Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DFP - Departamento de Fitopatologia >
DFP - Programa de Pós-graduação >
DFP - Agronomia/Fitopatologia - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2630

Título: Intensidade da ferrugem-asiática-da-soja, em função de boro e manganês
Título Alternativo: Intensity of the Asian soybean rust in function of boron and manganese
Autor(es): Reis, Grazieli Frotas dos
Orientador: Souza, Paulo Estevão de
Membro da banca: Carvalho, Janice Guedes de
Pozza, Edson Ampélio
Área de concentração: Fitopatologia
Assunto: Nutrição mineral
Phakopsora pachyrhizi
Micronutrientes
Mineral nutrition
Micronutrient
Data de Defesa: 5-Mar-2008
Data de publicação: 12-Ago-2014
Referência: REIS, G. F. dos. Intensidade da ferrugem-asiática-da-soja, em função de boro e manganês. 2008. 43 p. Dissertação (Mestrado em Agronomia/Fitopatologia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2008.
Resumo: O fornecimento de níveis adequados dos micronutrientes para a cultura da soja pode reduzir a severidade da ferrugem. Para chegar esta hipótese, plantas de soja (cv. "Conquista") foram cultivadas em solução nutritiva, com duas doses de boro (0,1 e 0,5 mg L-1) combinadas com quatro doses de manganês (0,08; 0,4; 0,8; 1,2 mg L-1). A inoculação das plantas com urediniósporos de Phakopsora pachyrhizi foi realizada no estádio fenológico V3. A severidade foi avaliada de acordo com a escala de Bromfield (1984), em folíolos centrais de trifólios do terço médio das plantas. Cinco avaliações foram realizadas em intervalos semanais. Em seguida, calculou-se a área abaixo da curva de progresso da doença (AACPS). Doses adequadas de Mn (0,8 mgL-1) combinadas com doses adequadas de B (0,5 mgL-1), mantiveram a severidade da ferrugem em níveis mais baixos em relação aos outros tratamentos. Os níveis de pigmentos, fenóis totais e lignina de cinco folhas do terço médio de cada planta foram determinados ao final do experimento. Interações significativas entre doses de B e Mn foram observadas para teores de clorofila total e clorofila a e b. Os maiores teores de clorofila a e b e clorofila total foram observados para a dose 0,5 mg L-1 de B. Não foram observadas diferenças significativas para carotenóides na interação B e Mn e nem efeito isolado das doses de B e Mn. Uma correlação positiva e significativa foi observada para carotenóides e AACPS na dose de 0,5 mg L-1 de B. Para os teores de lignina e fenóis totais não houve interação significativa entre as doses de B e Mn, mas pode se observar efeito isolado para as doses de B. Os maiores teores de lignina foram encontrados na dose de B (0,5 mg L-1). Houve uma correlação negativa e significativa para lignina e AACPS na dose de 0,1 mg L-1 de B.
Adequate levels of micronutrients for the soybean crop may reduce the severity of soybean rust. To check this hypothesis, plants of soybean ("Conquista" cultivar) were treated in nutrient solution, with two doses of boron (0.1 and 0.5 mg L-1) combined with four levels of manganese (0.08, 0.4, 0, 8; 1.2 mg L-1). The inoculation of plants with urediniospores of P. Pachyrhizi was held in the V3 phenological stage. The severity was assessed according to the scale of Bromfield (1984), in central leaflets of the middle third of the plants. Five evaluations were carried at weekly intervals. Then, the area under the disease progress curve (AUDPC) was estimated. Adequate dose of manganese (0.8 mg L-1) combined with adequate dose of boron (0.5 mgL-1), kept the severity of rust at lower levels than other treatments. The levels of pigments, total phenolics and lignin from five leaflets of the middle third of each plant were assessed at the end of the experiment. Significant interactions between doses of B and Mn were noted for the levels of total chlorophyll and chlorophyll a and b. The highest levels of a, b and total chlorophyll were observed at the dose 0.5 mg L-1 of B. No significant interaction between doses of B and Mn were noted regarding carotenoid content. In the same way, isolated effect for doses of B and Mn were not found. A significant positive correlation for carotenoids and AUDPC at the dose of 0.5 mg L-1 was also detected. For the content of lignin and total phenolics no significant interaction between doses of boron and manganese were noted, but the isolated effect for doses of B could be observed. The highest level of lignin was found at the dose of B (0.5 mg L-1). There was a significant negative correlation for lignin and AUDPC at the dose of 0.1 mg L-1.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2630
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DFP - Agronomia/Fitopatologia - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Não há arquivos associados para este Item.

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback