Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DAE - Departamento de Administração e Economia >
DAE - Programa de Pós-graduação >
DAE - Administração - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1999

Título: Homens, masculinidades e política pública de assistência social: uma análise de gênero no âmbito do Programa de Atenção Integral à Família (PAIF)
Título Alternativo: Men, masculinities and social assistance public policy: an analisy of gender in the ambit of program of integral family care (PAIF)
Autor(es): Muniz, André Aristóteles
Orientador: Oliveira, Maria de Lourdes Souza
Coorientador(es): Cappelle, Mônica Carvalho Alves
Membro da banca: Oliveira, Benedito Anselmo Martins de
Fonseca, Jorge Cardoso Lyra da
Área de concentração: Gestão Social, Ambiente e Desenvolvimento
Assunto: Políticas sociais
Relações de gênero
Feminismo
Políticas públicas
Famílias
Social policies
Gender relations
Feminism
Public policies
Families
Data de Defesa: 11-Jul-2011
Data de publicação: 1-Ago-2014
Referência: MUNIZ, A. A. da R. Homens, masculinidades e política pública de assistência social: uma análise de gênero no âmbito do Programa de Atenção Integral à Família (PAIF). 2011. 176 p. Dissertação (Mestrado em Administração)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2011.
Resumo: Com esta dissertação buscamos identificar, a partir do referencial feminista, que noções de masculinidade e que lugares estão sendo definidos para os homens na Política Pública de Assistência Social (PPAS) no Brasil, com recorte sobre o Programa de Atenção Integral à Família (PAIF). Trata-se de um estudo qualitativo que focaliza os dois mandatos do governo Lula, 2003-2010, período em que a política pública de assistência social mais avançou do ponto de vista de sua institucionalização. Foram realizadas oito entrevistas semi-estruturadas, sendo três com profissionais que ocupam cargos estratégicos na Diretoria de Proteção Social Básica, uma com técnica da área de Gerência de Políticas Sociais da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte e quatro com profissionais que integram a equipe técnica do CRAS Vila Independência, nossa unidade empírica de análise. Todos os profissionais entrevistados encontram-se atuando na área e nos referidos cargos há pelo menos oito anos. Para a coleta de dados, utilizamos também a análise documental e a observação não-participante. A análise do material empírico se deu a partir da utilização do Modelo Operacional de Análise de Políticas Públicas, proposto por Araújo Júnior (2000), pelo qual nos foi possível identificar contexto, atores, processo (formulação e implementação), e conteúdo da PPAS e do PAIF. A caracterização inicial do problema de pesquisa é feita a partir do marco conceitual de gênero, estruturado em uma matriz feminista de gênero cunhada por LYRA (2008) e MEDRADO e LYRA (2008). Essa matriz dialoga com produções feministas e se organiza em quatro eixos: 1) o sistema sexo/gênero, 2) a dimensão relacional, 3) as marcações de poder e 4) a ruptura da tradução do modelo binário de gênero nas esferas da política, das instituições e das organizações sociais. A partir deste estudo, acrescentamos à matriz uma quinta dimensão: a divisão sexual do trabalho. O marco referencial apresenta-se a partir de uma análise da questão de gênero nas políticas públicas sociais e dos estudos sobre os homens e masculinidades. Em linhas gerais, as análises do material empírico evidenciam uma política pública em processo de consolidação, até pelo histórico recente como política pública de Estado. A análise dos documentos e entrevistas apresentam a gestão atual como um momento de fortalecimento e reconhecimento público de pautas antes restritas à agenda dos movimentos sociais em defesa de direitos. As análises evidenciam que nesta política e no PAIF, em geral, as concepções de masculinidades que circulam no campo estão de certa forma associadas a uma noção de masculinidade hegemônica, onde o homem é (ou deveria ser) o provedor e é também agressor, dominador etc. Por outro lado, há entendimentos de que os homens não tem conseguido cumprir com os requisitos de uma masculinidade hegemônica e se encontram em uma posição de sujeito de direitos no PAIF e PPAS.
This thesis sought to identify, from the feminist reference notions of masculinity and the places that are defined by men in Public Policy for Social Assistance (PPA) in Brazil with the cut in the Program of Integral Family Care (PAIF). This is a qualitative study which focuses on two Presidential terms of ex-president Lula, Luiz Ignácio da Silva, 2003 - 2010, a period in which the politics of public welfare was more advanced, in terms of institutionalization. We conducted eight semi- structured studies, tree professional position studies of Strategic Management of Basic Social Protection, one with a technical area of Management of Social Policies of the Municipality of Belo Horizonte and along with four professional Independence Village of CRAS crew members in our empirical analysis unit. All of the interviewed have been working in the area and in these positions for at least eight years. In addition to interview, it was used, as a technique for collecting data, document analysis and the observation of participants. Empirical analysis was done, based on the use of - "mutatis mutandis" - the Publics Policy Analysis operational model , proposed by Araújo Junior (2000), where we could identify the context, its agents, the process of formulation and implementation of their content. The initial characterization of the research problem was derived from the conceptual framework of gender, divided in a context of feminist genre coined by Lyra (2008) and Medrado and Lyra (2008). This dialogue with the feminist matrix and production is organized in four areas: 1) gender / sex, 2) the relational extent, 3) brand power and 4) the interruption of the translation of the binary model of gender in political spheres, institutions and social organizations. From the beginning of this study, we added a fifth dimension to the study, the sexual division of labor. The situation is presented from an analysis of public policy gender and social studies of men and masculinity. In general, the analysis of empirical evidence, a process of consolidation of public policies, is recent, as a public policy State. The analysis of documents and interviews show current management as a moment of public recognition and the strengthening of the guidelines previously restricted to the agenda of social rights movements and abused by previous governments. The analysis reveals that PAIF politics and the general conception of masculinity circulating in the area are somewhat in association with the notion of hegemonic masculinity, where the man is (or should be) the provider, but who is also aggressive, domineering and so forth. On the other hand, it has been observed that men have failed to comply with the ethic parameters of hegemonic masculinity and are in the position to demand attention by the PAIF, and PPSA.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1999
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DAE - Administração - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_Homens, masculinidades e política pública de assistência social.pdf970,11 kBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback