Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DMV - Departamento de Medicina Veterinária >
DMV - Programa de Pós-graduação >
DMV - Ciências Veterinárias - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1937

Título: Quantificação de IGF-I no plasma seminal de suínos e sua importância na utilização após o resfriamento e congelamento do sêmen
Título Alternativo: Quantification of IGF-I in the seminal plasma of boars and its importance in use after cooling and freezing of semen
Autor(es): Silva, Daiane Moreira
Orientador: Murgas, Luis David Solis
Coorientador(es): Souza, José Camisão de
Zangerônimo, Márcio Gilberto
Membro da banca: Lima, José Augusto de Freitas
Souza, José Camisão de
Área de concentração: Ciências Veterinárias
Assunto: Varrão
Hormônio
Reprodução
Qualidade seminal
Boars
Hormone
Reproduction
Seminal quality
Data de Defesa: 2-Ago-2010
Data de publicação: 1-Ago-2014
Agência de Fomento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: SILVA, D. M. Quantificação de IGF-I no plasma seminal de suínos e sua importância na utilização após o resfriamento e congelamento do sêmen. 2010. 78 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2010.
Resumo: Este trabalho teve como objetivos analisar a concentração de fator de crescimento semelhante à insulina I (IGF-I) no plasma seminal, correlacionando-a com os parâmetros seminais in natura e avaliar os efeitos da adição deste hormônio no sêmen após o resfriamento e o congelamento. Foram conduzidos três experimentos na Fazenda São Paulo (Oliveira - MG) entre janeiro e maio de 2010. Para a avaliação da correlação entre a concentração de IGF-I no plasma seminal e os parâmetros seminais in natura, foram coletados dois ejaculados de 27 varrões pelo método da mão enluvada. Verificou-se que varrões apresentam média de 1,5 ng/mL de IGF-I no plasma seminal e que existe correlação negativa com o teste de vivos e mortos do sêmen in natura. Para a avaliação da adição de IGF-I ao sêmen resfriado, sete ejaculados foram coletados de sete animais, dos quais foram feitas doses inseminantes de 100 mL contendo três bilhões de espermatozoides que foram resfriadas a 15 °C Após 24, 48 e 72 horas de armazenamento, foram adicionadas diferentes concentrações de IGF-I (0, 50, 100 e 150 ng/mL) em alíquotas de 10 mL de sêmen incubado a 37 °C em banho-maria. Foram avaliados a motilidade e o vigor espermático aos 0, 30, 60, 90 e 120 minutos de incubação, além do teste de vivos e mortos, resistência osmótica, morfologia, peroxidação lipídica, atividade da glutationa peroxidase e consumo de frutose pelos espermatozoides aos 0 e 120 minutos de incubação. A adição de IGF-I ao sêmen suíno resfriado não alterou a motilidade, o vigor e os parâmetros morfológicos, no entanto, melhorou o teste de vivos e mortos, a resistência osmótica, a peroxidação lipídica, a atividade da glutationa peroxidase e piorou o consumo de frutose. Concluiu-se que a adição de 100 ng/mL de IGF-I ao sêmen suíno resfriado proporciona melhoria nos parâmetros seminais. Para a avaliação da adição de IGF-I ao sêmen descongelado, sete ejaculados procedentes de sete animais foram processados em palhetas de sêmen de 0,5 mL contendo 500 milhões de espermatozoides, que foram congeladas em nitrogênio líquido e posteriormente descongeladas em banho-maria a 50 °C durante oito segundos e diluídas em 10 mL de diluidor BTS a 37 °C. Em seguida, foram acrescentadas as mesmas concentrações de IGF-I e analisaram-se os parâmetros seminais. A adição de IGF-I ao sêmen suíno descongelado não alterou o vigor espermático, os parâmetros morfológicos e o consumo de frutose, no entanto, melhorou a motilidade, o teste de vivos e mortos, a resistência osmótica, a peroxidação lipídica e a atividade da glutationa peroxidase. Desta forma, concluiu-se que a adição de 150 ng/mL de IGF-I ao sêmen suíno descongelado proporciona melhoria nos parâmetros seminais.
This study aimed to analyze the concentration of insulin-like growth factor-I (IGF-I) in seminal plasma and correlate it with fresh semen parameters and evaluate the effects of the addition of IGF-I in cooled and frozen semen on the seminal parameters. Three experiments were conducted at farm São Paulo (Oliveira - MG) between January and May from 2010. To evaluate the correlation between the concentration of IGF-I in seminal plasma and in natura seminal parameters, were collected two ejaculates from 27 boars by the gloved hand method. It was found that boars have averaged 1.5 ng/mL of IGF-I in seminal plasma and that there is a negative correlation with the test of living and dead of fresh semen. To evaluate the addition of IGF-I in cooled semen, seven ejaculates were collected from seven animals, wich were made insemination doses of 100 mL containing three billion spermatozoa that were colled at 15 °C. After 24, 48 and 72 hours of storage, were added different concentrations of IGF-I (0, 50, 100 and 150 ng/mL) in aliquots of 10 mL of semen incubated at 37 °C in a water bath. Were evaluated the sperm motility and the vigor at 0, 30, 60, 90 and 120 minutes of incubation, and test of living and dead, osmotic resistance, morphology, lipid peroxidation, glutathione peroxidase activity and fructose uptake at 0 and 120 minutes of incubation. The addition of IGF-I in boar semen cooled did not alter the motility, vigor and morphological parameters, however improved the test of living and dead, osmotic resistance, lipid peroxidation, glutathione peroxidase activity and decreased the fructose uptake. It was concluded that the addition of 100 ng/mL of IGF-I in boar semen cooled provides improvement in seminal parameters. For the evaluation of the addition of IGF-I in the thawed semen, seven ejaculates from seven animals were processed in 0.5 mL semen straws containing 500 million spermatozoa that were frozen in liquid nitrogen and later thawed in a water bath at 50 °C for eight seconds and diluted in 10 ml of BTS extender at 37 °C, then were added the same concentrations of IGF-I and analyzed the semen parameters. The addition of IGF-I in boar semen thawed did not alter the vigor, morphological parameters and fructose uptake, however, improved the motility, test of living and dead, osmotic resistance, lipid peroxidation and glutathione peroxidase activity. Thus, it was concluded that the addition of 150 ng/mL of IGF-I in boar semen thawed provides improvement in semen parameters.
Informações adicionais: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, área de concentração em Ciências Veterinárias, para a obtenção do título de Mestre.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1937
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DMV - Ciências Veterinárias - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_Quantificação de IGF-I no plasma seminal de suínos e sua importância na utilização após o resfriamento e congelamento do sêmen.pdf389,91 kBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback