Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DFP - Departamento de Fitopatologia >
DFP - Programa de Pós-graduação >
DFP - Agronomia/Fitopatologia - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/323

Título: Pasteuria penetrans e compostos orgânicos voláteis tóxicos a Meloidogyne sp. em cafezais comerciais do sul do Estado de Minas Gerais
Autor(es): Carmo, Davi Bittar do
Orientador: Campos, Vicente Paulo
Coorientador(es): Oliveira, Denilson Ferreira de
Membro da banca: Salgado, Sônia Maria de Lima
Área de concentração: Fitopatologia
Assunto: Microflora
Supressividade
Aldicarbe
Umidade do solo
Fitonematoides
Supressiveness
Aldicarb
Soil moisture
Phytonematodes
Data de Defesa: 29-Fev-2012
Data de publicação: 2012
Agência de Fomento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq
Referência: CARMO, D. B. do. Pasteuria penetrans e compostos orgânicos voláteis tóxicos a Meloidogyne sp. em cafezais comerciais do sul do Estado de Minas Gerais. 2012. 63 p. Dissertação (Mestrado em Fitopatologia) - Universidade Federal de Lavras, 2012.
Resumo: Natural soil suppressiveness involves different factors, including soil microflora, however the roles of volatiles organic compounds (VOCs) and the bacterium Pasteuria penetrans are not well understood. Aldicarb applied on farms with Melodigyne exigua and without Pasteuria penetrans reduced (P ≤ 0.05) M. exigua populations and increased yields when compared to control (without nematicide application). However, nematicide application in farms with P. penetrans, M. exigua populations and yield remained similar to the control (without nematicide), but parasitized M. exigua J2 was reduced by aldicarb application. In autoclaved coffee soil, P. penetrans endospores were not encoutered, unlike soil dryning where endospores were observed adhered to bioassayed M. exigua J2. Soil drying and autoclaving benefits posterior inoculated M. exigua compared to control (recently collected field soil) and reduced significantly the emission of VOCs toxic to M. exigua J2 when compared to the control. In another assay, the time periods from 6 to 24 hours of J2 exposure to soil VOCs caused mortality from 49% to 98% from a field soil site. Soil stored for 2, 8 and 14 days only furnished consistent high J2 mortality when stored for 2 days in cold room. However, the sampling time has to be observed. The sampling in April, August and October in coffee fields furnished more consistent evaluations of soil emitted VOCs from April sampling. Soil moisture was positively correlated to the J2 mortality caused by soil emitted VOCs. When soil with depleted moisture and low VOC emissions had water replacement, the high J2 toxic VOC emission (above 75% J2 mortality) occurred.
Nos fatores envolvidos na supressividade natural dos solos, inserem-se os compostos orgânicos voláteis (COVs) e a bactéria Pasteuria penetrans, que ainda necessitam de pesquisas. Aldicarbe aplicado em fazendas cafeeiras do Sul de Minas, infestadas por Meloidogyne exigua e sem P. penetrans (Ibiraci), reduziu significativamente a população de M. exigua e aumentou a produção comparada com o controle (sem aplicação do nematicida). Contudo, a aplicação do nematicida nas fazendas com P. penetrans (Capetinga) a população de M. exigua e a produção foram semelhantes ao controle, mas a população de J2 parasitados por P. penetrans foi reduzida pela aplicação do nematicida. Em solos cafeeiros, tratados por autoclavagem, não foram encontrados endósporos de P. penetrans, não ocorrendo com o tratamento do solo por secagem. Contudo, ambos os tratamentos propiciaram a elevação significativa da população de M. exigua em pimentão, comparada com solo recentemente colhido e artificialmente infestado, como também reduziram a emissão de COVs tóxicos a M. exigua. Em outro ensaio, os J2 de M. exigua foram expostos por 6 a 24 h aos COVs emitidos por solos cafeeiros causando mortalidade de 49 a 98%, respectivamente. Quando o solo foi armazenado em câmara fria (8-10°C) por 2, 8 e 14 dias, a mortalidade J2 só foi elevada e consistente aos dois dias. Das amostragens feitas no campo em abril, agosto e outubro, os dados mais consistentes de emissão de COVs tóxicos a J2 de Meloidogyne sp., só ocorreram em abril. A umidade do solo amostrado no campo correlacionou-se, positivamente, com a mortalidade causada pela emissão de COVs. Quando o solo com baixa umidade (≤ 20%) e baixa emissão de COVs tóxicos a J2 recebeu suplementação de água, a emissão de COVs tóxicos foi superior a 75% de mortalidade de J2.
Informações adicionais: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitopatologia, área de concentração em Fitopatologia, para a obtenção do título de Mestre.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/323
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DFP - Agronomia/Fitopatologia - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTACAO Pasteuria penetrans e compostos orgânicos voláteis tóxicos a Meloidogyne sp. em cafezais co.pdf449,13 kBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback