Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DMV - Departamento de Medicina Veterinária >
DMV - Programa de Pós-graduação >
DMV - Ciências Veterinárias - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1899

Título: Estudo epidemiológico de Anaplasma marginale e Babesia bovis em bezerras de propriedades produtoras de leite tipo B e cru refrigerado na região do Campo das Vertentes de Minas Gerais
Autor(es): Guimarães, Antonio Marcos
Ribeiro, Múcio Flávio Barbosa
Coutinho, Adriana de Souza
Assunto: Estudo epidemiológico de Anaplasma marginale e Babesia bovis em bezerras de propriedades produtoras de leite tipo B e cru refrigerado na região do Campo das Vertentes de Minas Gerais
Data de publicação: 31-Jul-2014
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Referência: CARVALHO, Andre Henrique Oliveira de. Estudo epidemiológico de Anaplasma marginale e Babesia bovis em bezerras de propriedades produtoras de leite tipo b e cru refrigerado na região do Campo das Vertentes de Minas Gerais. 2010. 125p. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Lavras, 2010, Lavras, 2010.
Resumo: Este estudo foi realizado em duas etapas, ambas em propriedades leiteiras no sul de Minas Gerais. A primeira com o propósito de avaliar a dinâmica de infecção por Anaplasma marginale e Babesia bovis em bezerras do nascimento aos doze meses de idade, provenientes de uma propriedade de leite b (Estudo I); e a segunda, com o objetivo de determinar a soroprevalência e os fatores de risco associados à infecção por A. marginale e B. bovis em bezerras de dez propriedades produtoras de leite tipo b e dez de leite cru refrigerado (Estudo II). Foram realizados esfregaços sanguíneos, sorologia por meio da reação de imunofluorescência indireta (RIFI), determinado o volume globular (VG), riquetsemia e os escores clínicos das bezerras dos estudos I e II. No Estudo I, a prevalência média global de bezerras soropositivas para A. marginale e B. bovis foi de 90,90% e 81,81%, respectivamente. A idade média global de primo-infecção para A. marginale, independente da estação de nascimento (chuvosa ou seca), foi de 57,47 dias; e houve um predomínio de bezerras com infecção subclínica (escore clínico 1). No Estudo II, nas propriedades produtoras de leite tipo b (LB), a prevalência média global foi de 94,32% e 88,63% para A. marginale e B. bovis, respectivamente. Já nas propriedades produtoras de leite cru refrigerado (LCR), a prevalência média global de A. marginale foi de 92,54% e para B. bovis de 86,33%. Não foi observada diferença significativa (p>0,05) na prevalência de A. marginale e B. bovis entre as propriedades produtoras de leite LB e LCR. Houve diferença estatística nos níveis de riquetsemia para A. marginale entre os sistemas de produção leiteira no período chuvoso (p= 0,002) e no período seco (p= 0,036), onde as bezerras provenientes de fazendas de LB tiveram uma maior riquetsemia. Nas fazendas deste estudo houve um predomínio de escore clínico 1 (infecção subclínica de A. marginale), com a frequência média global similar (p>0,05) entre ambos os sistemas de produção leiteira (LB e LCR). Independente do sistema de produção de leite, nenhuma das variáveis de risco testada apresentou associação significativa (p>0,05) com a soropositividade de A. marginale e B. bovis. Os resultados obtidos nesta pesquisa indicam que, independente do sistema de produção, as fazendas de leite tipo b e cru refrigerado, na região do Campo das Vertentes de Minas Gerais, se caracterizam como sendo de alta estabilidade enzoótica para A. marginale e B. bovis, com baixa probabilidade de surtos de anaplasmose e babesiose nas propriedades em questão; porém oferecem um alto risco no caso de introdução de animais suscetíveis provenientes de áreas livres ou deinstabilidade enzoótica para estas hemoparasitoses.
This study was conducted in two stages, both in dairy farms in southern Minas Gerais. The first stage, with the purpose to assess the infection dynamics of A. marginale and B. bovis in calves aging from birth to twelve months, from a B milk producing properties of (Study I); and the second stage, order to determine the serumprevalence and risk factors associated with infection by Anaplasma marginale and Babesia bovis in calves in ten type B milk producing properties and ten of refrigerated raw milk (Study II). Blood smears were performed, serologic testing by indirect immunofluorescence (IIF), given the packed cell volume (PCV), rickettsemia and the clinical scores of calves from studies I and II. In Study I, the overall prevalence of serumpositive heifers´ A. marginale and B. bovis was 90.90% and 81.81% respectively. The overall average age of primary infection for A. marginale, independent of calving season (rainy or dry) was 57.47 days, and there was also a predominance of calves with subclinical infection (clinical score 1). In Study II, in type B milk producing properties (LB), the mean prevalence rate was of 94.32% and 88.63% for A. marginale and B. bovis, respectively. In the refrigerated raw milk producing properties in (LCR), the overall prevalence of A. marginale was 92.54% and for B. bovis from 86.33%. There was no significant difference (p> 0.05) in the prevalence of A. marginale and B. bovis between milk producing LB and LCR. There was no statistical difference in levels of rickettsemia for A. marginale between dairy production systems in the rainy season (p = 0.002) and dry season (p = 0.036), where the calves from farms LB had a higher rickettsemia. In the farms on this study there was a predominance of clinical score 1 (subclinical infection of A. marginale), with similar overall average frequency (p> 0.05) between both dairy production systems (LB and LCR). Regardless of the milk production system, none of the risk variables tested showed significant association (p> 0.05) with the positivity of A .marginale and B. bovis. The results of this survey indicate that, regardless of the system of production, the dairy farms of raw refrigerated milk or B type milk, in southern Minas Gerais, are characterized as being of high enzootic stability for A. marginale and B. bovis, with low probability of outbreaks of anaplasmosis and babesiosis, but offer a high risk in case of introduction of susceptible animals from areas free or enzootic instability for these hemoparasitosis.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1899
Aparece nas coleções: DMV - Ciências Veterinárias - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_Estudo epidemiológico de Anaplasma marginale e Babesia bovis em bezerras de propriedades produtoras de leite tipo B e cru refrigerado na região do Campo das Vertentes de Minas Gerais.pdf554,41 kBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback