Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/13061
Título: Triagem fitoquímica, atividade antioxidante, alelopática e ação no ciclo celular dos extratos de hortaliças não convencionais
Título(s) alternativo(s): Phytochemical screening, antioxidant activity, allelopathy and action in the cellular cycle of unconventional vegetables extracts
Autor : Carvalho, Marcos Schleiden Sousa
Primeiro orientador: Resende, Luciane Vilela
Primeiro membro da banca: Cardoso, Maria das Graças
Segundo membro da banca: Gomes, Luiz Antônio Augusto
Terceiro membro da banca: Gonçalves, Wilson Magela
Quarto membro da banca: Gomes, Marcos de Souza
Palavras-chave: Hortaliças – Alelopatia
Hortaliças – Fitoquímica
Hortaliça não convencional
Citogenética
Vegetables – Allelopathy
Vegetables – Phytochemistry
Unconvencional vegetables
Cytogenetics
Data da publicação: 29-Mai-2017
Agência(s) de fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: CARVALHO, M. S. S. Triagem fitoquímica, atividade antioxidante, alelopática e ação no ciclo celular dos extratos de hortaliças não convencionais. 2017. 85 p. Tese (Doutorado em Agronomia/Fitotecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2017.
Resumo: Hortaliças não convencionais são plantas que, com distribuição limitada à determinada região, não fazem parte de uma cadeia produtiva à semelhança das hortaliças convencionais. Existem várias famílias de plantas que constituem as hortaliças não convencionais. Como exemplo cita-se a família Amaranthaceae, conhecida popularmente como caruru, tida como planta invasora de lavouras. Além dessas, existem outras hortaliças não convencionais que são da família Solanaceae, Tropaeolaceae, Lamiaceae, dentre outros. Os objetivos deste trabalho foram realizar a triagem fitoquímica, avaliar o potencial antioxidante de hortaliças não convencionais, e verificar a ação alelopática e o ciclo celular dos extratos dessas plantas. Na triagem fitoquímica, realizaram-se testes convencionais para verificar a presença de metabólitos secundários utilizando-se as seguintes espécies: Rumex acetosa L., Tropaeolum majus L., Amaranthus hybridus L., Amaranthus viridis L., Amaranthus pinosus L., Amaranthus deflexus L., Stachys byzantina K. Koch, Solanum muricatum e Solanum betaceum Cav. A atividade alelopática foi avaliada, usando as cinco espécies de Amaranthus. Na triagem fitoquímica, as cinco espécies de hortaliças não convencionais apresentaram resultados positivos para taninos, sesquiterpenlactonas e outras lactonas; os testes foram positivos para azedinha (Rumex acetosa L.) e capuchinha (Tropaeolum majus L.). Observou-se que para os esteroides as espécies tomate de árvore (Solanum betaceum Cav.) e melãozinho (Solanum muricatum) deram resultados negativos. Em relação aos flavonoides, constataram-se resultados positivos apenas para o tomate de árvore (Solanum betaceum Cav). Para os demais testes, os resultados foram negativos. Os extratos de A. spinosum, A. viridis, A. deflexus, A. hybridus e A. retroflexus apresentaram reações positivas para ácido orgânico, carotenoides e esteroides, além de polissacarídeos, proteínas e aminoácidos, azulenos, depsídeos, cumarinas e saponinas. A porcentagem de atividade antioxidante pelos métodos de sequestro de radical ABTS e DPPH, para as cinco espécies estudadas, aumentou de acordo com o aumento da concentração, apresentando assim um efeito dose-dependente. Pelo método do complexo fosfomolibdênio, as espécies T. majus L. e S. byzantina K. Koch apresentaram maior atividade antioxidante. Das cinco espécies de hortaliças avaliadas, a espécie peixinho (S. byzantina K. Koch) foi a que apresentou uma atividade antioxidante em todos os métodos avaliados. O efeito sinergístico desses metabólitos apresentou atividade alelopática no modelo L. sativa com fitotoxicidade expressiva, atuando, principalmente na ligação dos cromossomos com o fuso mitótico, impedindo a divisão celular. A espécie A. spinosum, que apresentou resultados positivos para todas as classes de compostos químicos observadas nos extratos, mostrou-se a espécie mais promissora para futuras investigações sobre a possibilidade de criação de bio-herbicidas a partir dos compostos isolados no seu extrato.
Abstract: Unconventional vegetables are not a part of a production chain similar to conventional vegetables due to their limited distribution to a certain region. There are many plant families of unconventional vegetables. As an example, there is the Amaranthaceae family, popularly known as Caruru, as considered an invasive plant to crops. In addition to these, there are also the Solanaceae, Tropaeolaceae, Lamiaceae and other non-conventional vegetable families. The objectives of this work were to conduct a phytochemical triage, evaluate the antioxidant potential of unconventional vegetables, and verify the allelopathy action and cellular cycle of the extract obtained from these plants. In the phytochemical triage, conventional tests were conducted to verify the presence of secondary metabolites in the following species: Rumex acetosa L., Tropaeolum majus L., Amaranthus hybridus L., Amaranthus viridis L., Amaranthus pinosus L., Amaranthus deflexus L., Stachys byzantine K. Koch, Solanum muricatum and Solamun betaceum Cav. The allelopathy activity was evaluated using the five Amaranthus species. In the phytochemical triage, the five species of unconventional vegetables presented positive results for tannins, sesquiterpen lactones and other lactones; the tests were positive for azedinha (Rumex acetosa L.) and capuchinha (Tropaeolum majus L.). Negative results were verified for the species of tomate de árvore (Solanum betaceum Cav.) and melãozinho (Solanum muricatum). Regarding the flavonoids, positive results were obtained only for tomate de árvore (Solanum betacum). For the remaining tests, the results were negative. The extracts obtained from A. spinosum, A. viridis, A. deflexus, A. hybridus and A. retroflexus presented positive reactions to organic acid, carotenoids and steroids, as well as polysaccharides, proteins, amino acids, azulenes, depsides, coumarines and saponins. The percentage of antioxidant activity, verified using the ABTS and DPPH free-radical scavenging methods, for the five species studied, increased according to the increase in concentration, thus presenting a dose-dependent effect. By means of the phosphomolybdenum complex method, species T. majus L. and S. byzantine K. Koch presented higher antioxidant activity. Of the five species evaluated, peixinho (S. byzantine K. Koch) presented antioxidant activity for all methods. The synergistic effect of these metabolites presented allelopathy activity for the L. sativa model, with expressive phytotoxicity, acting, especially in the chromosomal bondage with the mitotic spindle, preventing cell division. Species A. spinosum, which presented positive results for all classes of chemical compounds verified in the extracts, was the most promising for future investigation on the possibility of creating a bio-herbicide from compounds isolated from its extract.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/13061
Publicador: Universidade Federal de Lavras
Idioma: por
Aparece nas coleções:DAG - Agronomia/Fitotecnia - Doutorado (Teses)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE_Triagem fitoquímica, atividade antioxidante, alelopática e ação....pdf1,51 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.