Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2038
Título: Competências brasileiras na exportação de software: uma abordagem organizacional
Título(s) alternativo(s): Skills in the Brazilian exports of software: an organizational approach
Autor : Ferreira, Cíntia Borges
Primeiro orientador: Calegário, Cristina Lelis Leal
Primeiro membro da banca: Carvalho, Jose Márcio
Zambalde, André Luiz
Área de concentração: Organizações, Mudanças e Gestão Estratégica
Palavras-chave: Tecnologia
Exportação de software
Competências
Tecnology
Export of software
Skills
Data da publicação: 1-Ago-2014
Referência: FERREIRA, C. B. Competências brasileiras na exportação de software: uma abordagem organizacional. 2009. 96 p. Dissertação (Mestrado em Administração)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2009.
Resumo: Esse trabalho representa um estudo sobre as competências brasileiras na exportação de software, buscando entender como o país se posiciona no mercado externo e como poderia se posicionar. Para a sua realização, foi desenvolvida uma análise com base nos ambientes institucional, tecnológico e organizacional. Para o ambiente institucional, avaliaram-se as variáveis da atuação do governo, no que se refere às leis e às políticas setoriais, incluindo os investimentos externos, as certificações e os financiamentos; o ambiente tecnológico com o estado da tecnologia e a P&D no país e no mundo e o ambiente organizacional voltado a pessoas, parcerias, produtos e estratégias. Para o estudo organizacional foram pesquisadas 33 empresas de capital nacional, independente de seu porte, que exportam software. Esses ambientes, juntamente com os posicionamentos das empresas, foram confrontados com as divulgações do Banco Central, Unctad e OMC, confirmando as potencialidades não declaradas, porém existentes, do Brasil para comercializar software com o mercado externo. Após essas análises, pode-se perceber que a principal falha apresentada pelo país é de origem sistêmica ou, melhor caracterizando, governamental. As políticas propostas para o setor são inúmeras, mas poucas são realmente validadas e utilizadas, tornando o sistema ineficiente, apesar das potencialidades indicadas pelas empresas atuantes no mercado externo.
This work represents a study of skills in the export of Brazilian software, trying to understand how the country is positioned in the external market and how it could be positioned. To perform this study was developed an analysis, based on the environments institutional, technological and organizational. To analyze the institutional environment it was evaluated the performance variables of the government, with laws and sectoral policies including foreign investment, the certifications and funding; The technological environment with the state of technology and R & D in the country and the world; And the organizational environment facing the persons, partnerships, products and strategies. For this study organizational were surveyed 33 companies of national capital, regardless of its size, which export software. These environments, together with the placements of companies were faced with the disclosures of the Central Bank, WTO and UNCTAD, confirming the potential not declared, but existing in Brazil to market software with the external market. After these analyses, we can notice that the main fault presented is in the origin system country, or better characterizing, in the government. The proposed policy for the sector are numerous, but few are actually used and validated, making the system inefficient, despite the potential displayed by companies active in foreign markets.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2038
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DAE - Administração - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_Competências brasileiras na exportação de software.pdf436,46 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.