Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/12370
Título : Melanoma amelanótico em cães: estudo retrospectivo de 35 casos (2004-2010) e caracterização imuno-histoquímica
Título(s) alternativo(s): Amelanotic melanoma in dogs: a retrospective study of 35 cases (2004-2010) and immunohistochemical characterization
Autor: Rolim, Veronica M.
Casagrande, Renata A.
Watanabe, Tatiane T.
Wouters, Angelica T.
Wouters, Flademir
Sonne, Luciana
Driemeier, David
Palavras-chave: Melanoma amelanótico
Tumores melanocíticos
Imuno-histoquímica
Cães - Doenças
Amelanotic melanoma
Melanocytic tumor
Immunohistochemistry
Dogs - Diseases
Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA
Data da publicação: Abr-2012
Referência: ROLIM, V. M. et al. Melanoma amelanótico em cães: estudo retrospectivo de 35 casos (2004-2010) e caracterização imuno-histoquímica. Pesquisa Veterinária Brasileira, Rio de Janeiro, v. 32, n. 4, p. 340-346, abr. 2012.
Resumo : Melanomas são tumores agressivos de melanócitos que ocorrem principalmente na cavidade oral, nas junções mucocutâneas e na pele de cães. Este tipo de neoplasma pode apresentar diversos graus de pigmentação melânica, incluindo total ausência (melanomas amelanóticos [MA]). Os arquivos de biópsia do SPV-UFRGS, que compreendem o período de 2004 a 2010, foram revisados e levantados os casos de neoplasias melanocíticas em cães. Realizou-se estudo retrospectivo de 35 casos de MA e caracterização pela imuno-histoquímica (IHQ). As principais raças acometidas foram o Poodle, Dachshund e Cocker Spaniel, mas o maior número de casos foi observado em cães sem raça definida (SRD). A idade média desses cães foi de 10,7 anos (variação de 5 a 18 anos) e não houve predileção por sexo. As principais localizações incluíram cavidade oral (57,1%) e dígitos (17,1%). Histologicamente, 40% dos MA foram classificados como epitelioides, 34,3% como mistos e 25,7% como fusiformes. Na avaliação IHQ, 86,6% dos casos foram positivos para a vimentina, 70% para a proteína S-100 e 56,6% para o melan-A. Os resultados obtidos neste trabalho possibilitam concluir que os cães com MA caracterizavam-se por serem velhos. A forma celular mais observada foi a epitelioide. Devido a pouca diferenciação desses tumores, ressalta-se a importância da realização do painel imuno-histoquímico, sobretudo da proteína S-100, que apresentou melhor marcação que o melan-A.
Abstract: Melanomas are aggressive tumors of melanocytes. They are common in dogs and involve mainly the oral cavity, mucocutaneous junction, and skin. Furthermore, these tumors could be highly pigmented or lack pigment. The biopsies archives from SPV-UFRGS, 2004 to 2010, were retrieved and melanocytic neoplasms in dogs were revised. A retrospective study of 35 cases of amelanotic melanomas (AM) was performed, also immunohistochemistry (IHC) characterization was evaluated. The dogs more affected were mixed breed followed by Poodle, Dachshund and Cocker Spaniel. The average age of the dogs was 10.7 years (5-18 years in age) and there was no sex predilection. The locations of the neoplasms were the oral cavity (57.1%) and digits (17.1%). Histologically, 40% were classified as epithelioid, 34.3% mixed and 25.7% spindle. The positive immunostaining for vimentin, S-100 protein and melan-A were 86.6%, 70%, and 56.6% respectively. These results indicated the most affected dogs with AM were elderly. Epiteliod classification was the most observed histologically. It is important to perform IHC, due to lacking of differentiation of AM, mainly, anti S-100 protein that showed to be the best option of positive marker, even better to Melan-A.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/12370
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DMV - Artigos publicados em periódicos



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons