Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2467
metadata.teses.dc.title: Modelagem geoestatística da distribuição espacial de doenças do feijoeiro comum e da soja e sua relação com a fertilidade do solo e nutrição mineral de plantas
metadata.teses.dc.title.alternative: Geostatistic modeling of spatial distribution of common bean and soybean diseases and it relationship among soil fertility and mineral nutrition plants
metadata.teses.dc.creator: Carvalho, Eudes de Arruda
metadata.teses.dc.contributor.advisor1: Pozza, Edson Ampélio
metadata.teses.dc.contributor.referee1: Souza, Paulo Estevão de
Juliatti, Fernando César
metadata.teses.dc.description.concentration: Fitopatologia
metadata.teses.dc.subject: Geologia
Feijão
Soja
Nutrientes
Podridão da haste
Septoria glycines
Heterodera glycines
Cercospora kikuchii
Métodos estatísticos
metadata.teses.dc.date.issued: 11-Aug-2014
metadata.teses.dc.identifier.citation: CARVALHO, E. de A. Modelagem geoestatística da distribuição espacial de doenças do feijoeiro comum e da soja e sua relação com a fertilidade do solo e nutrição mineral de plantas. 2008. 83 p. Dissertação (Mestrado em Agronomia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2008.
metadata.teses.dc.description.resumo: O conhecimento da dinâmica espacial de doenças de plantas, bem como dos fatores ambientais que podem influenciar a epidemia, é de grande importância para a definição de estratégias de manejo eficientes e sustentáveis. Sendo assim, objetivou-se o estudo do padrão de distribuição espacial do mofo-branco em duas áreas de cultivo de inverno do feijoeiro comum sob pivô central. O presente trabalho também teve como propósito a modelagem geoestatística das doenças de final de ciclo e do nematóide do cisto, verificando sua relação com a fertilidade do solo e a nutrição mineral das plantas em lavoura de soja. No primeiro experimento, verificou-se a dependência espacial do mofo-branco, por meio de metodologias de análise geoestatística. A severidade da doença apresentou distribuição do tipo agregado com forte dependência espacial. O número total de escleródios e o número de escleródios viáveis apresentaram moderada dependência espacial, na área não colhida e na área colhida. No segundo experimento, ajustou-se o semivariograma isotrópico esférico para o complexo de doenças de final de ciclo da soja com moderada dependência espacial e o padrão agregado. Observou-se nos mapas de krigagem a relação negativa da severidade das doenças de final de ciclo da soja com o potássio e o fósforo, e positiva com o cálcio no solo. Houve correlação significativa negativa da severidade com os teores foliares de fósforo, magnésio e enxofre. Já no terceiro trabalho, verificaram-se a dependência espacial, o padrão agregado do nematóide do cisto da soja e sua relação com o potássio, o fósforo e o magnésio do solo. Resultados ratificados pela correlação de Pearson, que revelou correlação significativa positiva entre essas variáveis, exceto entre o número de cistos viáveis e Mg no solo. Neste caso, a correspondência se deu com os teores foliares do nutriente. Os níveis de K e P nas folhas não foram influenciados pela infestação de nematóide.
The knowledge of the spatial dynamics of plant diseases and environmental factors that can influence an epidemic is very important for the definition of control strategies for efficient and sustainable management. Therefore, the objective of the present work was to evaluate the pattern of spatial distribution of white mold in two areas of winter common bean crop irrigated by center pivot. Additionally, this study aimed to characterize the spatial variability of the late season leaf diseases complex and cyst nematode in soybean using the geostatistic analysis methodology to identify its relation to soil fertility and mineral nutrition of the plants. In the first experiment it was possible to verify spatial dependence. The severity of the disease showed a clustered pattern with a strong spatial dependence, the total number of sclerotia and the number of viable sclerotia showed a moderate spatial dependence, in the area not harvested in the area after a semi-mechanized harvest. In the second experiment, the isotropic spherical semivariogram model was adjusted to late season diseases complex, with moderate spatial dependence and clustered pattern. In ordinary kriging maps, a negative relation of disease severity in soy was observed, with potassium and phosphorus in the soil, and positive with calcium in the soil. There was a significant negative disease severity correlation with leaf levels of phosphorus, magnesium and sulfur. In the last experiment, a spatial dependence, clustered pattern of the soybean cyst nematode and its correlation with potassium, phosphorus and magnesium in the soil was verified. Results were confirmed by the Pearson correlation which revealed a significant correlation between variables, except between the number of viable cysts and Mg in the soil, in this case, the correspondence was with the foliar nutrient levels. The leaf K and P levels were not influenced by the nematode infestation.
metadata.teses.dc.identifier.uri: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2467
metadata.teses.dc.publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
metadata.teses.dc.language: pt_BR
Appears in Collections:DFP - Agronomia/Fitopatologia - Mestrado (Dissertações)



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.