Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DCF - Departamento de Ciências Florestais >
DCF - Programa de Pós-graduação >
DCF - Engenharia Florestal - Mestrado (Dissertações) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3396

Title: Armazenamento de plântulas de Sesbania virgata
Other Titles: Storage of Sesbania virgata seedlings
???metadata.dc.creator???: Costa, Maria Cecília Dias
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Faria, José Márcio Rocha
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Martins, Joeferson Reis
???metadata.dc.contributor.referee1???: Guimarães, Renato Mendes
José, Anderson Cleiton
Silva Júnior, Jessé Marques da
???metadata.dc.description.concentration???: Ciências Florestais
Keywords: Tolerância à dessecação
Sementes germinadas
Estresse osmótico
Desiccation tolerance
Germinated seeds
Osmotic stress
???metadata.dc.date.submitted???: 8-Nov-2011
Issue Date: 1-Sep-2014
Citation: COSTA, M. C. D. Armazenamento de plântulas de Sesbania virgata. 2011. 77 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2011.
???metadata.dc.description.resumo???: Estudos utilizando sementes sensíveis à dessecação encontram diversos obstáculos, como a perda rápida da viabilidade no armazenamento. Assim, plântulas de espécies com sementes ortodoxas, como Sesbania virgata, têm sido usadas em estudos da sensibilidade à dessecação e comportamento no armazenamento. Objetivou-se avaliar a longevidade no armazenamento de plântulas de S. virgata submetidas a tratamentos de restrição hídrica e secagem. Foram realizados: curvas de secagem em diferentes velocidades; avaliação da sobrevivência após secagem direta em sílica gel até 10% de grau de umidade precedida ou não por incubação em PEG (-2,04 MPa) ou PEG+ABA (-2,04 MPa e 100μM); armazenamento das plântulas por 0, 30, 60, 90, 180 e 240 dias a -15, 5 e 22ºC; teste de condutividade elétrica; análise de imagens de microscopia eletrônica de varredura; avaliação da integridade do DNA; análise de padrão eletroforético de proteínas resistentes ao calor e catalase; e observação anatômica da formação de raízes laterais. A maioria (94%) das plântulas de S. virgata com raiz primária de 1 mm de comprimento se mostrou tolerante à dessecação, enquanto somente 16% daquelas com raiz de 2 e 3 mm de comprimento permaneceram tolerantes após a secagem em sílica gel. A secagem rápida favoreceu a sobrevivência das plântulas com raiz de 2 mm em relação à secagem lenta, enquanto nas com raiz de 1 mm a velocidade não produziu diferenças. Nenhum dos tratamentos adotados foi efetivo em restabelecer a tolerância à dessecação (TD) em plântulas com raiz de 3 mm, que apresentaram alta lixiviação de solutos e desestruturação irreversível de membranas, embora a integridade do DNA não tenha sido alterada. Por outro lado, aquelas com raiz de 1 mm mantiveram elevadas as porcentagens de reindução do crescimento, sem aumento significativo na condutividade elétrica, alterações ultraestruturais nas paredes celulares ou degradação do DNA. Quando armazenadas por 240 dias, temperaturas mais baixas foram mais propícias às plântulas com 1 mm de raiz. Houve redução no número e na intensidade das bandas referentes a proteínas resistentes ao calor entre sementes secas e plântulas com 1 e 3 mm de raiz. A atividade da catalase também apresentou redução com o aumento do comprimento da raiz, embora tenha permanecido aparentemente inalterada nas sementes secas e nas plântulas com raiz de 1 mm e durante o armazenamento por 90 dias. A emissão de raízes laterais pode ser considerada um fenômeno normal e decorrente da própria formação do sistema radicular mesmo quando o meristema apical da raiz está inativado. Assim, é possível o armazenamento por 240 dias a temperaturas até 5ºC de plântulas de S. virgata com raiz de 1 mm de comprimento submetidas à secagem até 10% de grau de umidade.
The extent to which desiccation can be tolerated varies among species. Desiccation tolerance (TD) is acquired late in orthodox seeds development and is considered an important trait to enable seed survival during storage or environmental stress. Studies employing desiccation sensitive seeds are hindered due their inherent characteristics (e.g. short storage life span). Seedlings of orthodox-seed species, as Sesbania virgata, have being used in desiccation sensitivity and storage behavior studies. The aim of this work was to evaluate the storage longevity of S. virgata seedlings treated with osmotic solutions and dried. Were performed: slow and fast dry test; survival evaluation after dehydration in silica gel and incubation in PEG (-2,04 MPa) and PEG+ABA (-2,04 MPa and 100μM) + dehydration in silica and storage (0, 30, 60, 90, 180 and 240 days) in -15, 5 and 22 ºC; electrical conductivity test; scanning electron microscopy image analysis; DNA integrity analysis; electrophorectic patterns of heat resistant proteins and catalase analysis; and anatomical observations of lateral root formation. Most (94%) of S. virgata seedlings dried in silica gel exhibiting primary root with 1 mm were still able to tolerate drying, whereas only 16% of the ones with 2 or 3 mm primary root were desiccation tolerant. Fast dry was better than slow dry to seedlings with 2 mm primary root, but both had the same effect in seedlings with 1 mm primary root. None of the treatment was effective in re-establish TD in stored seedlings with 3 mm primary root, which presented high solute leakage and membrane disruption, but didn´t show DNA degradation. On the other hand, seedlings with 1 mm primary root presented high percentage of growth re-induction, without raise the electrical conductivity, show ultrastructural damage or DNA degradation after desiccation preceded or not by PEG or PEG+ABA incubation. After 240 days of storage, low temperatures were more favorable to seedlings with 1 mm primary root. There was reduction in number and intensity of the heat resistant proteins bands when comparing dry seeds and seedlings with 1 mm primary root and seedling with 1 and 3 mm primary root. Catalase activity decreased in seedlings with 3 mm primary root when compared with 1 mm, but remained unaltered in dry seeds and seedlings with 1 mm root and during storage. Lateral root formation was considered a regular phenomenon of the root system formation, operating even if the root apex meristem is inactivated. Finally, the storage of S. virgata seedlings dehydrated to 10% water content during 240 days in temperatures at least 5ºC is possible.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3396
Publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
???metadata.dc.language???: pt_BR
Appears in Collections:DCF - Engenharia Florestal - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
DISSERTACAO_Armazenamento de plântulas de Sesbania virgata.pdf1.72 MBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.


View Statistics

 


DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback