Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DBI - Departamento de Biologia >
DBI - Programa de Pós-graduação >
DBI - Ecologia Aplicada - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/12355

Título: Estruturação da assembléia de insetos aquáticos em ambiente epígeo e hipógeo
Título Alternativo: Structuring of aquatic insect's assembly in epigean and hypogean environment
Autor(es): Martins, Vanessa Mendes
Lattes: http://lattes.cnpq.br/8534681719376303
Orientador: Ferreira, Rodrigo Lopes
Membro da banca: Sant'Anna, Eneida Maria Eskinazi
Membro da banca: Pompeu, Paulo dos Santos
Assunto: Cavernas – Ecossistema
Insetos aquáticos
Competição (Biologia)
Caves – Biotic communities
Aquatic insects
Competition (Biology)
Data de Defesa: 5-Nov-2016
Data de publicação: 23-Fev-2017
Referência: MARTINS, V. M. Estruturação da assembléia de insetos aquáticos em ambiente epígeo e hipógeo. 2017. 85 p. Dissertação (Mestrado em Ecologia Aplicada)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2016.
Resumo: A estabilidade ambiental do ambiente cavernícola, bem como a simplicidade de suas comunidades, confere a esse ambiente o status de laboratório natural. Sendo assim, esse ecossistema oferece oportunidade única para estudos ecológicos. Contudo, ainda é incipiente o conhecimento sobre a estruturação ecológica da comunidade em ambiente subterrâneo, principalmente em se tratando de organismos aquáticos. Diante disso, coletou-se com auxílio da rede surber macroinvertebrados bentônicos em um trecho hipógeo e epígeo do rio Pai João no Parque Estadual da Lapa Grande Montes Claros-MG. Os objetivos do presente estudo foram compreender como a assembleia de insetos aquáticos no ambiente cavernícola se estrutura, bem como compará-la a assembleia do epígeo, a fim de verificar diferenças entre os ambientes. Coletou-se um total de 1566 indivíduos, dos quais 1458 foram pertencentes ao epígeo, 8 na região ecotonal e 100 ao hipógeo. A menor diversidade no ambiente hipógeo se deu pelas inúmeras restrições do ambiente cavernícola. Os organismos Hexacylloepus sp. e Heterelmis sp. evitaram a sobreposição de nicho por meio da diferenciação do tamanho corporal e preferências ambientais no ambiente cavernícola. Contudo, no ambiente epígeo Hexacylloepus sp. e Heterelmis sp. sobrepuseram o tamanho corporal, muito provavelmente por não haver competição diante da abundância de recursos tróficos. De acordo com a análise RLQ a distribuição das espécies não ocorre em função dos atributos funcionais. Contudo, a análise fourth-corner demonstrou que alguns atributos funcionais, da assembleia de insetos aquáticos, relacionaram-se significativamente às variáveis ambientais. A diversidade funcional (α) no ambiente hipógeo (38.3) foi menor que a epígea (57.8). Tais diferenças entre os ambientes epígeo e hipógeo demonstram que o ambiente cavernícola age como um filtro ambiental, reduzindo drasticamente as funções no ambiente subterrâneo. Resultados como estes demonstram que a dinâmica da assembleia de insetos aquáticos no ambiente subterrâneo é distinta do epígeo, portanto, compreender as peculiaridades do ambiente cavernícola é extremamente útil para ações de manejo e conservação destes ambientes.
Abstract: The environmental stability of the cave environment, as well as the simplicity of their communities, gives this environment the status of a natural laboratory. Therefore, this ecosystem offers a unique opportunity for ecological studies. However, knowledge about the ecological structuring of the community in the subterranean environment is still incipient, especially in the case of aquatic organisms. Therefore, benthic macroinvertebrates were collected with a surber collector in a hypogean and epigean sections of the Pai João river in the Lapa Grande State Park, Montes Claros, MG. The objectives of the present study were to understand how the assembly of aquatic insects in the cave environment is structured, as well as to compare it to the epigean assembly in order to verify differences between environments. A total of 1566 individuals were collected, of which 1458 belonged to the epigean environment, 8 in the ecotonal region and 100 to the hypogeum. The lower diversity in the hypogean environment was due to the innumerable restrictions of the cave environment. The organisms Hexacylloepus sp. and Heterelmis sp. avoided niche overlap via differentiation of body size and environmental preferences in the cave environment. However, in the epigean environment Hexacylloepus sp. and Heterelmis sp. body sizes overlap, most likely because there is no competition facing the abundance of trophic resources. According to RLQ analysis the species distribution does not occur as a function of the functional attributes. However, the fourth-corner analysis demonstrated that some functional attributes of the aquatic insect assembly were significantly related to environmental variables. Functional diversity (α) in the hypogean environment (38.3) was lower than in the epigean (57.8). Such differences between the epigean and hypogean environments demonstrate that the cave environment acts as an environmental filter, drastically reducing functions in the subterranean environment. Results such as these demonstrate that the dynamics of the aquatic insect assembly in the subterranean environment is distinct from the epigean, so understanding the peculiarities of the cave environment is extremely useful for mitigation and conservation actions of these environments.
Informações adicionais: Arquivo retido, a pedido da autora, até fevereiro de 2018.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/12355
Publicador: Universidade Federal de Lavras
Idioma: por
Aparece nas coleções: DBI - Ecologia Aplicada - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Não há arquivos associados para este Item.

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback