Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/11173
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorMoreira, Gabriel Miranda-
dc.date.accessioned2016-05-20T18:21:02Z-
dc.date.available2016-05-20T18:21:02Z-
dc.date.issued2016-05-20-
dc.date.submitted2016-04-08-
dc.identifier.citationMOREIRA, G. M. Primeiro estudo do uso de termografia escrotal em touros girolando e sua relação com a classificação andrológica por pontos. 2016. 58 p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2016.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/11173-
dc.description.abstractBreeding soundness evaluation (BSE) is a method that allows the selection of bulls with greater reproductive potential. The performance of bulls evaluated by BSE system may be influenced by the scrotum surface temperature, which is related to the environmental temperature. The objective was to verify the relationship to the scrotal surface thermographic temperatures and the BSE in Girolando bulls. Scrotal circumference (SC), testicular volume (TESTVOL), spermatic chord length (SCL), scrotum skin texture (SST), motility, vigor, mass motion, major defects (MAD), minor defects (MID), and total defects (TOD) were evaluated in sixty eight Girolando bulls. Three classes were established according to the BSE score: unsatisfactory (0-29), questionable (30-59) and satisfactory (60-100). The scrotal surface and the ocular region thermographic temperatures were evaluated. A temperature and humidity index (THI) was calculated when photographs were taken. The SC and TESTVOL of satisfactory and questionable bulls were greater (P<0.01). Age, weight, SCL, SST, seminal physical parameters, MID and scrotum surface thermographic temperatures were similar (P>0.05) between BSE classes. The THI was positively correlated (P<0.01) to the scrotum and ocular region thermographic temperatures. The thermographic temperatures of the scrotum surface were not limiting to the BSE performance of bulls.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Lavraspt_BR
dc.rightsacesso abertopt_BR
dc.subjectCircunferência escrotalpt_BR
dc.subjectEspermogramapt_BR
dc.subjectPotencial reprodutivopt_BR
dc.subjectTermorregulação testicularpt_BR
dc.subjectTouros mestiçospt_BR
dc.subjectScrotal circumferencept_BR
dc.subjectSpermogrampt_BR
dc.subjectReproductive potentialpt_BR
dc.subjectTesticular thermoregulationpt_BR
dc.subjectCrossbred bullspt_BR
dc.titlePrimeiro estudo do uso de termografia escrotal em touros girolando e sua relação com a classificação andrológica por pontospt_BR
dc.typedissertaçãopt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Zootecniapt_BR
dc.publisher.initialsUFLApt_BR
dc.publisher.countrybrasilpt_BR
dc.contributor.advisor1Souza, José Camisão de-
dc.contributor.referee1Sales, José Nélio de Souza-
dc.contributor.referee2Ferreira, Marcos Brandão Dias-
dc.description.resumoA classificação andrológica por pontos (CAP) é um método que permite selecionar touros com maior potencial reprodutivo. O desempenho dos reprodutores avaliados pela CAP, pode ser influenciado pelas temperaturas da superfície escrotal que está relacionada a temperatura ambiental. Objetivou-se então verificar a relação entre as temperaturas termográficas da superfície do escroto e a CAP em touros Girolando. A circunferência escrotal (CE), volume testicular (VOLTEST), comprimento do cordão espermático (CCE), textura da pele do escroto (TPE) e motilidade, vigor, turbilhonamento, defeitos maiores (DMA), defeitos menores (DME) e defeitos totais (DTO) do sêmen foram avaliados em 68 touros Girolando. Foram estabelecidas três classes, de acordo com o desempenho na CAP: insatisfatório (0-29), questionável (30-59) e satisfatório (60-100). Foram avaliadas as temperaturas termográficas da superfície escrotal e da região ocular. Foi calculado o índice de temperatura e umidade (ITU), no momento da captura das fotos. A CE e o VOLTEST foram maiores (P<0,01) em touros de desempenho satisfatório e questionável. DMA e DTO foram menores (P<0,01) em touros de desempenho satisfatório. Idade, peso, CCE, TPE, parâmetros físicos do sêmen, DME e temperaturas termográficas da superfície do escroto não diferiram (P>0,05) entre as classes de desempenho na CAP. O ITU foi positivamente correlacionado (P<0,01) com as temperaturas termográficas do escroto e da região ocular. As temperaturas termográficas da superfície do escroto não foram limitantes para o desempenho dos touros na CAP.pt_BR
dc.publisher.departmentDepartamento de Zootecniapt_BR
dc.subject.cnpqGinecologia e Andrologia Animalpt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4977632802578022pt_BR
Appears in Collections:DZO - Zootecnia - Mestrado (Dissertações)



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.