Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DAG - Departamento de Agricultura >
DAG - Programa de Pós-graduação >
DAG - Agronomia/Fitotecnia - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3217

Título: Germinação e reindução da tolerância à dessecação em sementes de Bauhinia forficata Link (Fabaceae)
Título Alternativo: Germination and re-induction of desiccation tolerance in seeds of Bauhinia forficata Link (Fabaceae)
Autor(es): Rodrigues, Amanda Cristiane
Orientador: Alvarenga, Amauri Alves de
Membro da banca: Nery, Fernanda Carlota
Polo, Marcelo
Paula, Ana Cardoso Clemente Filha Ferreira de
Área de concentração: Fisiologia vegetal
Assunto: Pata de vaca
Resistência à seca
Sementes germinadas
cow paw
Resistence of dehydration
Germinated seeds
Data de publicação: 25-Ago-2014
Referência: RODRIGUES, A. C. Germinação e reindução da tolerância à dessecação em sementes de Bauhinia forficata Link (Fabaceae). 2010. 53 p. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2010.
Resumo: Bauhinia forficata Link é uma espécie de interesse medicinal e agronômico, conhecida popularmente como pata de vaca. Objetivou-se avaliar algumas características da germinação dessa espécie, bem como sua capacidade de manter a tolerância à dessecação após a germinação. Após beneficiadas, as sementes foram divididas em lotes, sendo utilizado o lote que apresentou maior percentual de germinação. As sementes apresentaram 20% de umidade e o peso de mil sementes foi de 88,23 gramas, essas apresentam impermeabilidade tegumentar, e não segue o padrão trifásico de embebição. Em testes para verificar a influência dos fitormônios ácido abscísico (ABA) e giberelina (GA), a fluridona (inibidor de ABA) aumentou o índice de velocidade de germinação (IVG), e o paclobutrazol (inibidor de GA) diminuiu o IVG. Ambos os inibidores não alteraram o percentual de germinação. A adição de GA não influenciou o IVG e a %G. Quanto à reindução da tolerância à dessecação, o uso de PEG -1,4 MPa possibilitou o restabelecimento da mesma em radículas de até 4 mm de comprimento. A secagem em sílica, sem incubação em PEG, proporcionou a retomada do crescimento apenas em até 3 mm de comprimento, e apresentou um alto percentual de morte da raiz primária, com posterior crescimento de raiz adventícia. Em relação ao crescimento das plântulas, após a reindução da tolerância à dessecação, a secagem em sílica apresentou menor comprimento radicular, número de folhas e massa seca. A composição química das sementes durante o crescimento radicular apresentou um aumento de lipídeos e açúcares totais, e uma diminuição das proteínas e amido. As eletromicrografias de varredura mostraram que durante a secagem na sílica, sem incubação em PEG, ocorre uma perda na conformação das células, o que não ocorre quando as sementes germinadas são incubadas em PEG. O uso de ABA e choque quente durante o processo de reindução da tolerância à dessecação foi prejudicial à mesma, diminuindo o percentual de radículas que retomaram o crescimento.
Informações adicionais: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Agronomia, área de concentração em Fisiologia Vegetal, para obtenção do título de Mestre.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3217
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DAG - Agronomia/Fitotecnia - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_Germinação e reindução da tolerância à dessecação em sementes de Bauhinia forficata Link (FABACEAE).pdf752,95 kBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback