Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/30783
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorBorges, Paula Caixeta-
dc.date.accessioned2018-09-27T18:18:49Z-
dc.date.available2018-09-27T18:18:49Z-
dc.date.issued2018-09-26-
dc.date.submitted2018-07-19-
dc.identifier.citationBORGES, P. C. Efeito do mananoligossacarídeo (MOS) sobre desempenho, saúde intestinal e resposta imune em leitões pós-desmame desafiados por Escherichia coli. 2018. 41 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias)–Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/30783-
dc.descriptionArquivo retido, a pedido do autor(a), até setembro de 2019.-
dc.description.abstractPiglets in postweaning are susceptible to performance declines, intestinal health and immunity due to physiological changes occurring during this breeding phase, concomitant with the occurrence of pathogenic Escherichia coli infections. In order to minimize the direct and indirect losses caused by this sum of factors, the prebiotic mananoligosaccharide (MOS), from yeast cell wall, is used. The objective of this study was to analyze the performance, intestinal health and immune response of piglets in postweaning in a completely randomized experimental design, with and without inclusion of 0.1% commercial MOS (HyperGen®, Biorigin) in the diet and with and without inoculation via oral Escherichia coli K88 + enterotoxigenic. In the microbiological culture there was growth of E. coli in all treatments, the negative control treatment (DC-INO) showed the lowest growth and the treatments with challenge (DC + INO and MOS + INO) showed the highest growth, showing that inoculation was effective due to the greater proliferation of E. coli in the gut of the inoculated animals, as well as a higher formation of volatile fatty acids (VFA) in these animals due to possible dysbiosis caused by the pathogen. Animals that received MOS, regardless of health challenge (MOS + INO and MOS-INO), had higher numbers of proliferating cells in the lymphoid tissues of ileum and mesenteric lymph node, with larger intestinal villi, and better performance indices compared to treatment negative control DC-INO. This proves that the inclusion of MOS in the concentration of 0.1% was able to modulate the immune system, mainly against sanitary challenge, in a controlled and effective way, contributing to the final results of performance. The action of E. coli caused an imbalance of the intestinal microbiota, but did not impair the performance of animals treated with MOS. The treatment with MOS + INO obtained more gains and better performance, due to the action of MOS under intestinal health and the contribution of the VFA, produced in greater quantity due to dysbiosis, that even being a malefic alteration, it increased the energy source of enterocytes, which increased the size of the villi, which contributed to the final gains.pt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Lavraspt_BR
dc.rightsrestrictAccesspt_BR
dc.subjectImuno-histoquímicapt_BR
dc.subjectResposta imune celularpt_BR
dc.subjectMananoligossacarídeopt_BR
dc.subjectSuínopt_BR
dc.subjectImmunohistochemistrypt_BR
dc.subjectCellular immune responsept_BR
dc.subjectMannanoligosaccharidept_BR
dc.subjectSwinept_BR
dc.titleEfeito do mananoligossacarídeo (MOS) sobre desempenho, saúde intestinal e resposta imune em leitões pós-desmame desafiados por Escherichia colipt_BR
dc.title.alternativeEffect of mananoligosaccharide (MOS) on performance, intestinal health and immune response in piglets postweaning challenges by Escherichia colipt_BR
dc.typedissertaçãopt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Ciências Veterináriaspt_BR
dc.publisher.initialsUFLApt_BR
dc.publisher.countrybrasilpt_BR
dc.contributor.advisor1Raymundo, Djeison Lutier-
dc.contributor.advisor-co1Cantarelli, Vinícius de Souza-
dc.contributor.referee1Raymundo, Djeison Lutier-
dc.contributor.referee2Cantarelli, Vinícius de Souza-
dc.contributor.referee3Orlandi, Lidiane-
dc.contributor.referee4Varaschin, Mary Suzan-
dc.description.resumoLeitões no pós-desmame estão susceptíveis a quedas de desempenho, saúde intestinal e imunidade devido a alterações fisiológicas que ocorrem nesta fase de criação, concomitante com a ocorrência de infecções patogênicas por Escherichia coli. A fim de minimizar as perdas diretas e indiretas causadas por esta soma de fatores, o mananoligossacarídeo (MOS), prebiótico advindo de parede celular de levedura, é utilizado. Este trabalho teve por objetivo analisar o desempenho, saúde intestinal e resposta imunológica de leitões no pós-desmame em delineamento experimental inteiramente casualizado, com e sem inclusão de 0,1% MOS comercial (HyperGen®, Biorigin) na dieta e com e sem inoculação via oral de Escherichia coli K88+ enterotoxigênica. No cultivo microbiológico houve crescimento de E. coli em todos os tratamentos, o tratamento controle negativo (DC-INO) apresentou o menor crescimento e os tratamentos com desafio (DC+INO e MOS+INO) apresentaram os maiores crescimentos, mostrando que a inoculação foi eficaz devido a maior proliferação de E. coli no intestino dos animais com inoculação, além de maior formação de ácidos graxos voláteis (AGV) no ceco destes animais, devido a possível disbiose provocada pela ação do patógeno. Os animais que receberam MOS, independente de desafio sanitário (MOS+INO e MOS-INO), tiveram maior quantidade de células em proliferação nos tecidos linfoides de íleo e linfonodo mesentérico, com vilosidades intestinais maiores, além de melhores índices de desempenho, comparado ao tratamento controle negativo DC-INO. Isso comprova que a inclusão de MOS na concentração de 0,1% foi capaz de modular o sistema imune, principalmente frente a desafio sanitário, de forma controlada e eficaz, contribuindo com os resultados finais de desempenho. A ação da E. coli causou um desequilíbrio da microbiota intestinal, mas não prejudicou no desempenho de animais tratados com MOS. O tratamento com MOS+INO obteve mais ganhos e melhor desempenho, pela ação do MOS sob a saúde intestinal e a contribuição dos AGV, produzidos em maior quantidade devido a disbiose, que mesmo sendo uma alteração maléfica, aumentou a fonte de energia dos enterócitos, que aumentou o tamanho das vilosidades, o que contribuiu com os ganhos finais.pt_BR
dc.publisher.departmentDepartamento de Biologiapt_BR
dc.subject.cnpqNutrição e Alimentação Animalpt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/2546620235574070pt_BR
Aparece nas coleções:DMV - Ciências Veterinárias - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.