Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/32169
metadata.teses.dc.title: Protein and lysine sources in nursery piglets diets
metadata.teses.dc.title.alternative: Fontes de proteína e lisina em rações para leitões na fase de creche
metadata.teses.dc.creator: Palencia, Jorge Yair Perez
metadata.teses.dc.creator.Lattes: http://lattes.cnpq.br/1249191184598422
metadata.teses.dc.contributor.advisor1: Abreu, Márvio Lobão Teixeira de
metadata.teses.dc.contributor.advisor-co1: Ferreira, Rony Antônio
metadata.teses.dc.contributor.referee1: Richert, Brian Thomas
metadata.teses.dc.contributor.referee2: Garbossa, Cesar Augusto Pospissil
metadata.teses.dc.contributor.referee3: Rodrigues, Paulo Borges
metadata.teses.dc.contributor.referee4: Cantarelli, Vinícius de Souza
metadata.teses.dc.subject: Programa alimentar
Programa alimentar
Leitões - Nutrição
Fontes proteicas
Feeding program
Limiting amino acid
Piglet - Nutrition
Protein sources
metadata.teses.dc.date.issued: 17-Dec-2018
metadata.teses.dc.description.sponsorship: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
metadata.teses.dc.identifier.citation: PALENCIA, J. Y. P. Protein and lysine sources in nursery piglets diets. 2018. 116 p. Tese (Doutorado em Zootecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2018.
metadata.teses.dc.description.resumo: No artigo 1, foram avaliados os efeitos da substituição de proteínas animais e de peixe por uma mistura proteica fortificada (PROPLEX MVP) sobre o desempenho, estado imunológico, metabólitos microbianos e escore fecal de leitões na creche. Os tratamentos foram: 1) dieta controle (CONT) com fontes de proteína animal e de peixe; 2) MVP PROPLEX (MVP): CONT com o MVP substituindo a farinha de peixe; 3) PROPLEX MVP 100 (MVP100): CONT com MVP substituindo 100% das fontes de proteína animal e de peixe. Considerando todo o período experimental, não houve diferenças significativas (P>0,05) no desempenho dos leitões. Durante a maior parte do período experimental, leitões CONT apresentaram maior escore fecal (P <0,05), fezes mais moles e aquosas e aumentaram a incidência de diarreia em comparação com os leitões MVP100. A concentração total de ácidos graxos voláteis em amostras fecais foi maior (P<0,05) no grupo CONT em comparação ao grupo MVP100. A resposta imune não diferiu significativamente entre os tratamentos. O uso de MVP reduziu (P<0,05) em US $ 1,00 o custo total de alimentação por suíno e 10% a 12% do custo de alimentação por kg de ganho de peso vivo. Assim, a mistura proteica MVP pode ser utilizada como uma alternativa de baixo custo para substituir fontes de proteína animal e de peixe em rações para leitões. No artigo 2, objetivou-se avaliar a biodisponibilidade relativa (RBV) de L-lisina sulfato em comparação com L-lisina HCl e seus efeitos no desempenho, parâmetros sanguíneos, funcionalidade intestinal e digestibilidade aparente das rações de leitões na creche. Os tratamentos foram uma ração basal (CON) formulada para atender 73% dos requerimentos de lisina e outras seis rações em que a ração CON foi suplementada com três níveis (80%, 90% e 100% dos requerimentos de lisina) de L-lisina sulfato (70% L-lisina) ou L-lisina HCl (79% L-lisina). Não houve diferenças significativas (P>0,05) no desempenho e concentrações de ureia plasmática entre as fontes de L-lisina. A RBV da L-lisina sulfato em relação à L-lisina HCl foi de 106%, 119% e 117% para os efeitos no GPD, eficiência alimentar e ureia plasmática, respectivamente. A deficiência de lisina resultou em uma incidência maior de diarreia (P<0,05), enquanto leitões suplementados com L-lisina sulfato ou L-lisina HCl apresentaram maior (P<0,05) altura de vilosidades no jejuno quando comparados àqueles que receberam a ração CON. Rações suplementadas com L-lisina sulfato apresentaram maior (P<0,05) digestibilidade aparente da matéria seca, energia bruta e proteína bruta. Em conclusão, a RBV da L-lisina sulfato é equivalente à de L-lisina HCl para efeitos sobre o GPD, eficiência alimentar e ureia plasmática de leitões na creche.
metadata.teses.dc.description.abstract: Article 1, this experiment observed the effects of replacing animal and fish proteins with a fortified protein blend (PROPLEX MVP) on growth performance, immune status, microbial metabolites, and fecal scoring of nursery piglets. Dietary treatments were: 1) Control diet (CONT) with animal and fish protein sources; 2) PROPLEX MVP (MVP): CONT with MVP replacing Fish meal; 3) PROPLEX MVP 100 (MVP100): CONT with MVP replacing 100% of animal and fish proteins. For the overall nursery period, there were no significant differences in pig final BW, overall ADG and G:F. From the second week and during most of the experimental period, pigs fed CONT had greater (P < 0.05) fecal score, more soft and watery feces, and increased diarrhea incidence compared to MVP100 pigs. The total concentration of fecal volatile fatty acids was greater (P < 0.05) in CONT compared to MVP100 fed pigs. Plasma concentration of IgG, IgA, TNF-α, IL-4, and IL-6 did not differ significantly among dietary treatments. The use of MVP reduced (P < 0.05) by US$1.00 the total feed cost per pig and 10% to 12% of the feed cost per kg of live weight gain. Thus, the MVP protein blend can be used as cost effective alternative to animal and fish proteins in nursery pig diets. Article 2, the aim of this study was to evaluate the relative bioavailability (RBV) of L-Lys sulfate in comparison with L-Lys HCl and its effects on performance, blood parameters, intestinal functionality, and the apparent total tract digestibility in nursery piglets. The basal diet (CON) was lysine-deficient formulated to meet 73% of standardized ileal digestible Lys requirements. For the other diets, the CON was supplemented with three levels (80%, 90%, and 100% of Lys requirements) of L-Lys sulfate (70% L-Lys) or L-Lys HCl (79% L-Lys). There were no significant differences (P > 0.05) in the performance and concentrations of plasma urea between the L-Lys sources. The RBV of L-Lys sulfate relative to L-Lys HCl was 106%, 119% and 117% for effects on ADG, G:F and plasma urea, respectively. Lys deficiency resulted in a greater (P < 0.05) incidence of diarrhea, while pigs supplemented with Lys sulfate or Lys HCl showed greater (P < 0.05) villus height in the jejunum when compared to those receiving the CON. Diets supplemented with L-Lys sulfate had greater (P < 0.05) apparent total tract digestibility of dry matter, gross energy and crude protein. In conclusion, the RBV of L-Lys sulfate for effects on ADG, G:F and plasma urea is equivalent to that of L-Lys HCl for nursery piglets.
metadata.teses.dc.description: Arquivo retido, a pedido do autor, até dezembro 2019.
metadata.teses.dc.identifier.uri: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/32169
metadata.teses.dc.publisher: Universidade Federal de Lavras
metadata.teses.dc.language: eng
Appears in Collections:DZO - Zootecnia - Doutorado (Teses)

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.