Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DZO - Departamento de Zootecnia >
DZO - Programa de Pós-graduação >
DZO - Zootecnia - Doutorado (Teses) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1168

Title: Avaliação de equações de predição dos valores energéticos do milho e do farelo de soja na formulação de rações para frangos de corte
???metadata.dc.creator???: Alvarenga, Renata Ribeiro
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Rodrigues, Paulo Borges
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Lima, Renato Ribeiro de
Freitas, Rilke Tadeu Fonseca de
???metadata.dc.contributor.referee1???: Fassani, Édison José
Albino, Luiz Fernando Teixeira
???metadata.dc.description.concentration???: Produção e Nutrição de Não-Ruminantes
Keywords: Ave - Criação
Frango de corte - Alimentação e rações
Energia metabolizável
Aviculture
Broilers (Poultry) - Feeding and feeds
Metabolizable energy
???metadata.dc.date.submitted???: 23-Feb-2012
Issue Date: 2013
???metadata.dc.description.sponsorship???: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Citation: ALVARENGA, R. R. Avaliação de equações de predição dos valores energéticos do milho e do farelo de soja na formulação de rações para frangos de corte. 2012. 92 p. Tese (Doutorado em Zootecnia) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2012.
???metadata.dc.description.resumo???: Objetivou-se, com este trabalho, avaliar o uso de equações de predição para estimar valores de energia metabolizável aparente corrigida para nitrogênio (EMAn) do milho e do farelo de soja utilizados para frangos de corte. Três experimentos foram conduzidos: dois de metabolismo, sendo um para determinar os valores de EMAn do milho e farelo de soja (ensaio in vivo) e outro para determinar os valores energéticos das rações experimentais formuladas com valores de EMAn do milho e do farelo de soja obtidos pelas equações, tabelas de composição ou ensaio in vivo; e um de desempenho. No primeiro ensaio, 90 pintos Cobb com 18 dias de idade foram distribuídos aleatoriamente em seis repetições de cinco aves por parcela experimental. No segundo, 240 aves de oito dias de idade foram distribuídas em delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 2x8 (dois sexos e oito rações experimentais) com parcela subdividida no tempo (fases de avaliação) com cinco aves por parcela experimental na fase de 8 a 21 dias, quatro na fase de 22 a 35 dias e três na fase de 36 a 42 dias. Para o desempenho, 1200 aves de um dia (machos e fêmeas) foram distribuídas em delineamento inteiramente casualizado no mesmo esquema fatorial 2x8 com três repetições de cada sexo com 25 aves. Os tratamentos consistiram no uso de equações para predizer os valores de EMAn dos alimentos utilizados, que foram comparados ao uso das Tabelas Brasileiras ou valores obtidos no ensaio in vivo. As médias obtidas com o ensaio de desempenho, características de carcaça e de metabolizabilidade dos nutrientes foram comparadas pelo teste Scott-Knott a 5% de probabilidade. O ajuste entre os valores de EMAn das rações determinados pelo uso das equações e os valores de EMAn determinados pelo ensaio metabólico ou EMAn exigidos pelas aves em cada fase do desenvolvimento foi avaliado pelo intervalo de confiança a 95%. Observou-se que o uso de valores de EMAn obtidos in vivo foi o mais aplicável, e que o uso de algumas equações foi melhor em relação ao uso das Tabelas. As equações que melhor se adequaram foram EMAn = 4021,8 – 227,55MM (para o milho) e EMAn = – 822,33 + 69,54PB – 45,26FDA + 90,81EE (para o farelo de soja); EMAn = 36,21PB + 85,44EE + 37,26ENN (para o milho) e EMAn = 37,5PB + 46,39EE + 14,9ENN (para o farelo de soja) ou EMAn = 4164,187 + 51,006EE - 197,663MM – 35,689FB – 20,593FDN (para alimentos energéticos e proteicos). Conclui-se que o uso de equações de predição para estimar os valores energéticos do milho e do farelo de soja utilizados para frangos de corte é mais viável em relação ao uso de Tabelas de composição química e energética, porém, o uso de valores de EMAn determinados in vivo ainda é o mais eficaz.
Besides the knowledge of metabolizability of the nutritional components, information about the energy content in the feedstuffs is also essential for adequate nutritional balance. Thus, the objective was to evaluate the use of some prediction equations for estimating values of apparent metabolizable energy corrected for nitrogen (AMEn) of corn and soybean meal used to broilers. Three experiments were conducted: two metabolism assays, one to determine the AMEn values of corn and soybean meal (in vivo assay) and another to determine the energy values of the experimental diets formulated using the equations, tables of composition and in vivo assay; and one of performance. In the first experiment, 90 Cobb broilers with 18 days of age were randomly divided into six replicates of five birds. In the second, 240 birds with eight days old were distributed in a completely randomized design in factorial scheme 2x8 (two sex and eight experimental diets) with parcel in plot time (phases of evaluation) with five birds per experimental unit during 8 to 21 days old, four in 22 to 35 days and three in 36 to 42 days. For performance, 1200 birds (males and females) were distributed in completely randomized design in the same factorial scheme 2x8 with three repetitions per sex with 25 birds. The treatments consisted in use of equations to predict the AMEn of the feedstuffs used, which were compared to the use of Brazilian tables or values obtained in vivo. The mean values obtained with performance, carcass characteristics and metabolizability of nutrients were compared by Scott-Knott test at 5%. The fit between the AMEn values of the diets determined by use of equations and AMEn determined by in vivo assay or AMEn required by birds in each phase of development was assessed by the confidence interval at 95%. It was observed that the use of AMEn values obtained in in vivo assay was the more appropriate, and the use of some equations was better comparing to use of the Tables. The equations that best have adapted were AMEn = 4021.8 - 227.55MM (in corn) and AMEn = - 822.33 + 69.54CP - 45.26ADF + 90.81EE (for soybean meal); AMEn = 36.21CP + 85.44EE + 37.26NNE (for corn) and AMEn = 37.5CP + 46.39EE + 14.9ENN (for soybean meal); and AMEn = 4164.187 + 51.006EE - 197.663MM - 35.689CF - 20.593NDF (for energy and protein food). It is concluded that the use of prediction equations to estimate the energy values of corn and soybean meal used for broilers is more feasible if compared to the use of tables of chemical and energy composition, however, the use of AMEn values determined in vivo is still the most effective.
Description: Tese apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, área de concentração em Produção e Nutrição de Não-Ruminantes, para a obtenção do título de Doutor.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1168
Publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
???metadata.dc.language???: pt_BR
Appears in Collections:DZO - Zootecnia - Doutorado (Teses)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
TESE_Avaliação de equações de predição dos valores energéticos do milho e do farelo de soja na formulação de rações para frangos de corte.pdf318.11 kBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.


View Statistics

 


DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback