Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/30183
metadata.artigo.dc.title: Germinação de sementes em função do tratamento pré-germinativo de Chamaecrista debilis (Vogel) Irwin e Barneby
metadata.artigo.dc.creator: Araújo, José Eduardo Vargas Lopes
Nery, Marcela Carlota
Mendonça Filho, Carlos Victor
Pires, Raquel Maria Oliveira
Nery, Fernanda Carlota
Fialho, Cintia Maria Teixeira
metadata.artigo.dc.subject: Leguminoseae
Dormência
Qualidade fisiológica
metadata.artigo.dc.publisher: Universidade Federal de Alagoas (UFAL)
Centro de Ciências Agrárias (CECA)
metadata.artigo.dc.date.issued: 2017
metadata.artigo.dc.identifier.citation: ARAÚJO, J. E. V. L. et al. Germinação de sementes em função do tratamento pré-germinativo de Chamaecrista debilis (Vogel) Irwin e Barneby. Ciência Agrícola, Rio Largo, v. 15, n. 1, p. 1-7, 2017.
metadata.artigo.dc.description.resumo: Chamaecrista Moench pertence à família Leguminosae, subfamília Caesalpinioideae. Diante da escassez de informações sobre os mecanismos de germinação das espécies, objetivou-se com esse trabalho avaliar a eficiência de tratamentos pré-germinativos para superação de dormência de sementes de Chamaecrista debilis. Considerando-se as características aparentes das sementes em relação à espessura do tegumento e sua dureza, foi efetuado teste de germinação com 12 tratamentos: testemunha- sementes intactas, escarificação mecânica com lixa d’água n. 80, imersão em água a 100oC por 5, 10, 15, 30 e 60 segundos e imersão em ácido sulfúrico concentrado por 5, 10, 15, 30 e 60 segundos . Foram avaliadas as porcentagens de germinação das sementes e o índice de velocidade de germinação, além do teor de água das sementes de Chamaecrista debilis. Utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado com quatro repetições, e as médias foram comparadas pelo teste de Scott-Knott, a 5% de probabilidade. As sementes de Chamaecrista debilis apresentaram grau de umidade de 11,71%. Os tratamentos com água a 100ºC por 5, 10 e 15 segundos e ácido sulfúrico por 15 segundos foram os mais eficientes em promover a germinação, indicando que a dormência nessa espécie também deve-se à impermeabilidade do tegumento.
metadata.artigo.dc.identifier.uri: http://www.seer.ufal.br/index.php/revistacienciaagricola/article/view/2363
http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/30183
metadata.artigo.dc.language: pt_BR
Appears in Collections:DBI - Artigos publicados em periódicos

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.