Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DFP - Departamento de Fitopatologia >
DFP - Programa de Pós-graduação >
DFP - Agronomia/Fitopatologia - Mestrado (Dissertações) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2544

Title: Controle químico da mancha branca do milho
Other Titles: Chemical control in the management of maize white spot
???metadata.dc.creator???: Manerba, Felipe de Carvalho
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Souza, Paulo Estevão de
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Pozza, Edson Ampélio
???metadata.dc.contributor.referee1???: Castro, Hilário Antônio de
Von Pinho, Renzo Garcia
Abreu, Mário Sobral de
???metadata.dc.description.concentration???: Fitopatologia
Keywords: Pantoea ananatis
Phaeosphaeria maydis
Agroquímicos
???metadata.dc.date.submitted???: 26-Feb-2010
Issue Date: 11-Aug-2014
Citation: MANERBA, F. de C. Controle químico da mancha branca do milho. 2010. 32 p. Dissertação (Mestrado em Agronomia/Fitopatologia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2010.
???metadata.dc.description.resumo???: The white spot, though old in Brazil, occurred more frequently at the end of the cycle of corn plants when they are presented close to senescence. However, the disease began to be observed in younger plants, and can take early susceptible genotypes, with a consequent reduction in productivity, when coupled with environmental conditions favorable to the pathogen. The objective of this study was to evaluate the severity of maize white spot before the application of pesticides in two application periods (V8 or pre-flowering) to obtain the best strategy of chemical control in the management of this disease. The study was conducted at the experimental site of the Department of Agriculture, Federal University of Lavras, with simple hybrid super early AG9010, which is susceptible to disease. The experimental design was randomized blocks (DBC) with nine treatments and four replications, totaling 36 experimental plots. The treatments were: oxytetracycline + streptomycin (400, 500 and 600 g.p.c/ha), oxytetracycline (300, 400 and 500 g.p.c./ha), epoxiconazole + pyraclostrobin (750 ml.p.c/ha) and mancozeb (2500 g.p.c/ha). We evaluated the severity of the disease every seven days, a week after the application of treatments pre-flowering, 10 plants at random from each plot useful, determining the average severity. Data obtained on the severity of the disease in all ages were used to estimate the disease progress curve and area under the disease progress curve (AUDPC). Harvest was done manually, where the plots were harvested only useful (two central lines of four meters of each plot). The productivity of the treatments was adjusted to 12% moisture and made into t / ha. When done the application of pesticides in the V8 stage of corn was noted positive effect of all pesticides used in the severity of white spot, however, the fungicide mancozeb in dosage 2500 g.p.c./ha showed superior control of disease in these conditions, effect this resulted in an increase of 100% productivity. The application of pre-flowering assessed by AUDPC showed efficiency of all pesticides used at this time, but the mixture epoxiconazole + pyraclostrobin showed greater control of the severity of white spot of maize, which resulted in an increase of about 90% yield.
A mancha-branca, embora antiga no Brasil, ocorria com maior freqüência no final do ciclo das plantas do milho, quando estas se apresentavam próximas à senescência. Porém, esta doença começou a ser observada em plantas mais jovens, chegando a levar genótipos suscetíveis à seca prematura e consequente redução da produtividade, quando associados às condições ambientais favoráveis ao patógeno. Objetivou-se, com a realização deste trabalho, avaliar a severidade da mancha-branca do milho perante a aplicação de defensivos agrícolas, em duas épocas de aplicação (V8 ou pré-florescimento), para a obtenção da melhor estratégia do controle químico desta doença. O estudo foi realizado na área experimental do DAG da Universidade Federal de Lavras, com hibrido simples superprecoce AG9010, o qual é susceptível à doença. O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso (DBC), com 9 tratamentos e 4 repetições, totalizando 36 parcelas experimentais. Os tratamentos utilizados foram: oxitetraciclina + streptomicina (400, 500 e 600 g.p.c/ha), oxitetraciclina (300, 400 e 500 g.p.c/ha), epoxiconazole + piraclostrobina (750 ml.p.c/ha) e mancozeb (2.500 g.p.c/ha). Foram realizadas avaliações de severidade da doença a cada sete dias, uma semana após a aplicação dos tratamentos em pré-florescimento, em dez plantas ao acaso de cada parcela útil, determinando a severidade média. Os dados da severidade da doença obtidos em todas as épocas foram utilizados para estimar a curva de progresso da doença e a área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD). A colheita foi realizada manualmente, colhendo-se apenas as parcelas úteis (2 linhas centrais de 4 m de cada parcela). A produtividade dos tratamentos foi ajustada para umidade de 12% e transformadas em t/ha. Quando feita a aplicação de defensivos no estádio V8 da cultura do milho, notou-se efeito positivo de todos os defensivos utilizados sobre a severidade da mancha-branca, porém, o fungicida mancozeb, na dosagem 2.500 g.p.c/ha, apresentou controle superior da enfermidade nessas condições, efeito este que resultou em acréscimo de 100% na produtividade. A aplicação em pré-florescimento avaliada pela AACPD demonstrou eficiência de todos os defensivos utilizados nesta época, porém, a mistura epoxiconazole + piraclostrobina apresentou maior controle da severidade da mancha-branca do milho, resultando em acréscimo, de cerca de 90%, na produtividade.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2544
Publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
???metadata.dc.language???: pt_BR
Appears in Collections:DFP - Agronomia/Fitopatologia - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
DISSERTAÇÃO_Controle químico da mancha branca do milho.pdf407.61 kBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.


View Statistics

 


DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback