Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DEN - Departamento de Entomologia >
DEN - Programa de Pós-graduação >
DEN - Entomologia - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1856

Título: Biologia e exigências térmicas de Aulacorthum solani (Kaltenbach), Macrosiphum euphorbiae (Thomas), Uroleucon ambrosiae (Thomas) (Hem.: Aphididae) e Praon volucre (Haliday) (Hym.: Braconidae)
Título Alternativo: Biology and thermal requirements of Aulacorthum solani (Kaltenbach), Macrosiphum euphorbiae (Thomas), Uroleucon ambrosiae (Thomas) (Hem.: Aphididae) and Praon volucre (Haliday) (Hym.: Braconidae).
Autor(es): Conti, Bruno Freitas de
Orientador: Bueno, Vanda Helena Paes
Membro da banca: Sampaio, Marcus Vinicius
Parra, José Roberto Postali
Área de concentração: Entomologia Agrícola
Assunto: Hemiptera
Hymenoptera
Desenvolvimento
Tabela de vida de fertilidade
Controle biológico
Pulgão
Parasitóide
Hemiptera
Hymenoptera
Development
Life table of fertility
Biological control
Aphids
Parasitoid
Data de Defesa: 19-Fev-2008
Data de publicação: 2014
Referência: CONTI, B. F. de. Biologia e exigências térmicas de Aulacorthum solani (Kaltenbach), Macrosiphum euphorbiae (Thomas) Uroleucon ambrosiae (Thomas) (Hem.: Aphididae) e Praon volucre (Haliday) (Hym.: Braconidae). 2008. 108 p. Dissertação (Mestrado em Agonomia/Entomologia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2008.
Resumo: A temperatura é um dos fatores abióticos de maior influencia sobre os insetos. Temperaturas inferiores ou superiores à faixa ótima para o desenvolvimento e reprodução, ocasionam efeitos deletérios à biologia de pulgões e de seus parasitóides. O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência da temperatura na biologia das espécies de pulgões Aulacorthum solani (Kaltenbach), Macrosiphum euphorbiae (Thomas) e Uroleucon ambrosiae (Thomas) e do parasitóide Praon volucre (Haliday) tendo como hospedeiro M. euphorbiae. Também foi determinada a tabela de vida de fertilidade para as três espécies de pulgões. Os experimentos referentes aos pulgões foram conduzidos em câmaras climatizadas reguladas a 16, 19, 22, 25, 28 e 31 ± 1ºC, UR de 70±10% e fotofase de 12h. Fêmeas adultas de cada uma das espécies de pulgão permaneceram por seis horas em câmara climática a 22±1 ºC, UR de 70±10% e fotofase de 12h. Após esse período, a fêmea foi retirada e apenas uma das ninfas geradas foi mantida por placa de Petri contendo disco foliar de alface Lactuca sativa L., em solução agar/água 1%. Foram avaliados o desenvolvimento e a reprodução das três espécies de pulgões, assim como determinada as exigências térmicas. Os experimentos referentes à P. volucre foram conduzidos nas mesmas temperaturas, exceto á 31 ºC, temperatura na qual as três espécies de pulgões não completaram seu desenvolvimento. Uma fêmea de P. volucre acasalada e sem experiência prévia de oviposição foi liberada em uma placa de Petri (10 cm), contendo disco foliar de alface, em solução agar/água 1% e ninfas de segundo instar de M. euphorbiae. O parasitismo foi observado sob microscópio estereoscópico e as ninfas parasitadas apenas uma vez foram individualizadas em novas placas de Petri e distribuídas nas temperaturas avaliadas. As maiores taxas de sobrevivência e curto período de desenvolvimento indicam a temperatura de 22 ºC como a mais adequada para os pulgões A. solani e M. euphorbiae. Já para U. ambrosiae a temperatura mais adequada foi 19 ºC. Os parâmetros biológicos de P. volucre foram maximizados de 18 a 22 ºC sendo esta, a faixa mais adequada para este parasitóide, tendo M. euphorbiae como hospedeiro. Os limites térmicos inferiores (Tb) e constantes térmicas (K) obtidos para A. solani, M. euphorbiae e P. volcure foram de 1,09; 1,05 e 5,17 ºC e 142,86; 144,92 e 243 GD graus dia (GD), respectivamente. Os maiores valores de rm para A. solani, M. euphorbiae e U. ambrosiae também ocorreram a 22 ºC (0,28; 0,29 e 0,27, respectivamente). Os pulgões avaliados e o parasitóide P. volucre são espécies adaptadas para temperaturas amenas.
The temperature is one of the abiotic factors that have great influence on the insects. The lower or higher temperatures to the optimum limit for the development and reproduction can cause negative effects on the biology of aphids and parasitoids. The objective of this work was evaluate the influence of the temperature on the biology of the aphids species Aulacorthum solani (Kaltenbach), Macrosiphum euphorbiae (Thomas) and Uroleucon ambrosiae (Thomas) and of the parasitoid Praon volucre (Haliday) using M. euphorbiae as its host. The life table of the aphids was also calculated. The tests with the aphids were carried out in climatic chambers at 16, 19, 22, 25, 28 and 31 ± 1ºC, 70±10% RH and 12h photophase. Adult females of each aphid species was kept in a Petri dish with a leaf disc of lettuce, Lactuca sativa L., on a layer 1% water/agar. The developmental time, the reproduction and the thermal requirements of each aphid species were evaluated. The parasitoid experiments were carried out in the same temperatures as the aphid´s experiment, except 31 ºC, temperature in which the evaluated aphid species didn´t complete their development. One mated female of P. volucre, with no previous experience of oviposition was released in a Petri dish (10 cm), with leaf disc of lettuce, on a layer 1 % water/agar and with second instars nymphs of M. euphorbiae. The parasitism was observed under a microscopy and the nymphs that were parasitized just one time were isolated in new Petri dish and kept at the evaluated temperatures. Higher survival rates and short development time show that the temperature of 22 ºC was the most suitable for the aphid´s A. solani and M. euphorbiae. The temperature of 19 ºC was the most suitable for U. ambrosiae. The biological parameters of P. volucre indicated temperatures between 18 and 22 ºC as the most suitable for this parasitoid using M. euphorbiae as host. The lower threshold temperature (Tb) and thermal constant (K) calculated to A. solani, M. euphorbiae and P. volcure was 1.09, 1.05 and 5.17 ºC and 142.86, 144.92 and 243 degrees-day, respectively. The greatest values of intrinsic rate of increase (rm) to A. solani, M. euphorbiae and U. ambrosiae (0.28, 0.29 and 0.27, respectively) were observed at 22ºC. The evaluated aphids and the parasitoid P. volucre are species well adapted to warm temperatures.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1856
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DEN - Entomologia - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_Biologia e exigências térmicas de Aulacorthum solani (Kaltenbach), Macrosiphum euphorbiae (Thomas), Uroleucon ambrosiae (Thomas) (Hem. Aphididae) e Praon volucre.pdf849,75 kBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback