Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DEN - Departamento de Entomologia >
DEN - Programa de Pós-graduação >
DEN - Entomologia - Doutorado (Teses) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/13255

Título: Aspectos bioecológicos de Chrysoperla externa (Hagen, 1861) alimentada com o pulgão Rodobium porosum (Sanderson, 1900) e interação com plantas atrativas em cultivo de roseira
Título Alternativo: Bioecological aspects of Chrysoperla externa (Hagen, 1861) fed with the aphid Rhodobium porosum (Sanderson, 1900) and interaction with attractive plants in rosebush cultivation
Autor(es): Abreu, Fernanda Aparecida
Lattes: http://lattes.cnpq.br/0367439484706870
Orientador: Carvalho, César Freire
Membro da banca: Cividanes, Francisco Jorge
Membro da banca: Carvalho, Lívia Mendes de
Membro da banca: Silva, Rogério Antônio
Membro da banca: Cividanes, Terezinha Monteiro dos Santos
Assunto: Casa de vegetação
Controle biológico conservativo
Interação tritrófica
Rosa – Doenças e pragas
Greenhouse
Conservative biological control
Tritrophic interaction
Rose – Diseases and pests
Data de Defesa: 24-Abr-2017
Data de publicação: 22-Jun-2017
Agência de Fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: ABREU, F. A. Aspectos bioecológicos de Chrysoperla externa (Hagen, 1861) alimentada com o pulgão Rodobium porosum (Sanderson, 1900) e interação com plantas atrativas em cultivo de roseira. 2017. 112 p. Tese (Doutorado em Entomologia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2017.
Resumo: Chrysoperla externa (Chrysopidae) é um dos inimigos naturais do pulgão Rhodobium posorum (Aphididae) em roseira. As plantas atrativas podem abrigar predadores e parasitoides que irão controlar as pragas. O conhecimento das interações que ocorrem no sistema roseira pulgão-plantas atrativas é de importância ao visara utilização desse predador em programas de controle biológico. Esse trabalho teve por objetivo avaliar o s aspectos biorcológicosde C. externa no sistema tritrófico que incluiu a roseira, o pulgão R. porosum e as plantas atrativas: cravo (Tagetes erecta L., Asteraceae), manjericão (Ocimum basilicum L. Lamiaceae) e calêndula (Calendula officinalis L. Asteraceae), em laboratório e em casa de vegetação. No capítulo 1 avaliou-se o desenvolvimento, a reprodução, bem como a tabela de vida de fertilidade de C. externa alimentada com o pulgão R. porosum. Esse pulgão foi um alimento adequado para o desenvolvimento e a reprodução de C. externa. No capítulo 2 avaliou-se, em laboratório, a resposta olfativa de C. externa aos voláteis de roseira e plantas atrativas (cravo, manjericão e calêndula), na presença ou ausência do pulgão e em casa de vegetação, avaliou se o comportamento de oviposição de C. externa no sistema tritrófico que incluiu roseira, pulgão e plantas atrativas (cravo, manjericão e calêndula). O manjericão foi a planta que apresentou maior atratividade para C. externa (χ²= 9,2564; df= 1; P< 0,05), com 74,3% de atratividade. A presença da roseira não afetou a preferência de oviposição de C. externa. Houve maior porcentagem de ovos de C. externa (100%) no manjericão usado como planta atrativa associada à roseira. Os voláteis liberados pelo manjericão foram atrativos a C. externa, indicando que o uso de plantacomo um componente de diversificação pode ser benéfico para a atração e manutenção de populações desse predador. No capítulo 3 foi avaliado o efeito do manjericão (O. basilicum) como planta atrativa e de liberações de C. externa no controle biológico de pragas em roseira em casa de vegetação , comparado ao controle convencional (químico). A maior abundância de espécimes coletados foi no cultivo diversificado (2.222 espécimes). Na roseira convencional a maioria dos indivíduos coletados foi de espécies fitófagas. No cultivo diversificado o número de insetos predadores encontrados foi maior, comparado à roseira convencional. O manjericão atraiu grande diversidade de inimigos naturais, causando efeito positivo no controle de pragas na roseira. A produção e a qualidade das rosas colhidas não foram afetadas pelos tratamentos avaliados. A combinação do uso do manjericão como planta atrativa e de liberações de crisopídeos favorece o controle biológico no cultivo de roseira.
Abstract: Chrysoperla externa (Chrysopidae) is one of the natural enemies of the aphid Rhodobium posorum (Aphididae) in rosebush. Attractive plants can house predators and parasitoids that will control pests. The knowledge of the interactions that occur in the rosebush/aphid/attractive plant s system is important to the use of this predator in biological control programs. The objective of this research was to evaluate the bioecological aspects of C. externa in the tritrophic system, including rosebush, R. porosum aphid and the attractive plants: African marigold (Tagetes erecta L., Asteraceae), basil (Ocimum basilicum L. Lamiaceae) and marigold (Calendula officinalis L. Asteraceae), in laboratory and in greenhouse. In chapter 1, it was evaluated the development, reproduction, as well as the fertility life table of C. externa fed with the R. porosum aphid. This aphid was an adequate food for the development and reproduction of C. externa. In Chapter 2, the olfactory response of C. externa to volatiles of rosebush and attractive plants (African ma rigold, basil and marigold) was evaluated in the laboratory, in the presence or absence of the aphid and, in the greenhouse, it was evaluated the oviposition behavior of C. externa in the tritrophic system that included rosebush, aphids and attractive plants (African marigold, basil and marigold). Basil was the most attractive for C. externa (χ² = 9.2564; df = 1; P<0.05), with 74.3% of attractiveness. The presence of the rosebush did not affect the oviposition preference of C. externa. There was a higher percentage of C. externa eggs (100%) in the basil used as an attractive plant associated with the rosebush. The volatiles released by basil were attractive to C. externa, indicating that the use of plant as a component of diversification may be beneficial for the attraction and maintenance of populations of this predator. In Chapter 3, it was evaluated the effect of basil (O. basilicum) as an attractive plant and of releases of C. externa on the biological control of rosebush pest in a greenhouse, compared to the conventional (chemical) control. The greatest abundance of specimens collected was in the diversified culture (2,222 specimens). In the conventional rosebush, most of the individuals collected were of phytophagous species. In the diversified cultivation, the number of predatory insects found was higher, compared to the conventional rosebush. Basil attracted great diversity of natural enemies, causing a positive effect on pest control in the rosebush. The yield and quality of the harvested roses were not affected by the evaluated treatments. The combination of the use of basil as an attractive plant and the release of chrysopids favors the biological control of rosebush cultivation.
Informações adicionais: Arquivo retido, a pedido da autora, até junho de 2018.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/13255
Publicador: Universidade Federal de Lavras
Idioma: por
Aparece nas coleções: DEN - Entomologia - Doutorado (Teses)

Arquivos neste Item:

Não há arquivos associados para este Item.

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback