Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DCF - Departamento de Ciências Florestais >
DCF - Programa de Pós-graduação >
DCF - Engenharia Florestal - Doutorado (Teses) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/12427

Título: African mahogany plantations: modeling growth and yield in Brazil
Autor(es): Ribeiro, Andressa
Lattes: http://lattes.cnpq.br/7547751010931437
Orientador: Scolforo, José Roberto Soares
Coorientador: Ferraz Filho, Antônio Carlos
Membro da banca: Assis, Adriana Leandra de
Membro da banca: Acerbi Júnior, Fausto Weimar
Membro da banca: Arce, Julio Eduardo
Membro da banca: Amaral, Lucas Gomide do
Assunto: Plantio florestal
Manejo florestal
Modelagem estatística
Forest plantation
Forest management
Statistical modelling
Data de Defesa: 16-Fev-2017
Data de publicação: 6-Mar-2017
Agência de Fomento: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: RIBEIRO, A. African mahogany plantations: modeling growth and yield in Brazil. 2017. 165 p. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2017.
Resumo: A Khaya ivorensis A. Chev. é uma espécie de origem africana e de cultivo recente no Brasil, não existindo até o presente, dados abrangentes sobre as tendências de crescimento da mesma. A decisão para a implantação de uma floresta leva em consideração diversos aspectos, dentre eles, a viabilidade econômica. Porém, para alcançar tal viabilidade, há a necessidade de desenvolver modelos que forneçam estimativas do crescimento futuro do povoamanto, a fim de compor um sistema de prognose para definir as melhores técnicas silviculturais. Portanto, a modelagem do crescimento e produção é crucial para atender os objetivos e a lucratividade almejada pelos gestores florestais. O presente trabalho propõe estudos referentes ao manejo florestal da espécie, ainda escassos na literatura. Os dados utilizados são provenientes de plantios instalados em diferentes regiões brasileiras. Os plantios utilizam espaçamento variando de 4x5 a 12x12 metros, com idades de 1,1 até 15 anos, a maioria com mensurações anuais iniciadas no ano de 2010. A primeira parte do trabalho é composta por um referencial teórico sobre o estado da arte da modelagem estatística nas ciências florestais e uma breve descrição sobre análise financeira. A segunda parte é composta por um artigo de revisão que discorre sobre o cultivo do mogno africano no Brasil e em outras partes do mundo. Um segundo artigo sobre modelagem hipsométrica, em que foram avaliados modelos matemáticos, sob diferentes métodos de ajuste, a fim de selecionar uma equação para predição da altura em plantios de mogno africano. Os resultados mostraram que o uso da modelagem mista com a correção da heterogeneidade de variância na regressão foi a melhor equação para estimativa da altura. O terceiro artigo aborda a avaliação de modelos de crescimento em altura dominante comparando modelos dinâmicos invariantes com a idade padrão e modelos estáticos (método da curva guia) para a classificação de sítio. O modelo de Lundqvist-Korf com o método da curva guia se mostrou eficaz, sendo recomendado para a classificação de sítios e para a predição de altura dominante em povoamentos de mogno africano. A amplitude dos índices de sítio, na idade de referência de 15 anos, foi de 17 a 33 metros. O quarto artigo se refere a um sistema de equações desenvolvidas para prognose do crescimento e produção do mogno africano por classe diamétrica, em que o método da recuperação de parâmetros foi utilizado , em conjunto à função de densidade de probabilidade de Weibull, para estimativa do volume e da área basal. E, por fim, o quinto artigo trata da análise financeira da implantação do mogno africano no Brasil, avaliando três situações de manejo (sem desbate, um desbaste ou dois desbastes) e os riscos envolvidos na atividade, bem como o reflexo destes no valor presente líquido (VPL) do empreendimento para as cinco classes de produtividade.
Abstract: Khaya ivorensis A. Chev. is a species of African origin and of recent cultivation in Brazil, not existing to date published data on the growth trends for the species. The analysis of a forestry project takes into account different types of feasibility criteria for implementation or not of the project, including the economic feasibility. But to evaluate this viability there is a need to develop models that provide estimates of the future growth of a forest in order to define the best silvicultural techniques. Therefore, the modeling of growth and yield is crucial to meet the planned objectives and the consequent profitability desired by forest managers. The present work proposes studies regarding the forest management of the species, still scarce in the literature. The data used come from commercial plantations installed in different Brazilian regions, mostly in the state of Minas Gerais. The plantations use spacing ranging from 4x5 to 12x12 meters, with ages ranging from 1.1 to 15 years, most with annual measurements starting in the year 2010. The first part of the work is composed of a theoretical reference on the state of the art of statistical modeling in the forest sciences and a brief description of financial analysis. The second part is composed of the research papers of this thesis. The first is a review article on the cultivation of African mahogany in Brazil and other parts of the world. A second article is about hypsometric modeling, in which mathematical models were evaluated under different fitting methods in order to select an equation for height prediction for African mahogany plantations. The third article was the evaluation of dominant height growth models comparing invariant dynamic models with standard age and static models (guide curve method) for site classification. The Lundqvist-Korf model with the guide curve method was efficient and recommended for site classification and prediction of dominant height in African mahogany stands. The amplitude of site indexes, at the reference age of 15 years, was 17 to 33 meters. The fourth article refers to a system of equations developed for the prognosis of growth and production of African mahogany by diameter class, in which the parameter recovery method was used with the Weibull probability density function to estimate volume and basal area. Finally, the fifth article deals with the financial analysis of the implantation and growing of African mahogany in the state of Minas Gerais, evaluating three management situations (no thinning, one thinning or two thinnings), the risks involved in the activity and their reflection in the net present value (NPV) of the enterprise for the five productivity classes.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/12427
Publicador: Universidade Federal de Lavras
Idioma: eng
Aparece nas coleções: DCF - Engenharia Florestal - Doutorado (Teses)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
TESE_African mahogany plantations - modeling growth and yield in Brazil.pdf4,21 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback