Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DCS - Departamento de Ciência do Solo >
DCS - Programa de Pós-graduação >
DCS - Ciência do Solo - Mestrado (Dissertações) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/11520

Title: Selênio na castanha-do-brasil (Bertholletia excelsa) e em solos da região Amazônica Brasileira
Other Titles: Selenium in Brazil nuts (Bertholletia excelsa) and soils from the Brazilian Amazon region
???metadata.dc.creator???: Silva Júnior, Ediu Carlos da
???metadata.dc.creator.Lattes???: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4422067E3
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Guilherme, Luiz Roberto Guimarães
???metadata.dc.contributor.advisor-co1???: Reis, André Rodrigues dos
???metadata.dc.contributor.referee1???: Lopes, Guilherme
???metadata.dc.contributor.referee2???: Wadt, Lúcia Helena de Oliveira
Keywords: Selênio
Bertholletia excels
Solo - Nutrientes
Floresta amazônica
Biodisponibilidade
Selenium
Soil - Nutrients
Amazon rainforest
Bioavailability
???metadata.dc.date.submitted???: 12-Apr-2016
Issue Date: 3-Aug-2016
???metadata.dc.description.sponsorship???: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG)
Citation: SILVA JÚNIOR, E. C. da. Selênio na castanha-do-brasil (Bertholletia excelsa) e em solos da região Amazônica Brasileira. 2016. 82 p. Dissertação (Mestrado em Ciência do Solo)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2016.
???metadata.dc.description.resumo???: A castanha-do-brasil (Bertholletia excelsa) é caracterizada como um dos produtos não madeireiros mais importantes da região Amazônica, visto que é um alimento bastante apreciado pelas comunidades locais e ainda utilizado para exportação. A amêndoa da castanha-do-brasil é reconhecida no mundo inteiro como o alimento mais rico em selênio (Se), sendo crescente o desenvolvimento de pesquisas que cada vez mais comprovam seus efeitos benéficos na saúde humana. O Se é um elemento-traço que apresenta propriedades essenciais ou tóxicas dependendo da faixa de concentração no alimento ingerido. No mundo inteiro, há situações tanto de deficiência, como de toxidez de Se nos solos, refletindo no teor do elemento presente nos alimentos que são ingeridos. Nas regiões onde os teores nos solos são baixos, alternativas para melhorar a nutrição da população são requeridas como, por exemplo, via biofortificação agronômica, ou mesmo a utilização de fontes naturais para o incremento de Se na alimentação, como é o caso da castanha-do-brasil. O presente estudo buscou conhecer melhor e caracterizar os teores de Se na castanha-do-brasil. Amostras foram coletadas em seu ambiente natural de produção e em cultivos estabelecidos em diferentes regiões da bacia Amazônica, objetivando ainda realizar correlação entre os teores de Se presentes na castanha e no solo onde essas plantas estão inseridas. Foram coletadas amostras de frutos nos estados do Acre (15 plantas), Mato Grosso (13 plantas), Roraima (15 plantas), Amapá (15 plantas) e Amazonas (17 plantas) e amostras de solo nas camadas de 0-20 cm, 20-40 cm e 40-60 cm com o objetivo de analisar os teores totais de Se tanto no material vegetal como no solo. Os resultados mostraram que a concentração total de Se no solo variou de < 65,76 a 737,76 µg kg-1 (média de 278,28 µg kg-1 ), sendo que 75% das amostras de solo tiveram valores menores que 361,08 µg kg-1 . O teor total de Se obtido nas amostras de castanha-do-brasil nos permitiu dividir as amostras em três grupos distintos: 1) Plantas que apresentam baixas concentrações (Acre e Mato Grosso) com teores médios de 7,54 mg kg-1 e 6,79 mg kg-1 respectivamente; 2) Plantas com concentrações intermediárias (Roraima) com teor médio de 18,86 mg kg-1 e 3) Plantas com altas concentrações (Amapá e Amazonas) com teores médios de 59,35 mg kg-1 e 86,33 mg kg-1 respectivamente. Os modelos de regressão e a análise de componentes principais (PCA) mostraram que o teor total de Se no solo não é o principal fator determinante no teor de Se nas amêndoas de castanha-do-brasil e, portanto, pouco preditivo desses valores. Por outro lado, o pH demonstrou ser um importante fator associado com a disponibilidade de Se no solo para as plantas, especialmente na camada de 0- 20 cm.
Abstract: Brazil nuts (Bertholletia excelsa) is characterized as one of the most important non-timber products from the Amazon region, since it is a food greatly appreciated by local communities and used for exportation. The Brazilian nuts are recognized worldwide as the richest food source of selenium (Se), increasing with the development of research that increasingly is proving its beneficial effects on human health. Selenium is a trace element that presents essential or toxic properties depending on the concentration range in ingested food. Worldwide, there are situations of both deficiency and toxicity of Se in soils, reflecting the element content in the foods we eat. In regions where the soil Se content is low, alternatives to improve nutrition of the population are required, for example via agronomic biofortification, or even by using natural sources for Se improvement in food, as in the case of Brazil nuts. This study aimed to better understand and characterize the Se levels in Brazil nuts. Samples were collected in their natural environment of production and crops established in different regions of the Amazon basin, yet, aiming perform correlation between the levels of Se present in nuts and soil where these plants are located. Fruit samples were collected in the states of Acre (15 plants), Mato Grosso (13 plants), Roraima (15 plants), Amapá (15 plants) and Amazon (17 plants) and soil samples at 0-20 cm, 20-40 cm and 40-60 cm layers, in order to analyze the total Se content in both plant material and soil. The results showed that the total concentration in soil ranged from < 65.76 to 737.76 µg kg-1 (average of 278.28 µg kg-1 ), and 75% of the soil samples were lower than 361.08 µg kg-1 . The total Se content obtained in Brazil nut samples allowed us to divide the samples into three groups: 1) Plants that have low concentrations (Acre and Mato Grosso) with average of 7.54 mg kg-1 and 6.79 mg kg-1 respectively; 2) plants with intermediate concentrations (Roraima) with an average content of 18.86 mg kg-1 and 3) plants with high concentrations (Amapá and Amazonas) with average levels of 59.35 mg kg-1 and 86.33 mg kg-1 respectively. The regression models and principal component analysis (PCA) showed that the total soil Se content is not the main factor determining the Se content in Brazil nuts and, therefore little predictive of these values. On the other hand, the pH has demonstrated its importance association with the Se availability in the soil for the plants, especially in the 0-20 cm layer.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/11520
Publisher: Universidade Federal de Lavras
???metadata.dc.language???: por
Appears in Collections:DCS - Ciência do Solo - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
DISSERTAÇÃO_Selênio na castanha-do-brasil (Bertholletia excelsa) e em solos da região Amazônica Brasileira.pdf2.63 MBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.


View Statistics

 


DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback