Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DMV - Departamento de Medicina Veterinária >
DMV - Programa de Pós-graduação >
DMV - Ciências Veterinárias - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/12747

Título: Disfunção miocárdica sistólica pela ecocardiografia feature tracking bidimensional em cães naturalmente infectados por parvovírus
Título Alternativo: Sistolyc myocardial disfunction by bidimensional feature tracking echocardiography in naturally infected dogs with parvovirus
Autor(es): Abreu, Claudine Botelho de
Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4677678T2
Orientador: Muzzi, Ruthnea Aparecida Lázaro
Coorientador: Hirsh, Christian
Coorientador: Nogueira, Rodrigo Bernardes
Membro da banca: Muzzi, Leonardo Augusto Lopes
Membro da banca: Nogueira, Rodrigo Bernardes
Membro da banca: Oliveira, Maira Souza
Assunto: Cão – Doenças
Cão – Ecocardiografia
Parvovirus
Dogs – Diseases
Dogs – Echocardiography
Data de Defesa: 21-Fev-2017
Data de publicação: 19-Abr-2017
Agência de Fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: ABREU, C. B. de. Disfunção miocárdica sistólica pela ecocardiografia feature tracking bidimensional em cães naturalmente infectados por parvovírus. 2017. 65 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2017.
Resumo: O parvovírus infecta células com alta atividade mitótica, como enterócitos, tecidos linfoides, medula óssea e, ocasionalmente, o miocárdio de filhotes. A miocardite por parvovírus também pode ser secundária à sepse, já que esse quadro muitas vezes leva à disfunção miocárdica. As técnicas ecocardiográficas convencionais, utilizadas rotineiramente como exame não invasivo para avaliação da função miocárdica, são subjetivas e semiquantitativas. O presente trabalho avaliou a disfunção miocárdica sistólica em cães naturalmente infectados por parvovírus utilizando ecocardiografia feature tracking bidimensional. Foram avaliados 37 cães, divididos em grupo não infectado (n=9), grupo infectado sem sepse (n=15) e grupo infectado com sepse (n=13). Os valores de strain e strain rate global e de seis segmentos miocárdicos nos sentidos radial, circunferencial e longitudinal foram obtidos nos cortes paraesternal direito transversal (eixo curto) e apical quatro câmaras no ventrículo esquerdo. O strain e strain rate circunferencial e longitudinal ainda foram obtidos nos planos endocárdico e epicárdico. De forma geral, a média de strain e strain rate global, endocárdico, epicárdico e dos segmentos foi significativamente maior no grupo não infectado que nos grupos infectados; no grupo sepse foi significativamente menor que no grupo sem sepse. Os segmentos comumente acometidos em ambos os grupos infectados foram o septal mediano endocárdico e laterais basal e mediano. Não houve alteração nas variáveis ecocardiográficas convencionais. Na avaliação intraobservador, a variabilidade foi baixa para todas as variáveis de strain e strain rate, e na interobservador, foi baixa para circunferencial, moderada para radial e alta para longitudinal. Dessa maneira, conclui-se que (1) a infecção por parvovírus em cães causa disfunção sistólica, sendo em maior extensão nos animais com sepse, e com provável início nas regiões septal endocárdica mediana e laterais basal e mediana; e que (2) a ecocardiografia feature tracking é mais sensível e precoce que a convencional na determinação de disfunção sistólica.
Abstract: Parvovirus infects cells with high mitotic activity, such as enterocytes, lymphoid tissues, bone marrow, and occasionally the myocardium of pups. Parvovirus myocarditis may also be secondary to sepsis, since this condition often leads to myocardial dysfunction. Conventional echocardiographic techniques, routinely used as a noninvasive examination for the evaluation of myocardial function, are subjective and semiquantitative. The present study evaluated systolic myocardial dysfunction in dogs naturally infected with parvovirus using two-dimensional feature tracking echocardiography. Thirty-seven dogs were evaluated, divided into non-infected group (n = 9), infected group without sepsis (n = 15) and group infected with sepsis (n = 13). The values of global strain and strain rate and of six myocardial segments in the radial, circumferential and longitudinal directions were obtained in the transverse right parasternal (short axis) and apical four chambers in the left ventricle. Circumferential and longitudinal strain and strain rate were still obtained at endocardial and epicardial levels. In general, mean of global, endocardial, epicardial and overall segments strain and strain rate was statistically higher in the non-infected group than in infected groups; in the sepsis group was statistically lower than in the group without sepsis. The segments commonly affected in both infected groups were endocardial middle septal, and basal and middle laterals. There are no changes in the conventional echocardiographic variables. In the intraobserver evaluation, the variability was low for all variables of strain and strain rate, and in the interobserver, low for circumferential, moderate for radial and high for longitudinal. It is concluded that (1) parvovirus infection in dogs causes systolic dysfunction, being greater extent in animals with sepsis, and with probable onset in the endocardial middle septal, basal and middle lateral regions; and (2) feature tracking echocardiography is more sensitive and precocious than conventional echocardiography in determining systolic dysfunction.
Informações adicionais: Arquivo retido, a pedido da autora, até abril de 2018.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/12747
Publicador: Universidade Federal de Lavras
Idioma: por
Aparece nas coleções: DMV - Ciências Veterinárias - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Não há arquivos associados para este Item.

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback