Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1180
Título: Seleção de linhagens de feijoeiro com escurecimento tardio dos grãos
Autor : Araújo, Lilian Cristina Andrade de
Primeiro orientador: Ramalho, Magno Antonio Patto
metadata.teses.dc.contributor.advisor-co: Abreu, Ângela de Fátima Barbosa
Primeiro membro da banca: Santos, João Bosco dos
Bruzi, Adriano Teodoro
Área de concentração: Genética e Melhoramento de Plantas
Palavras-chave: Feijão - Melhoramento genético
Genética quantitativa
Quantitative genetics
Beans
Data da publicação: 2013
Agência(s) de fomento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ)
Referência: ARAÚJO, L. C. A. de. Seleção de linhagens de feijoeiro com escurecimento tardio dos grãos. 2012. 66 p. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento de Plantas) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2012.
Resumo: Para facilitar a comercialização das cultivares de feijão carioca, estas devem possuir a cor creme dos grãos o mais claro possível. Também é desejável que os grãos permaneçam claros por longo tempo. Ao que tudo indica, existe variabilidade genética para esse caráter. Objetivou-se com este trabalho obter informações a respeito do controle genético do caráter, com ênfase na estimativa da herdabilidade para o escurecimento tardio de grãos; verificar se ela varia com o número de dias após a colheita; estimar as correlações genéticas e fenotípicas do escurecimento tardio com o tempo de cozimento, teor de tanino e produtividade de grãos e; verificar se a expressão do caráter varia entre locais e/ou safras. Para obter essas informações, foram avaliadas as progênies F2:3 e F2:4 do cruzamento da cultivar BRSMG-Madrepérola (escurecimento tardio) e a linhagem RP-2 (escurecimento precoce). Cem progênies foram avaliadas a campo na safra da seca/2011 (geração F2:3 em Lavras) e inverno/2011 (geração F2:4 em Lavras e Patos de Minas). Nesses experimentos foi obtida a produtividade de grãos. Uma amostra dos grãos das progênies F2:3 e F2:4, após colhidos, foram acondicionadas em sacos plásticos transparentes. Em seguida foram armazenadas em uma sala sem luminosidade. Essas progênies foram avaliadas para o caráter escurecimento de grãos por meio de escala de notas que varia de 1 a 5, sendo 1 para grãos claros e 5 para grãos escuros, por dois avaliadores. As avaliações foram realizadas aos 30, 60 e 90 dias após a colheita (DAC) para as progênies F2:3 e aos 30 e 60 DAC para as progênies F2:4. Os grãos de 20 progênies F2:3, selecionadas aos 30 DAC (sendo 10 progênies com maior e igual número com menor média na avaliação do escurecimento dos grãos), foram também avaliados com relação ao teor de tanino e ao tempo de cozimento. Constatou-se que, em função das estimativas de herdabilidade obtidas, o caráter escurecimento tardio é de fácil seleção. Embora a estimativa de herdabilidade para as notas de escurecimento tenha tendência de aumentar com o tempo de armazenagem dos grãos, não foi constatada interação progênies x época de avaliação. A seleção para o escurecimento tardio pode ser realizada a partir dos 30 DAC. Os grãos com escurecimento tardio possuem menor teor de tanino e exigem menor tempo de cocção. Já para produtividade de grãos, a correlação genética foi praticamente nula, inferindo, que a seleção para o escurecimento tardio pode ser realizada a partir da geração F2:3, sem reflexo no sucesso da seleção para a produtividade de grãos em futuras gerações. As notas de escurecimento são influenciadas pelo ambiente/safra e geração, contudo a interação progênies x ambientes e progênies x gerações é predominantemente simples, não alterando de modo expressivo a classificação das progênies.
To facilitate marketing of carioca common bean cultivars, the cream color of the grains must be as light as possible. The grains must also retain their light color for a long time. Apparently, there is genetic variability for this trait. The purpose of this study was to obtain information regarding genetic control of this trait, with an emphasis on estimating heritability of the grain seed coat darkening trait; verifying if this varies with the number of days after harvest; estimating genetic and phenotypic correlations of the late darkening trait with cooking time, tannin concentration and grain yield; and verifying if expression of the trait varies among environments and/or growing seasons. F2:3 and F2:4 progenies were obtained from crossing the cultivar BRSMG-Madrepérola (late darkening) and the RP-2 strain (early seed coat darkening). One hundred progenies were evaluated in the field for the dry growing season /2011 (F2:3 generation in Lavras) and winter growing season/2011 (F2:4 generation in Lavras and Patos de Minas). Grain yield was obtained in these experiments. After harvest, a grain sample of the F2:3 and F2:4 progenies were packed in transparent plastic bags. They were then stored in a dark room. These progenies were evaluated for the grain seed coat darkening trait based on a 1 to 5 scale, 1 being late darkening and 5 early darkening, by two researchers. Evaluations were performed at 30, 60 and 90 days after harvest for the F2:3 progenies; and 30 and 60 days after harvest for the F2:4 progenies. The grains of 20 F2:3 progenies selected 30 days after harvest (10 progenies with the highest mean score for darkening and 10 progenies with the lowest mean score) were also evaluated in relation to tannin concentration and cooking time. Based on heritability estimates, it can be inferred that late darkening is easily selected. Although the estimates of heritability for the darkening score tend to increase with grain storage time, there was no interaction for progenies x evaluation time period. Screening for the late darkening trait can be performed as of 30 days after harvest. Grains with late darkening have lower tannin concentration and require less cooking time. Genetic correlation between grain yield and grain darkening, however, was practically zero, implying that selection for late darkening can be performed as of the F2:3 generation with no effect on the success of selection for grain yield in future generations. Darkening scores are influenced by the environments/growing seasons and generations; but the interaction progenies x environments and progenies x generations is predominantly simple and does not significantly change classification of the progenies.
metadata.teses.dc.description: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Genética e Melhoramento de Plantas, área de concentração em Genética e Melhoramento de Plantas, para a obtenção do título de Mestre.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1180
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DBI - Genética e Melhoramento de Plantas - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_Seleção de linhagens de feijoeiro com escurecimento tardio dos grãos.pdf437,83 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.