Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3090
Título: Fair trade: alternativa ao mercado convencional de café e processos de empoderamento de cafeicultores familiares
Título(s) alternativo(s): Fair trade: an alternative to conventional coffee market and procedures for family coffee growers empowerment
Autor : Pedini, Sérgio
Primeiro orientador: Machado, Rosa Teresa Moreira
metadata.teses.dc.contributor.advisor-co: Oliveira, Maria de Lourdes Souza
Primeiro membro da banca: Pereira, José Roberto
Antonialli, Luiz Marcelo
Saes, Maria Sylvia Macchione
Souza, Maria Célia Martins de
Área de concentração: Organizações, Gestão e Sociedade
Palavras-chave: Mercado fair trade
Empoderamento
Certificação
Cafeicultores familiares
Grandes corporações
Fair trade market
Empowerment
Certification
Coffee small farmers
Large corporations
Data da publicação: 21-Ago-2014
Referência: PEDINI, S. Fair Trade: alternativa ao mercado convencional de café e processos de empoderamento de cafeicultores familiares. 2011. 174 p. Tese (Doutorado em Administração)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2011.
Resumo: Neste trabalho utilizam-se os conceitos da Nova Economia Institucional e da Sociologia Econômica para explicar o surgimento do Mercado Fair Trade (MFT), especificamente aquele vinculado à cadeia de comercialização de café da agricultura familiar. A dimensão teórica do empoderamento é apresentada como a balizadora do potencial de transformação que o MFT pode exercer numa organização certificada, dividido em três níveis: econômico, psicológico e cognitivo. O objetivo foi avaliar até que ponto o MFT tem a capacidade de alterar a estrutura habitual de comercialização de café commodity, impactando nos diferentes atores dessa cadeia produtiva e, como consequência, empoderar cafeicultores familiares e suas organizações. Especificamente, estuda a experiência de uma cooperativa do Sul de Minas Gerais, certificada no MFT e atuante no mercado internacional. Para alcançar o objetivo proposto, o trabalho está baseado em pesquisa bibliográfica e em uma pesquisa de campo, dividida entre um survey junto aos cafeicultores da organização estudada e produtores vizinhos não filiados nas mesmas condições e um grupo focal, composto por atores do ambiente organizacional da cooperativa. Os resultados do survey apontaram que apenas os aspectos cognitivos apresentaram diferenças significativas, evidenciando a noção da realidade em que o cafeicultor vive, de forma individual, e sua inserção nos debates do ambiente em que a cooperativa está inserida. Os resultados do trabalho em torno do grupo focal reforçam o papel do MFT no ambiente organizacional local, à luz de uma atuação em rede dos atores envolvidos. Um aspecto analisado foi a entrada de grandes corporações produtoras e distribuidoras de café no MFT e o risco inerente de perda da identidade desse mercado, em vista do afastamento de seus princípios originais. Conclui-se que o MFT tende a amadurecer, processo que já teve seu início com a incorporação da certificação baseada em regras consolidadas como garantia de qualidade e rastreabilidade, mas muito mais agora, quando passa a incorporar grandes corporações econômicas na cadeia. Tanto certificadora quanto cafeicultores e suas organizações terão que aprimorar suas habilidades para acompanhar esse crescimento. O que fortalece o MFT como proposta alternativa são os critérios que o solidificam como um processo de certificação diferenciado, com características únicas de transformação do mercado convencional. O trabalho aponta para a necessidade de continuidade da investigação, incorporando estudos mais aprofundados da condição econômico-financeira dos participantes e uma investigação junto aos consumidores na ponta final da cadeia, quanto aos princípios norteadores do MFT.
This work uses the concepts of New Institutional Economy and Economic Sociology to explain the arising of the Mercado Fair Trade - MFT (Fair Trade Market), specifically the one connected to the family-agriculture coffee trade business chain. The theoretical dimension of empowerment is presented as the distinguisher of the potential transformation that MFT can exert on certified organizations, subdivided in three levels: economical, psychological and cognitive. The aim was to assess how far MFT can modify the usual commodity coffee trade structure thus causing impact on the different actors in such production chain and, consequently, empower family coffee small farmers and their organizations. Specifically, this work studies the experimentation of a cooperative from the south of Minas Gerais state, one that is certified by the MFT and operating in the international market. In order to achieve the goal proposed, this work is based on bibliographical research and a field research, the latter being divided into a survey among coffee small farmers belonging to the organization under study and neighbor producers who are not affiliated under the same conditions, and a focus group featuring actors from the organizational environment of the cooperative. The results from the survey point out that only the cognitive aspects showed significant differences, thus enhancing the notion of the reality in which the farmers lives, individually, and his insertion in the debates of the environment in which the cooperative is inserted. The results from the work concerning the focus group do enhance the role of the MFT in the local organizational environment, under the scope of a net-like performance by the actors involved. One feature analyzed was the affiliation of large production and distribution corporations to the MFT and the inherent risk of loss of identity by that market as it draws away from its original principles. The conclusion reached is that the MFT tends to move towards consolidation, a process that was deflagrated with the incorporation of certification based on solid rules such as quality guarantee and traceability, now more than ever, as it begins to incorporate large economical corporations to the chain. Both the certifier and coffee small farmers must improve their skills, so as to keep track of such growth process. The criteria which solidify the MFT as a differentiated certification process with unique conventional market transformation features are what strengthen MFT as an alternative proposal. This paper points towards an urge for continuity in investigating, incorporating deeper studies on the economical-financial conditions of the participants as well as an investigation on the consumers, at the chain final link, as for the guiding principles of the MTF.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3090
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DAE - Administração - Doutorado (Teses)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE_Fair Trade.pdf1,04 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.