Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2146
Título: Potencial da braquiária (Brachiaria decumbens Stapf) na fitorremediação de solos contaminados com arsênio
Título(s) alternativo(s): Assessing the potential use of brachiaria decumbens Stapf in the phytoremediation of arsenic-contaminated soils.
Autor : Antunes, Alessandra Silveira
Primeiro orientador: Guilherme, Luiz Roberto Guimarães
Primeiro membro da banca: Silva, Carlos Alberto
Oliveira, Luiz Carlos Alves de
Antunes, Alessandra Silveira
Palavras-chave: Arsênio
Fitorremediação
Contaminação do solo
Data da publicação: 4-Ago-2014
Referência: ANTUNES, A. S. Potencial da braquiária (Brachiaria decumbens Stapf) na fitorremediação de solos contaminados com arsênio. 2007. 58 p. Dissertação (Mestrado)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2007.
Resumo: Arsenic (As) has being considered since 1997 the top priority pollutant worldwide due to a variety of contamination sources. Environmental contamination of soils, waters, and sediments with As has also been detected close to industrial and mining areas in Brazil. Phytoremediation is an innovative, low-cost technique for these As-contaminated sites as it uses plants in the remediation of polluted soils with little soil disturbance. This study aimed at evaluating the As phytoextraction potential of Brachiaria decumbens growing under greenhouse conditions in six soils with contrasting texture and organic matter content: a Distrophic Yellow Latosol (LAd), a Distrophic Red Latosol (LVd), a Fluvic Neosol (RU), a Quartzenic Neosol (RQ), a Haplic Gleysol (GX), and a Melanic Gleysol (GM). Arsenic was added to soils as sodium arsenate (Na2HAsO4.7H2O) at rates of 0, 25, 50, 200, and 800 mg kg-1. The plants were collected 55 days after planting for determination of shoot and root dry matter production. Arsenic shoot and root contents were evaluated after digestion according to the USEPA 3051A method, following analysis by either flame or graphite furnace atomic absorption spectroscopy. A reduction in plant development was observed for rates greater than 50 mg kg-1 of As in the soils LAd, RQ, GX, and GM. For the soils RU and LVd such effects started only for rates greater than 200 mg kg-1. There was low translocation of As and consequently most of the As was detected in the roots. The low bioaccumulation factor of As by Brachiaria decumbens indicates that this species could be considered tolerant to the element but not an accumulator, thus being indicated for revegetation programs in As-polluted soils and sediments.
O arsênio vem, desde 1997, sendo considerado o elemento mais tóxico à saúde humana segundo a ATSDR e há registros, no Brasil, de contaminação ambiental de solos, águas e sedimentos pelo elemento próximo a áreas industriais e de mineração de ouro. A fitorremediação é uma técnica inovadora de baixo custo que utiliza plantas na remediação de solos contaminados. É nesse contexto que o presente estudo, conduzido em casa de vegetação do Departamento de Ciência do Solo da Universidade Federal de Lavras, objetivou avaliar o potencial fitoextrator de As da Brachiaria decumbens cultivada em seis solos com diferentes texturas e teores de matéria orgânica, sendo eles: Latossolo Amarelo Distrófico (LAd), Latossolo Vermelho Distrófico (LVd), Neossolo Flúvico (RU), Neossolo Quartzarênico (RQ), Gleissolo Háplico (GX) e Gleissolo Melânico (GM). O arsênio foi adicionado aos solos na forma de arsenato de sódio heptahidratado (Na2HAsO4.7H2O), nas doses 0, 25, 50, 200 e 800 mg kg-1 de As. As plantas foram coletadas 55 dias após a semeadura, separadas em parte aérea e raiz e, após secagem do material em estufa, o mesmo foi digerido segundo o método 3051 da USEPA, sendo o teor de As analisado por espectrofotometria de absorção atômica e, ou forno de grafite. Observou-se redução no desenvolvimento da braquiária a partir da concentração equivalente a 50 mg kg-1 nos solos LAd, GX e GM. Para os solos RU e LVd, tal fato ocorreu a partir da dose de 200 mg kg-1, e no solo RQ, a redução ocorreu na dose de 50 mg kg-1. Houve baixa translocação do As e, conseqüentemente, maiores teores do elemento foram detectados nas raízes das plantas. Em função do fator de bioacumulação de As pela Brachiaria decumbens, esta espécie foi considerada tolerante ao elemento e não hiperacumuladora, podendo ser utilizada em programas de revegetação de áreas contaminadas pelo elemento.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2146
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DCS - Ciência do Solo - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.