Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DMV - Departamento de Medicina Veterinária >
DMV - Programa de Pós-graduação >
DMV - Ciências Veterinárias - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2504

Título: Caracterização das propriedades de mangalarga marchador no sul de Minas Gerais, quanto a prevalência e resistência das helmintoses
Autor(es): Rosa, Marina Helena Figueredo
Orientador: Rocha, Christiane Maria Barcellos Magalhães da
Membro da banca: Garcia, Adriana de Mello
Guimarães, Antônio Marcos
Ferreira, Fernando
Área de concentração: Ciências Veterinárias
Assunto: Equino
Helminto gastrointestinal
Ciatostomíneo
Resistência anti-helmíntica
Entrevista
Epidemiologia animal
Equine gastrointestinal helminthes
Interview
Cyathostomes
Anti-helminthic resistance
Animal epidemiology
Data de Defesa: 25-Fev-2014
Data de publicação: 2014
Agência de Fomento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: ROSA, M. H. F. Caracterização das propriedades de mangalarga marchador no sul de Minas Gerais, quanto a prevalência e resistência das helmintoses. 2014. 91 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2014.
Resumo: As infecções recorrentes de equinos, por helmintos gastrointestinais, e o uso indiscriminado de vermífugos vêm selecionando populações resistentes que dificultam o controle parasitário e causam maiores prejuízos econômicos. Neste estudo, objetivou-se avaliar os fatores sócio-econômico-culturais e de manejo associados à prevalência de helmintos gastrointestinais de equinos e sua resistência às bases químicas, febendazole e ivermectina. Foram visitados 40 criatórios de equinos Mangalarga Marchador (MM) no Sul de MG, escolhidos aleatoriamente nos quais foram realizadas entrevistas. A amostra deste estudo para o cálculo da prevalência corresponde a 40 propriedades e para o estudo de resistência, 20 propriedades. Foram coletadas fezes dos animais nas 40 propriedades, escolhidos aleatoriamente, para posteriores análises. Nas propriedades onde foi realizado o teste de resistência, além da coleta de fezes, foi feita a pesagem e a vermifugação dos animais. O retorno foi realizado em uma semana e foram coletadas as fezes dos animais tratados. No laboratório foram realizados exames coproparasitológicos a fim de quantificar a infecção dos animais e identificar os parasitos. E, para os animais tratados, esses exames foram realizados para determinar a eficiência do anti-helmíntico utilizado. Os dados foram tabulados no Epidata e analisados no software PASW 18.0. Foram realizadas as análises descritivas de todas as variáveis. Para avaliar os fatores relacionados às variáveis dependentes foi realizado o teste Qui-quadrado, buscando associação entre variáveis qualitativas, Mainn-Whittney e Kruskal-wallis, para as variáveis quantitativas que não seguiram distribuição normal e teste T e Anova, para as variáveis quantitativas com distribuição normal. As odds ratio foram calculadas com seus intervalos de confiança e nível de significância de 95%. Observou-se uma grande semelhança no perfil dos criadores, assim como na caracterização da propriedade, manejo e controle de parasitos. A maioria dos criadores se caracteriza por alto grau de instrução, experiência na equinocultura e possuir outra fonte de renda principal. Os ciatostomíneos foram os helmintos mais prevalentes, seguidos pelo Oxyuris e os grandes estrôngilos. A maior parte dos animais e das propriedades apresentou infecção moderada a maciça. As propriedades que priorizam a equinocultura têm menor chance de apresentar animais com infecção maciça. A estação chuvosa favoreceu as infecções maciças. O perfil de resistência foi semelhante na maior parte das propriedades de equinos de MM no Sul de Minas Gerais, apresentando populações resistentes ao febendazole e sensíveis à ivermectina.
Abstract: The recurrent infections in equine and the indiscriminate use of vermifuges have been selecting resistant populations which make parasite control hard and cause economic loss. This study aimed at evaluating the socio-economic-cultural and management factors associated to the prevalence of equine gastrointestinal helminthes and its resistance to the chemical basis, fenbendazole and ivermectin. We visited 40 Mangalarga Marchador (MM) ranches in southern Minas Gerais, Brazil, randomly chosen, in which we performed interviews. This studies’ sample for calculating the prevalence corresponds to 40 properties, and for the resistance study, 20 properties. We collected feces from randomly chosen animals in all 40 properties for posterior analysis. In the properties in which we performed the resistance study, in addition to collecting the feces, we weighed the animals and performed vermifugation. We returned one week after the treatment and collected the feces of the treated animals. Parasitological exams were performed in laboratory in order to quantify the infection and identifying the parasites. For the treated animals, these exams were conducted to determine the efficiency of the anti-helminthic used. The data were tabulated in the Epidata and analyzed in the SPSS 18.0 software. Descriptive analyses were performed for all variables. In order to evaluate the factors related to the dependent variables we used the qui-square test, seeking the association between the qualitative variables, Mainn-Whittney and Kruskal-wallis, for the quantitative variables which did not follow normal distribution, and t test and Anova, for the quantitative variables with normal distribution. The odds ratios were calculated with its confidence intervals and a level of significance of 95%. We observed a large similarity in the breeders’ profiles, as well as in the property characterization, management and parasite control. Most breeders are characterized as presenting high degree of instruction, experience in equineculture and possessing an alternative main income source. The cyathostomes were the most prevalent helminthes, followed by the Oxyuris and the large strongylus. Most of the animals and properties presented moderate to solid infections. The properties which prioritize equineculture had smaller chance of presenting animals with solid infection. The rainy season favored solid infections. The resistance profile was similar in most MM properties in southern Minas Gerais, presenting populations resistant to fenbendazole and sensitive to ivermectin.
Informações adicionais: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, área de concentração em Ciências Veterinárias, para a obtenção do título de Mestre.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2504
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DMV - Ciências Veterinárias - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTACAO_Caracterização das propriedades de mangalarga marchador no sul de Minas Gerais, quanto a prevalência e resistência das helmintoses.pdf818,48 kBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback