Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DAE - Departamento de Administração e Economia >
DAE - Programa de Pós-graduação >
DAE - Administração - Doutorado (Teses) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2974

Título: Efeitos da tangibilidade e intangibilidade de ativos no valor econômico específico das empresas brasileiras de capital aberto: uma abordagem da visão baseada em recursos (RBV)
Autor(es): Leite Filho, Geraldo Alemandro
Orientador: Carvalho, Francisval de Melo
Coorientador(es): Calegário, Cristina Lelis Leal
Membro da banca: Antonialli, Luiz Marcelo
Benedicto, Gideon Carvalho de
Área de concentração: Gestão de Negócios, Economia e Mercados
Assunto: Desempenho econômico superior
Vantagem competitiva
Ativos tangíveis
Ativos intangíveis
Superior economic performance
Competitive advantage
Tangible assets
Intangible assets
Data de Defesa: 6-Dez-2011
Data de publicação: 19-Ago-2014
Referência: LEITE FILHO, G. A. Efeitos da tangibilidade e intangibilidade de ativos no valor econômico específico das empresas brasileiras de capital aberto: uma abordagem da visão baseada em recursos (RBV). 2011. 181 p. Tese (Doutorado em Administração)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2011.
Resumo: O objetivo do trabalho foi verificar o relacionamento e mensurar os efeitos da Tangibilidade e Intangibilidade de Ativos no Valor Econômico Específico das empresas brasileiras de capital aberto sob a perspectiva teórica da visão baseada em recursos (VBR). Os dados foram secundários, obtidos da base da Consultoria Economática, de 387 empresas brasileiras de capital aberto, com informações trimestrais de 1999 a 2010. Foram usadas regressões de dados em painel estático e dinâmico. Como principais resultados, a análise descritiva revelou uma perspectiva de destruição de valor econômico das firmas. A Intangibilidade de Ativos foi um fator que contribuiu para o Valor Econômico Específico das empresas que, juntamente com as outras variáveis do modelo, conseguiram explicar 48,14 % da variação de desempenho das firmas da amostra. Observou-se significativa heterogeneidade do desempenho econômico das empresas nos diversos setores da economia nos quais o endividamento e tamanho das empresas nos setores foram os principais elementos moderadores do desempenho econômico superior. Verificou-se ainda que a Intangibilidade produziu persistência de desempenho econômico superior para as firmas da amostra (27,89 %) e que tal persistência apresentou resultados distintos quando se separam as empresas em agrupamentos setoriais. O estudo também revelou que a tangibilidade de ativos não contribuiu para o desempenho econômico superior das empresas da amostra, contudo o modelo explicou 27,69 % da variação do VEE. Observou-se ainda relevante heterogeneidade de desempenho econômico superior nos agrupamentos setoriais da economia onde o tamanho das empresas nos setores foi o principal atributo que impactou a relação tangibilidade de ativos e VEE. Verificou-se ainda que a tangibilidade não produziu persistência de desempenho econômico superior para as firmas da amostra e que em setores com maiores médias de tangibilidade, considerados tangíveis-intensivos, houve menor persistência de desempenho econômico superior. De uma forma geral, pôde-se concluir que a Intangibilidade de Ativos foi fonte de diferença de desempenho econômico entre as firmas, proporcionando vantagem competitiva traduzida em valor econômico agregado acima da média, bem como vantagem competitiva sustentável. A tangibiliade de ativos não proporcionou vantagem competitiva. Constatou-se, entretanto, diferenças na influência da Intangibilidade e Tangibilidade de Ativos no desempenho econômico superior e persistente nos diversos setores da economia. Concluiu-se que, principalmente os resultados do modelo da Intangibilidade, validaram os principais pressupostos teóricos da VBR, assumidos neste trabalho.
The objective of this study was to investigate the relationship and measure the effects of tangibility and intangibility of assets in specific economic value of publicly traded Brazilian companies from the theoretical perspective of resource-based view (RBV). The secondary data were obtained from the base of Consutoria Economática of 387 publicly traded Brazilian companies, with quarterly information from 1999 to 2010. We used panel data regressions of static and dynamic. As main results, descriptive analysis revealed a view of destroying the economic value of firms. The intangibility of assets has been a contributing factor to the specific economic value of companies, along with other variables in the model could explain 48.14% of the variation in performance of firms in the sample. There was significant heterogeneity in the economic performance of enterprises in different sectors of the economy in which debt and size of companies in the sectors were the main elements moderators of superior economic performance. It was also found that the persistence of Intangibility produced superior economic performance for firms in the sample (27.89%) and that this persistence results presented as separate businesses in separate sectoral groupings. The study also revealed that the tangibility of assets not contributed to the superior economic performance of companies in the sample, however, the model explained 27.69% of the variation in VEE. There was also significant heterogeneity of superior economic performance in sectoral groupings of the economy where the size of companies in the sectors was the main attribute that impacted the ratio of tangible assets and VEE. It was also found that the persistence of tangibility did not produce superior economic performance for firms in the sample and that in sectors with higher average tangibility, considered tangible-intensive, there was a lower persistence of superior economic performance. Overall, we concluded that the intangibility of assets has been a source of difference in economic performance between firms, providing competitive advantage translated into economic value added above average and sustainable competitive advantage. The asset tangibiliade not provide competitive advantage or sustainable competitive advantage. It was noted, however, differences in the influence of tangibility and intangibility of the assets and persistent superior economic performance in the various sectors of the economy. It was concluded that mainly results from the model of Intangibility, validated the theoretical assumptions of RBV assumed in this work.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2974
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DAE - Administração - Doutorado (Teses)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
TESE_Efeitos da tangibilidade e intangibilidade de ativos no valor econômico específico das empresas brasileiras de capital aberto.pdf516,68 kBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback