavonoides) e potencial antioxidante (poder redutor, capacidade antioxidante total, poder quelante e sequestro de radicais livres DPPH). As correlações dos métodos de quantificação e antioxidante foram obtidas através da análise de correlação canônica. Para os testes de alelopatia os extratos foram ressuspendidos em água ultrapura, mesura do pH e diluídos de modo a obter-se quatro concentrações (2, 4, 6, 8 g.L -1 ). Nos bioensaios de germinação foram utilizadas 25 sementes de Lactuca sativa (alface), sendo umedecidas com 4 mL dos extratos e mantidas em estufa tipo BOD com temperatura a 24ºC e fotoperíodo de 12 horas, onde foram avaliados o índice de velocidade de germinação (IVG), porcentagem de germinação (%G), massa seca, crescimento radicular e hipocótilo. Independente dos métodos extrativos, os extratos aquosos foram os que apresentaram ma ior rendimento para ambas as plantas. Dos extratos obtidos, somente o extrato hexânico não demonstrou resultados significativos nos ensaios de quantificação e antioxidante. No teste do poder quelante os extratos aquosos da nabiça apresentaram melhor atividade de quelação do Fe +2 (0,002±0,0 mg/mL). Na beldroega o extrato butanólico apresentou um elevado efeito antioxidante no ensaio do poder redutor comparado com o ácido ascórbico. Ambas as espécies apresentaram uma alta correlação entre a quantificação de compostos fenólicos e os métodos antioxidantes. No teste de alelopatia os extratos aquosos obtidos por maceração e refluxo da nabiça apresentaram efeito alelopático a partir das menores concentrações, sendo que, no extrato aquoso por maceração na maior concentração (10 g.L -1 ) inibiu total a germinação das sementes de alface. Os extratos obtidos a partir dos solventes diclorometano, acetato de etila, butanol e água ultrapura influenciaram no desenvolvimento das plântulas da espécie teste, na qual o extrato aquoso foi capaz de inibir mais de 50% o crescimento da radicular. Na beldroega, os extratos aquosos obtidos por refluxo e maceração foram os que apresentaram atividade em todos os testes analisados, porém o extrato obtido pelo método de maceração foi o que demostrou melhor resultado, inibindo totalmente a germinação nas concentrações de 8 e 10 g.L -1 . Dos extratos com polaridade crescente somente o diclorometano não afetou o desenvolvimento da alface. Os resultados deste trabalho indicaram o potencial alelopático e antioxidante da beldroega e da nabiça em ensaios realizados em in vitro.
Abstract: This work aimed to evaluate the allelopathic potential, antioxidant and quantification of total phenolic compounds of different extracts from the dried leaves of Portulaca oleracea (purslane) and Raphanus raphanistrum (turnip). The extracts were prepared by refluxing in ultrapure water and dynamic maceration used increasingly polar solvents (hexane, dichloromethane, ethyl acetate, butanol and ultrapure water). The extracts were f iltered and evaporation in vacuum then were performed calculations of extractives yields and quantification of total phenolic assays (phenols, flavonoids and dihidroflavonoides) and antioxidant potential (reducing power, total antioxidant capacity, chelating power and sequestration DPPH free radicals). Correlations of quantification methods and antioxidant were obtained by canonical correlation analysis. To test allelopathy extracts were resuspended in ultrapure water, pH mesurado and diluted so as to obtain four concentrations (2, 4, 6, 8 g.L -1 ). In germination bioassays were used 25 seeds of Lactuca sativa (lettuce) and wetted with 4 mL of the extracts and kept in an incubator BOD with temperature at 24 ° C and photoperiod of 12 hours were evaluated in the germination speed index (GSI) , germination percentage (%G), dry mass, root and hypocotyl growth. Regardless of extractive methods, the aqueous extracts showed the highest yield for both plants. The extracts, only the hexane extract showed no significant results in quantitation assays and antioxidant. In the test of the chelating power aqueous extracts of turnip showed better chelation activity of Fe +2 (0.002 ± 0.0 mg / mL). In the butanolic purslane extract showed a high antioxidant effects in the test of reducing power compared to ascorbic acid. Both species have a high correlation between the quantification of phenolic compounds and antioxidant methods. In allelopathy test aqueous extracts obtained by maceration and flow of turnip showed allelopathic effect from lower concentrations, and in the aqueous extract by steeping in the highest concentration (10 g.L -1 ) inhibited the total germination of lettuce seeds. The extracts obtained from the dichloromethane solvent, ethyl acetate, butanol and ultrapure water influenced the development of the seedlings of the test species, wherein the aqueous extract was able to inhibit more than 50% of root growth. In purslane, the aqueous extracts obtained by reflux and maceration showed the activity in all analyzed tests, but the extract obtained by maceration method was the one that demonstrated best results, completely inhibiting germination at concentrations of 8:10 g L -1 . Extracts with increasing polarities only dichloromethane did not affect the development of lettuce. The results of this study indicated the allelopathic and antioxidant potential of purslane and turnip in trials in vitro.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/11154
Publicador: Universidade Federal de Lavras
Idioma: por
Aparece nas coleções: DAG - Plantas Medicinais, Aromáticas e Condimentares - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_Potenciais alelopáticos e antioxidante de Portulaca oleracea L. e Raphanus raphanistrum L.pdf1,72 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback