Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DFP - Departamento de Fitopatologia >
DFP - Programa de Pós-graduação >
DFP - Agronomia/Fitopatologia - Doutorado (Teses) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1715

Título: Transmission, colonization and molecular detection of Fusarium oxysporum f. sp. phaseoli in common bean seeds
Título Alternativo: Transmissão, colonização e detecção molecular de Fusarium oxysporum f. sp. phaseoli em sementes de feijão
Autor(es): Munkvold, Gary P.
Machado, José da Cruz
Menten, José Otávio Machado
Cardoso, Patrícia Gomes
Figueira, Antônia dos Reis
Alves, Eduardo
Assunto: Fusarium wilt
Green fluorescent protein
Real-time PCR
Seed pathology
Phaseolus vulgaris
Murcha de fusarium
Proteína fluorescente verde
Patologia de semente
PCR em tempo real
Data de publicação: 2014
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Referência: SOUSA, M. V. de. Transmission, colonization and molecular detection of Fusarium oxysporum f. sp. phaseoli in common bean seeds. 2013. 119 p. p. Tese (Doutorado em Agronomia/Fitopatologia) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2013.
Resumo: O feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) é uma cultura de grande importância econômica e social no Brasil por ser uma das dietas básicas da população brasileira. Diversas doenças ocorrem nessa cultura, causando perdas na produção e/ou reduzindo a qualidade das sementes, como é o caso da murcha de fusarium, cujo agente etiológico é Fusarium oxysporum f. sp. phaseoli (Fop). Esse organismo pode ser disseminado por sementes e é classificado como Praga Não Quarentenária Regulamentada no Brasil. Os métodos conhecidos para sua detecção e identificação em sementes são o blotter test e o meio semiseletivo, ambos seguidos pelo teste de patogenicidade. Objetivou-se, neste estudo, ampliar os conhecimentos na transmissão de Fop por sementes de feijão, assim como investigar a interação entre Fop, em sementes infectadas por meio da técnica de GFP, associada à microscopia eletrônica de varredura, além de estabelecer um protocolo para sua detecção em sementes de feijão por PCR, em tempo real (qPCR). No artigo 1, as taxas de transmissão do patógeno foram testadas, a partir de sementes artificialmente e naturalmente associadas ao Fop para plantas emergidas. Dois isolados de Fop, duas cultivares de feijoeiro, duas temperaturas e quatro potenciais de inóculo foram utilizados nos testes a partir de sementes artificialmente inoculadas, com a finalidade de avaliar as plantas sintomáticas e assintomáticas. A frequência de plantas sintomáticas foi menor do que 5%, com taxas de transmissão de 100%. As taxas de transmissão de plantas assintomáticas foram 57% e 49,7%, para BRSMG Majestoso e Ouro Negro, respectivamente. Em relação às temperaturas, as taxas foram 54,4% à 20 ºC e 52,3% à 25 ºC. Para isolados de Fop, as taxas de transmissão foram 83,6% e 94,2% para FOP005 e FOP014. A taxa média no P3 foi 64,4% e, 58% no P1. A partir dos ensaios com sementes naturalmente associadas ao Fop, as taxas de transmissão foram menores do que aquelas determinadas a partir de sementes inoculadas, variando de 8,1% a 16,7%. No artigo 2, Fop foi transformado pela inserção do gene que expressa as proteínas fluorescentes verdes (GFP) e contém o gene de resistência à higromicina-B. A infecção das sementes pelo Fop transformado foi visualizada no embrião das sementes, na plúmula, e no endosperma. Grande quantidade de micélio fluorescente foi observado externamente nas raízes das plântulas de feijão, as quais apresentaram escurecimento vascular, sintoma típico da murcha de fusarium. No artigo 3, os resultados dos experimentos sobre detecção molecular de Fop, em lotes de sementes de feijão, mostraram que primers e sonda específicos, usados como parte do protocolo de qPCR neste estudo, foram viáveis para detectar Fop em sementes infectadas, com alta sensibilidade, a 0,25% de incidência do patógeno em sementes. Os ensaios com TaqMan forneceram resultados mais confiáveis, sensíveis, eficientes e rápidos do que aqueles com SYBR Green, confirmando os relatos anteriores para outros patossistemas. As análises de qPCR, a partir de sementes naturalmente associadas ao Fop, correlacionaram com os resultados obtidos em blotter test, mas estudos adicionais são necessários para otimizar a amostragem e subamostragem, nos testes de sanidade baseados em PCR.
Informações adicionais: Tese apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Agronomia, área de concentração em Fitopatologia, para a obtenção do título de Doutor.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1715
Aparece nas coleções: DFP - Agronomia/Fitopatologia - Doutorado (Teses)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
TESE_Transmission, colonization and molecular detection of Fusarium oxysporum f. sp. phaseoli in common bean seeds.pdf2,16 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback