Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2576
Título: Efeito da sobrealimentação com fontes de proteína de diferentes degradabilidades sobre a ovulação e a taxa de prenhez em ovelhas Santa Inês.
Título(s) alternativo(s): Effect of over-feeding with protein sources from different degradabilities on ovulation and pregnancy rate in Santa Inês sheep.
Autor : Saunders, Gabriela de Abreu
Primeiro orientador: Alves, Nadja Gomes
metadata.teses.dc.contributor.advisor-co: Pérez, Juan Ramón Olalquiaga
Primeiro membro da banca: Souza, José Camisão de
Muniz, Joel Augusto
Área de concentração: Produção animal
Palavras-chave: Flushing
Reprodução
Concentração plasmática de N-ureico
Proteína degradável no rúmen
Flushing
Reproduction
Plasma urea nitrogen
Ruminal degradable protein
Data da publicação: 12-Ago-2014
Referência: SAUNDERS, G. de A. Efeito da sobre alimentação com fontes de proteína de diferentes degradabilidades sobre a ovulação e a taxa de prenhez em ovelhas Santa Inês. 2009. 93 p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2009.
Resumo: Este estudo foi realizado com o objetivo de avaliar o número de ovulações de ovelhas da raça Santa Inês submetidas ao flushing com fontes de proteína de diferentes degradabilidades ruminais. Buscou-se, ainda, avaliar o fornecimento das dietas de flushing antes da ovulação e o fornecimento dessas mesmas dietas ou de uma dieta de mantença após a ovulação sobre a taxa de prenhez e a prolificidade. O experimento foi conduzido no setor de Ovinocultura do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras. Quarenta e quatro ovelhas, as quais tiveram o estro sincronizado, foram distribuídas em dois tratamentos em um delineamento de blocos com três faixas de escore. Os tratamentos consistiram em duas dietas de flushing, isoproteicas, formuladas com farelo de soja - FFS (n=24) ou com glúten de milho e farelo de algodão - FGM+FA (n=20), fornecidas por 28 dias antes da ovulação. Durante 28 dias após a ovulação, as ovelhas continuaram a receber estas mesmas dietas ou receberam uma dieta de mantença, formando quatro tratamentos: T1 - FFS, antes e após a ovulação (n=12); T2 - FFS, antes da ovulação e dieta de mantença após a ovulação (n=11); T3 - FGM+FA, antes e após a ovulação (n=10); T4 - FGM+FA, antes da ovulação e dieta de mantença após a ovulação (n=10). O ganho de PV e de ECC e a concentração de N-ureico no plasma no período anterior à ovulação, o PV e o ECC no 28o dia do experimento, o número de ovulações e o diâmetro do folículo ovulatório não diferiram entre as ovelhas submetidas ao FFS ou FGM+FA (P>0,05). No período anterior à ovulação, as ovelhas que consumiram o FFS apresentaram maior (P<0,05) concentração de N-ureico nos dias 7 e 14 e menor (P<0,05) no dia 28, em comparação às que receberam o FGM+FA (interação tratamento vs dia, P<0,0001). O ganho de PV em todo período experimental e o PV final não diferiram (P>0,05) entre os animais dos tratamentos T1, T2, T3 e T4. O ganho de ECC durante todo o período experimental foi maior (P<0,001) nas ovelhas dos tratamentos T1 e T3 do que nas do tratamento T2. O ECC final foi maior (P<0,05) nas ovelhas do tratamento T3 do que naquelas do tratamento T2. A estimativa da produção de proteína microbiana foi maior (P<0,05) nas ovelhas do tratamento T1, comparadas àquelas dos demais. A concentração de N-ureico foi maior (P<0,05) nas ovelhas dos tratamentos T1 e T3 do que naquelas dos tratamentos T2 e T4. Após a ovulação, o dia de coleta de sangue influenciou a concentração plasmática de N-ureíco (P<0,01). A maior (P<0,01) concentração de N-ureico foi observada no dia 21 e a menor (P<0,01), no dia 28 após a ovulação. A concentração de N-ureico nestes dias não foi diferente (P>0,05) das observadas nos dias 7 e 14. A taxa de prenhez e a prolificidade não diferiram (P>0,05) entre os animais dos tratamentos. O flushing com fontes de proteína de diferentes degradabilidades não alterou o número de ovulações. O fornecimento das dietas de flushing antes da ovulação, seguido pelo fornecimento destas mesmas dietas ou de uma dieta de mantença após a ovulação, não alterou a taxa de prenhez e prolificidade.
This study aimed to evaluate the number of ovulations of Santa Ines sheep submitted to flushing with protein sources from different ruminal degradabilities. In addition, this study aimed to evaluate feeding with flushing diet before ovulation and feeding with this same diet or a maintenance diet after ovulation on pregnancy rate and prolificacy. This experiment was carried out at the Sheep Raising sector at the Animal Science Department of the Federal University of Lavras. Forty-four ewes, which had the estrus synchronized, were assigned to two treatments in a block design with three score levels (2.25 to 2.50, 2.75 and 3.00 to 3, 25). The treatments consisted of two iso-nitrogenous flushing diets, composed of soybean meal - SMF (n = 24) or corn gluten and cottonseed meal - CG+CMF (n = 20), furnished for 28 days before ovulation. For 28 days after ovulation, the ewes continued either to be fed this same diet or a maintenance diet, thus amounting to four distinct treatments: T1 - SMF before and after ovulation (n = 12), T2 - SMF before ovulation and a maintenance diet after ovulation (n = 11), T3 - CG+CMF before and after ovulation (n = 10), T4 - CG+CMF before ovulation and a maintenance diet after ovulation (n = 10). The gain in BW and ECC, and the plasma urea nitrogen concentration during the period prior to ovulation, the BW and ECC on the 28th experimental day, the number ovulations and ovulatory follicle diameter did not differ (P> 0.05) among ewes feed with SMF or CG+CMF. In the period before ovulation the ewes fed with SMF had greater (P<0,05) plasma urea nitrogen concentration on days seven and fourteen and lower (P<0,05) concentration on the 28th day as compared to the ones fed with CG+CMF (interaction treatment vs. day, P <0.0001). The gain in BW throughout the experimental period and the final BW did not differ (P>0,05) among animals in T1, T2, T3 and T4 treatments. The gain in ECC during all the experimental period was higher (P<0,0001) in ewes of T1 and T3 treatments than in those in the T2 treatment. The final ECC was higher (P<0,05) in the ewes of the T3 treatment group than in those in T2 treatment. The estimated production of microbial protein was higher (P <0.01) in ewes of T1 treatment than in the ones in the other treatments. The plasma urea nitrogen concentration was higher (P <0.05) in ewes of T1 and T3 than in those of T2 and T4 treatments. After ovulation, blood collection day influenced in the plasma urea nitrogen concentration (P<0,01). The highest (P<0,01) plasma urea nitrogen concentration was observed on the 21st while the lowest (P<0,01) was on 28th day. Plasma urea nitrogen concentration on those days was not different (P>0,05) from those observed on days seven and fourteen. The pregnancy rate and prolificacy did not differ (P> 0.05) between treatments. The flushing with protein sources from different ruminal degradabilities did not alter the number of ovulations. Feeding ewes with flushing diets before ovulation and feeding them either with this same diet or a maintenance diet after ovulation did not alter the pregnancy rate and prolificacy.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2576
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DZO - Zootecnia - Mestrado (Dissertações)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.