Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DFP - Departamento de Fitopatologia >
DFP - Programa de Pós-graduação >
DFP - Agronomia/Fitopatologia - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1889

Título: Fosfito de potássio no controle de Colletotrichum gloeosporioides, isolado de plantas de cafeeiro com sintomas de mancha manteigosa
Título Alternativo: Potassium phosphite in control of Colletotrichum gloeosporioides, isolated from coffee trees with symptoms of spot buttery
Autor(es): Ogoshi, Cláudio
Orientador: Abreu, Mário Sobral de
Coorientador(es): Resende, Mário Lúcio Vilela de
Membro da banca: Gonçalves, Flávia Maria Avelar
Alves, Eduardo
Área de concentração: Fitopatologia
Assunto: Coffea arabica
Fosfitos
Antracnose
Indução de resistência
Induction of resistance
Anthracnose
Phosphites
Data de Defesa: 24-Fev-2011
Data de publicação: 31-Jul-2014
Referência: OGOSHI, C. Fosfito de potássio no controle de Colletotrichum gloeosporioides, isolado de plantas de cafeeiro com sintomas de mancha manteigosa. 2011. 90 p. Dissertação (Mestrado em Fitopatologia) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2011.
Resumo: O presente trabalho foi realizado com os objetivos de avaliar o efeito do fosfito de potássio na germinação, formação de apressórios e no crescimento micelial de Colletotrichum gloeosporioides; verificar o controle in vivo do patógeno; estudar os mecanismos envolvidos na resposta de defesa em mudas de cafeeiro e analisar os eventos de germinação e penetração do patógeno por meio da microscopia eletrônica de varredura. Foram realizados quatro experimentos. Os tratamentos utilizados foram: fosfito de potássio nas doses 1,25 mL L-1; 2,5 mL L-1; 5,0 mL L-1 e 10,0 mL L-1; Acibenzolar-S-Metil 0,1g L-1 e água destilada esterilizada que foi a testemunha padrão. As doses 5,0 mL L-1 e 10,0 mL L-1 de fosfito de potássio se destacaram na redução da porcentagem de conídios germinados, na inibição da formação de apressórios e na redução do índice de velocidade do crescimento micelial. O fosfito de potássio na dose 10,0 mL L-1 reduziu a área abaixo da curva de progresso da severidade da doença em 62,5% destacando-se dos demais tratamentos. Esse mesmo tratamento sem inoculação aumentou a atividade da peroxidase um dia depois da pulverização, da polifenoloxidase seis dias após e da quitinase três dias. Já quando inoculado, não induziu aumento da atividade da peroxidase, mas aos 13 dias após pulverização houve um pico de formação das enzimas polifenoloxidase e da quitinase. Todos os tratamentos não induziram aumento da formação da β-1,3 glucanase. A germinação dos conídios, observados por meio da microscopia eletrônica de varredura, iniciou-se quatro horas após a inoculação do patógeno com máximo de formação 12 horas após, onde se iniciou a formação dos apressórios. A penetração ocorreu na maioria das vezes mecanicamente e com 16 horas após inoculação, constataram-se hifas do patógeno dentro dos tecidos da planta. Este trabalho mostrou que o fosfito de potássio é um produto promissor no controle de Colletotrichum gloeosporioides em cafeeiro, mas para que o mesmo venha se tornar uma inovação tecnológica para os produtores são necessários mais estudos em campo.
Abstract: The present study was aimed to evaluate the effect of potassium phosphite on germination, appressorium formation and mycelial growth of Colletotrichum gloeosporioides;check the control of the pathogen in vivo, study the mechanisms involved in the defense response in coffee seedlings and analyze the events of germination and penetration of the pathogen by scanning electron microscopy. Four experiments were conducted. The treatments were: doses of potassium phosphite 1,25 mL L-1; 2,5 mL L-1; 5,0 mL L-1 and 10,0 mL L-1; Acibenzolar-S-Metil 0,1g L-1 and water sterile. The doses 5.0 mL L-1 and 10.0 mL L-1 of potassium phosphite stood out in reducing the percentage of germinated conidia, inhibition of appressorium formation and in reducing the rate of speed of mycelial growth of pathogen. The dose of potassium phosphite 10.0 mL L-1 reduced the area under the curve of progress of disease severity by 62.5% standing out from the other treatments. This treatment without inoculation increased peroxidase activity 1 day after spraying, 6 days after spraying of polyphenoloxidase and 3 days after spraying of chitinase. When inoculated, did not induce increase of peroxidase activity, but at 13 days after spraying there was a peak of formation of the enzymes polyphenoloxidase and chitinase. All treatments failed to induce increased β-1, 3 glucanase activity. Conidial germination, observed by scanning electron microscopy, it started four hours after inoculation of the pathogen, with a maximum formation after 12 hours, where initiated the formation of appressoria. Penetration occurred most often mechanically and 16 hours after inoculation, was observed hyphae of the pathogen within the plant tissues. This study showed that potassium phosphite is a promising product in the control of Colletotrichum gloeosporioides in coffee, but for this product will become a technological innovation for the farmers need more field studies.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1889
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DFP - Agronomia/Fitopatologia - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_Fosfito de potássio no controle de Colletotrichum gloeosporioides, isolado de plantas de cafeeiro com sintomas de mancha manteigosa.pdf530,48 kBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback