Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/29330
metadata.artigo.dc.title: Impact of iron ore mining on benthic macroinvertebrate community
metadata.artigo.dc.title.alternative: Impacto da mineração de ferro na comunidade de invertebrados bentônicos
metadata.artigo.dc.creator: Rodrigues, Stella Gomes
Bueno, Alessandra Angélica de Pádua
metadata.artigo.dc.subject: Bioindication
Diversity
Metal pollution
Stream
Bioindicação
Córrego
Diversidade
Poluição por metais
metadata.artigo.dc.publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
metadata.artigo.dc.date.issued: 2016
metadata.artigo.dc.identifier.citation: BUENO, A. A. de P. Impact of iron ore mining on benthic macroinvertebrate community. Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 14, n.1, p. 15-19, jan./mar. 2016.
metadata.artigo.dc.description.resumo: Perturbações antrópicas podem afetar negativamente a qualidade dos ecossistemas dulcícolas. Dentre essas perturbações, a mineração de metais tem crescido de forma alarmante, muitas vezes impactando pequenos corpos d’água e, consequentemente as comunidades aquáticas. Dessa forma, o objetivo deste trabalho foi testar a hipótese de que os resíduos de uma mineração de ferro podem diminuir a diversidade de espécies de macroinvertebrados bentônicos de um córrego. Para isso, três córregos foram avaliados em uma área de mineração, sendo que em cada um deles foi feita a coleta dos macroinvertebrados e o registro das variáveis abióticas. Foi constatado que a diversidade de taxa nos córregos afetados é muito inferior a do córrego preservado. Além disso, a composição da fauna nos córregos impactados se restringiu a grupos extremamente resistentes a perturbações ambientais, como Chironomus e Pseudosmittia. Também foi observada uma alteração nas variáveis físico-químicas da água, como sua acidificação e diminuição de oxigênio dissolvido. Este é um dos poucos estudos no Brasil que demonstra que os resíduos de uma mineração de ferro podem diminuir a diversidade e alterar a composição de macroinvertebrados bentônicos, contribuindo para futuros trabalhos de conservação de ecossistemas aquáticos.
metadata.artigo.dc.description.abstract: Anthropogenic disturbances may negatively affect the quality of freshwater ecosystems. Among these disturbances, metal mining has increased at an alarming rate, often impacting small water bodies and thus aquatic communities. Therefore, the aim of this study was to test the hypothesis that the residuals of iron ore mining may decrease the species diversity of a benthic macroinvertebrate community in a stream. For this, three streams were evaluated in a mining area, and in each one samples of the macroinvertebrates were taken and a record of the abiotic factors made. It was found that taxa diversity in impacted streams is much lower than in preserved streams. Furthermore, the fauna composition in impacted streams was restricted to groups extremely resistant to environmental disturbances, such as Chironomus and Pseudosmittia. Changes in the physicochemical parameters of water, such as acidification and a decrease in dissolved oxygen, were also observed. This is one of the few studies in Brazil that demonstrates that the residuals of iron ore mining may decrease the diversity and modify the composition of the benthic macroinvertebrate community, contributing to future studies about the conservation of aquatic ecosystems.
metadata.artigo.dc.identifier.uri: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/29330
metadata.artigo.dc.language: en_US
Appears in Collections:DBI - Artigos publicados em periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO_Impact of iron ore mining on benthic macroinvertebrate community.pdf274,43 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons