Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DFP - Departamento de Fitopatologia >
DFP - Programa de Pós-graduação >
DFP - Agronomia/Fitopatologia - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2958

Título: Controle da disseminação de vírus por meio de vetores na cultura da batata e caracterização molecular de três isolados atípicos de Potato vírus y (PVY)
Título Alternativo: Control of virus spread through vectors on potato field and molecular characterization of three atypical isolates of Potato virus Y (PVY)
Autor(es): Costa, Rejane Rodrigues da
Orientador: Figueira, Antonia dos Reis
Membro da banca: Souza, Ricardo Magela de
Carvalho, Claudine Márcia
Área de concentração: Fitopatologia
Assunto: Resíduo
Batata
PVYNTN
Residues
Potato
Data de Defesa: 1-Ago-2008
Data de publicação: 19-Ago-2014
Referência: CARVALHO, R. R. da C. Controle da disseminação de vírus por meio de vetores na cultura da batata e caracterização molecular de três isolados atípicos de Potato virus y (PVY). 2008. 54 p. Dissertação (Mestrado em Agronomia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2008.
Resumo: In order to study the effect of insecticide treatments on virus spread by aphid vectors and on yield of two potato cultivars, a field experiment was carried out in Lavras-MG-Brazil, using randomized blocks, with 40 tubers for plot and four replicates. Potato tubers of Agata and Emeraude cultivars, with known virus incidence, were submitted to eight combinations of insecticide treatments, two treatments with insecticides plus fungicide Cabrio Top and two controls with no treatments. After the harvest were evaluated the virus incidence, yield and the insecticides residue in the potato tubers. Besides, three atypical isolates of the Potato virus Y (PVY) detected in Minas Gerais and Sao Paulo State-Brazil were also studied. It was accomplished through mechanical inoculation in species of Solonaceae, Amaranthaceae and Chenopodiaceae families, and through molecular characterization, identifying the PVY strain and performing the nucleotide and amino acid analysis of the coat protein gene. All the treatments with insecticides did not decrease the PVY spread in the field, showing that the insecticides are useless when seed potato with high virus incidence is used for sewing. The potato tubers submitted to all the treatments did not show any value of insecticides residue, higher than those allowed by ANVISA, suggesting that the concentration recommended by the manufacturer is safe for the consumer. The plants treated with Cabrio Top + Phorate on sewing presented higher yield when compared with the control and with other treatments. After mechanical inoculation, plants of Chenopodium quinoa, C. amaranticolor, Gomphrena globosa, Datura stramonium, Nicandra physaloides and Capsicum anuum cv. Florida VR2 were immune to all the three isolates. The other inoculated species, Physalis floridana, Nicotiana glutinosa, N. rustica e N. tabacum cvs. Havana, Turkish, Turkish NN e White burley, presented severe mosaic to PVY-AGA isolate and mild mosaic to PVY-AST and PVY-MON. Besides severe mosaic, the tobacco plants cvs. Turkish, Turkish NN and White Burley showed severe vein necrosis, dwarfing and death of old leaves when infected with PVY-AGA. The pepper cultivars, Yolo Y and Bastidon, showed the same mild mosaic when infected with the three virus isolates. The RT-PCR with specific primers allowed to obtain a 609 pb fragment for all the isolates, indicating that they were a variant of the necrotic strain of PVY, which causes tuber necrosis, named PVYNTN. The analysis of nucleotide sequence showed that the identity among the three studies PVY isolates had the same value, 96%. However, the identity of amino acids were different, being 96% only between the PVY-AGA and PVY-MON. The identity between PVY-AST and PVY-MON was 95% and between PVY-AGA and PVY-AST was 94%. Comparing the three studied PVY isolates with other 18 PVY isolates from GenBank the highest nucleotide identity (98%) was observed among PVY-AGA and three isolates from China and one from United States. The highest amino acid identity (98%) was maintained only between PVY-AGA and DQ157180 from USA, named NE-11. In the phylogenetic tree based on the nucleotide sequence, the isolates were located into two groups, and two main subgroups each. The Brazilian isolates were located on the same group, but PVY-AST and PVY-MON were in one subgroup and the PVY-AGA in another one, together with DQ157180. In the phylogenetic tree based on the amino acid sequence, the three Brazilian PVY isolates were displaced separately, but PVY-AGA still was closer to DQ157180 indicating its origin similarity. The PVY-AST isolate behaved as the common ancestor of all the PVY isolates which were analyzed.
Foi realizado um experimento de campo com o objetivo de se verificar o efeito de tratamentos inseticidas na produção e no controle da disseminação de vírus por afídeos vetores. O método empregado foi o de blocos inteiramente casualizados, com quatro repetições e duas cultivares, Ágata e Emeraude, empregando-se dez tratamentos inseticidas, dois tratamentos combinado-se inseticidas com o fungicida Cabrio Top e o controle, sem tratamento. Após a colheita foram avaliadas a incidência de vírus, a produção e o teor de resíduos nos tubérculos de batata produzidos. Foram também caracterizados três isolados virais, diagnosticados por DAS-ELISA como PVY e com sintomas de topo crespo, denominados de AGA-IP, MON-SP e AST-SP. Na caracterização biológica, foram inoculadas mecanicamente espécies pertencentes a três famílias botânicas: Solonaceae, Amaranthaceae, Chenopodiaceae. A caracterização molecular foi feita empregando-se um conjunto de primers específicos para diferenciação de isolados por RT-PCR e um par primers desenhados para amplificar o gene da capa protéica, que foi seqüenciado e analisado, fazendo-se a comparação entre os isolados estudados e outros 18 isolados de PVY disponíveis no "GenBank". No teste com os inseticidas, os diferentes tratamentos não impediram a disseminação do PVY no campo, mostrando que o tratamento com inseticidas torna-se ineficaz quando a semente empregada possui um alto índice desse vírus. As plantas tratadas com Cabrio Top n+ Phorate no sulco de plantio, apresentaram maior produção em relação aos demais tratamentos. Nenhum dos tratamentos com inseticidas deixou resíduos nos tubérculos, que apresentassem valores acima dos permitidos pela ANVISA, sugerindo que a concentração indicada pelo fabricante é segura para o consumidor. As plantas de Chenopodium quinoa, C. amaranticolor, Gompherena globosa, Datura stramonium, Nicandra physaloides e as de pimentão (Capsicum anuum) cv. Florida VR2 foram imunes a todos os três isolados. As demais cultivares testadas, Physalis floridana, Nitotiana glutinosa, N. rústica e N. tabacum cvs. Havana, Turkish, Turkish NN e White burley reagiram com mosaico severo ao isolado AGA-IP e mosaico intermediário aos isolados MON-SP e AST-SP. Além de mosaico severo, as cultivares de fumo Turkish, Turkish NN e White burley apresentaram necrose severa nas nervuras, nanismo e morte das folhas mais velhas, quando infectadas com AGA-IP. As cultivares de pimentão Yolo Y e Bastidon reagiram com mosaico intermediário aos três isolados.O conjunto de primers empregado amplificou uma banda com 609 pb, característica da estirpe necrótica do PVY, variante PVYNTN, para os três isolados estudados. Quando a seqüência de nucleotídeos foi analisada, as identidades entre os isolados estudados foram iguais entre todos eles, sendo de 96% . Entretanto, a identidades de aminoácidos foi igual a 96% apenas entre o isolado PVY-AGA e o PVY-MON, enquanto que e a identidades entre os isolados PVY-AST e PVY-MON foi de 95% e a entre o PVY-AGA e o PVY-AST foi de 94%. Comparando-se com os demais isolados do GenBank, a maior identidade dos três isolados foi com isolados da China e dos Estados Unidos, sendo que maior identidade observada foi de 98% entre o isolado PVY-AGA e o DDQ157180 dos Estados Unidos, denominado de NE-11. O mesmo foi observado na identidade de aminoácidos desses dois isolados. Na árvore filogenética construída com base nos nucleotídeos, os isolados se separaram em dois grandes grupos, com os isolados brasileiros no segundo grupo, sendo que os isolados PVY-MON e PVY- AST se agruparam em um clado e o PVY-AGA em outro clado, próximo ao DQ157180. Já na árvore baseada na seqüência de aminoácidos, os três isolados se separaram em clados diferentes, tendo o PVY-AST se agrupado separadamente de todos os demais, na posição de ancestral comum de todos os demais isolados.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2958
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DFP - Agronomia/Fitopatologia - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_Controle da disseminação de vírus por meio de vetores na cultura da batata e caracterização molecular de três isolados atípicos de Potato vírus y (PVY).pdf274,07 kBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback