Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DAG - Departamento de Agricultura >
DAG - Programa de Pós-graduação >
DAG - Agronomia/Fitotecnia - Doutorado (Teses) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1670

Title: Termotolerância na germinação e no armazenamento de sementes de alface
???metadata.dc.creator???: Catão, Hugo Cesar Rodrigues Moreira
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Gomes, Luiz Antônio Augusto
???metadata.dc.contributor.referee1???: Souza, Rovilson José de
Guimarães, Renato Mendes
Silva, Ernani Clarete da
Rosa, Sttela Dellyzete Veiga Franco da
???metadata.dc.description.concentration???: Produção Vegetal
Keywords: Lactuca sativa
Dormência
Temperatura
Dormancy
Temperature
???metadata.dc.date.submitted???: 5-Nov-2013
Issue Date: 2014
???metadata.dc.description.sponsorship???: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ)
Citation: CATÃO, H. C. R. M. Termotolerância na germinação e no armazenamento de sementes de alface. 2013. 91 p. Dissertação (Mestrado em Agronomia/Fitotecnia) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2013.
???metadata.dc.description.resumo???: A alface é uma espécie de grande importância econômica e social, sendo cultivada e consumida em várias regiões do mundo. Seu cultivo é realizado com a utilização de sementes, para isso, se faz necessário, sementes de alta qualidade fisiológica. No entanto, sementes de alface apresentam sensibilidade às altas temperaturas, com manifestação de dormência sob tal condição. A dormência de sementes de alface é controlada pelo genótipo, mas sempre associada a fatores ambientais tal como a temperatura e fatores físicos como a espessura do tegumento. Em altas temperaturas a germinação é reduzida ou nula, podendo ocorrer alterações fisiológicas e nos padrões proteicos e/ou enzimáticos. Mesmo com avanços nas pesquisas, a dormência em sementes de alface ainda não é um processo bem esclarecido, não se sabe se esta é adquirida somente na germinação ou também, se pode ser imposta pela temperatura elevada durante o armazenamento. Logo, objetivou-se com o presente trabalho avaliar mudanças fisiológicas e bioquímicas em sementes de alface associadas à germinação e ao armazenamento em temperaturas elevadas. Nos experimentos foram utilizadas sementes de alface das cultivares Everglades, Babá de Verão, Elisa, Luiza, Grand Rapids, Hortência, Salinas 88 e Rubete. No primeiro experimento foi investigada a associação entre a tolerância às altas temperaturas de germinação e os padrões eletroforéticos de proteínas tolerantes ao calor e a atividade da enzima endo-β-mananase. Conclui-se que, sob temperatura de 35 ºC, a maior percentagem de germinação é observada na cultivar Everglades, portanto, considerada como termotolerante; os padrões de proteínas tolerantes ao calor em sementes de alface apresentam bandas específicas na cultivar Everglades na temperatura de 35 ºC; a atividade da enzima endo-β-mananase é maior na cultivar Everglades na temperatura de 35 ºC. No segundo experimento verificou-se a influência dos períodos e dos ambientes de armazenamento na qualidade e dormência de sementes de diferentes cultivares de alface, bem como alterações na atividade enzimática. Conclui-se que, o período de armazenamento, de até 120 dias, não tem influência na viabilidade e vigor de sementes de alface quando armazenadas na temperatura de 15 oC; as sementes de alface armazenadas em ambientes com temperatura superior a 25 oC não toleram o armazenamento a partir de 60 dias o que compromete a germinação e o vigor; a cultivar Everglades é tolerante à condição de germinação a 35 oC e mantém sua qualidade ao longo do armazenamento, de até 120 dias, em temperatura de 15 ºC; a temperatura elevada induz à termodormência em cultivares de alface durante o armazenamento, uma vez que as sementes não germinadas estavam viáveis; ocorrem alterações enzimáticas em sementes de alface armazenadas em altas temperaturas devido à deterioração.
Lettuce is a species of great economic and social importance, being cultivated and consumed in various regions of the world. Its cultivation is performed with the use of seed for this it is necessary, seed physiological quality. However, lettuce seeds are insensitive to high temperatures, with such manifestations of numbness under condition. The dormancy of lettuce seeds is controlled by genotype, but always associated with environmental factors such as temperature and physical factors such as the thickness of the integument. At high temperatures germination is low or absent, and the physiological protein and / or enzymatic patterns changes may occur. Even with advances in research, dormancy in lettuce seeds is a process not yet fully understood, it is unclear whether this is gained only in germination or also can be imposed by the high temperature during storage. Therefore, the objective of this work was to evaluate the physiological and biochemical changes associated with lettuce seed germination and storage at elevated temperatures. In experiments seeds of lettuce cultivars Everglades, Nanny Summer, Elisa, Luiza, Grand Rapids, Hortência, Salinas 88 and Rubete were used. In the first experiment we investigated the association between tolerance to high temperatures for germination and electrophoretic patterns of proteins and heat tolerant endo-β-mannanase activity. We conclude that, at temperature of 35 ºC, the highest percentage of germination is observed in cultivar Everglades therefore considered thermotolerant; patterns of heat tolerant proteins in lettuce seeds have specific bands in farming Everglades at 35 ºC, the activity endo-β-mannanase also higher in the Everglades at 35 ºC. In the second experiment we verified the influence of periods and storage environments in quality and dormancy of seeds of different lettuce cultivars, as well as changes in enzyme activity. It is concluded that the storage period of 120 days, has no influence on viability and vigor of lettuce seeds when stored at a temperature of 15 ºC; lettuce seeds stored in ambient temperatures exceeding 25ºC not tolerate storage from 60 days which hinders germination and vigor; cultivating Everglades is tolerant to the condition of germination at 35 ºC and maintains its quality during storage, up to 120 days at 15 ºC, the high temperature induces thermodormancy cultivars lettuce during storage, since the non-germinated seeds were viable , enzymatic changes in lettuce seeds stored at high temperatures due to deterioration occurs.
Description: Tese apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitotecnia, área de concentração em Produção Vegetal, para a obtenção do título de Doutor.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1670
Publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
???metadata.dc.language???: pt_BR
Appears in Collections:DAG - Agronomia/Fitotecnia - Doutorado (Teses)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
TESE_Termotolerância na germinação e no armazenamento de sementes de alface.pdf1.77 MBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.


View Statistics

 


DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback