Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/30915
metadata.artigo.dc.title: Genetic diversity and virulence genes in Streptococcus uberis strains isolated from bovine mastitis
metadata.artigo.dc.creator: Loures, Rafael Ambrósio
Pereira, Ulisses de Pádua
Carvalho-Castro, Glei dos Anjos de
Mian, Gláucia Frasnelli
Custódio, Dircéia Aparecida da Costa
Silva, Juliana Rosa da
Costa, Geraldo Márcio da
metadata.artigo.dc.subject: Bovine diseases
Environmental Streptococci
Intramammary infections
Pulsed-field gel electrophoresis (PFGE)
Streptococci virulence
Doenças de bovinos
Estreptococos ambientais
Infecções intramamárias
Virulência bacteriana
metadata.artigo.dc.publisher: Universidade Estadual de Londrina
metadata.artigo.dc.date.issued: 2017
metadata.artigo.dc.identifier.citation: LOURES, R. A. et al. Genetic diversity and virulence genes in Streptococcus uberis strains isolated from bovine mastitis. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 38, n. 4, p. 2595-2606, 2017.
metadata.artigo.dc.description.resumo: A mastite é uma das doenças infecciosas mais onerosas em bovinos leiteiros em todos os continentes. Trata-se de uma doença de cunho multifatoral causada por diferentes microrganismos, incluindo vírus, leveduras, algas, parasitas e várias espécies de bactérias. Entre as bactérias, Streptococcus uberis destacase como um importante agente ambiental, responsável por uma grande variedade de infecções clínicas e subclínicas da glândula mamária, especialmente em sistemas de produção intensivos. Apesar da crescente importância de S. uberis na etiologia da mastite bovina, existem poucos estudos sobre a diversidade populacional e fatores de virulência deste patógeno em rebanhos leiteiros brasileiros.Os objetivos do presente estudo foram investigar as características de virulência e a epidemiologia molecular de S. uberis isolados de mastite bovina em rebanhos brasileiros, utilizando-se a PCR e a eletroforese em gel de campo pulsado (PFGE). Para tal, 46 amostras de S. uberis isoladas de mastite bovina em 26 rebanhos leiteiros de uma mesma mesorregião brasileira foram avaliadas quanto à diversidade populacional por eletroforese em gel de campo pulsado (PFGE), utilizando-se a enzima Smal. Além disso, foi realizada PCR para detectar os genes de virulência pauA e skc, que codificam ativadores de plasminogênio, e do gene sua, que codifica uma proteína de adesão às celulas epiteliais da glândula mamária. Nossos resultados mostraram uma alta diversidade genética na população estudada, com vários padrões de PFGE, e uma elevada frequência dos genes de virulência pesquisados: sua (100%), pauA (91%) e skc (91%). A alta frequência dos genes skc, pauA e sua sugere a importância destes fatores de virulência para S. uberis na colonização da glândula mamária bovina. Estudos moleculares e genéticos sobre este agente podem contribuir muito para melhorar o conhecimento sobre a patogenia, permitindo identificar moléculas que tenham papel relevante no estabelecimento da infecção, fornecendo informações importantes para a adoção de medidas mais eficazes para a prevenção e o controle da mastite bovina.
metadata.artigo.dc.description.abstract: Mastitis is one of the most common and costly infectious diseases in dairy cattle worldwide. This is a multifactorial illness caused by different microorganisms, including virus, yeasts, algae, parasites, and several species of bacteria. Among these bacteria, Streptococcus uberis is an important environmental pathogen that is responsible for a large range of clinical and subclinical mammary infections, especially in intensively managed herds. Despite the increasing importance of this pathogen in the etiology of bovine mastitis, data on its virulence and diversity in Brazilian dairy herds are scarce. The aims of the present study were to investigate the virulence characteristics of S. uberis isolated from bovine mastitis and to assess the molecular epidemiology of the Brazilian isolates using pulsed-field gel electrophoresis (PFGE). In this work, 46 strains of S. uberis isolated from bovine mastitis from 26 Brazilian dairy herds were evaluated regarding their genetic diversity by PFGE using with the SmaI enzyme. Additionally, the presence of the virulence genes skc and pauA, which encode plasminogen activators, and the gene sua, which encodes an adhesion molecule in mammary epithelial cells, were assessed by PCR. Our results showed a high genetic diversity in the population, displaying many different patterns in the PFGE analysis. A high proportion of strains was positive for virulence genes in the sampled population (sua [100%], pauA [91%], and skc [91%]). The high frequency of skc, pauA, and sua genes among the studied strains suggests the importance of these virulence factors, possibly helping S. uberis in the colonization of the bovine mammary gland. Surveys of the genetic and molecular characteristics of this pathogen can improve our knowledge of bacterial activity and identify molecules that have roles in the establishment of the infection. This might help in the development of more effective measures to control and prevent bovine mastitis.
metadata.artigo.dc.identifier.uri: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/30915
metadata.artigo.dc.language: en_US
Appears in Collections:DCS - Artigos publicados em periódicos
DMV - Artigos publicados em periódicos



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons