Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3417
Título: Caracterização molecular de clones de mandioca (Manihot esculenta Crantz) da Universidade Federal de Lavras
Título(s) alternativo(s): Molecular characterization of clones of cassava (Manihot esculenta Crantz) the Universidade Federal de Lavras
Autor : Oliveira, Marcus Vanner Carvalho de
Primeiro orientador: Carvalho, Samuel Pereira de
Primeiro membro da banca: Pasqual, Moacir
Bonome, Lisandro Tomás da Silva
Pádua, Juliano Gomes
Custodio, Telde Natel
Área de concentração: Fitotecnia
Palavras-chave: Manihot esculenta Crantz
Marcadores microssatélites
Similaridade genética
Microssatellite markers
Genetic similarity
Data da publicação: 2-Set-2014
Referência: OLIVEIRA, M. V. C. de. Caracterização molecular de clones de mandioca (Manihot esculenta Crantz) da Universidade Federal de Lavras. 2008. 82 p. Tese (Doutorado em Agronomia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2008.
Resumo: A cultura da mandioca é fundamental para a alimentação de mais de 500 milhões de pessoas nos países situados entre os paralelos 30 ºN e 30 ºS, onde ela adapta-se bem devido à grande diversidade genética que apresenta. Como técnicas eficientes na identificação dessa variabilidade, os marcadores de DNA são úteis em estudos de evolução, domesticação, ecologia, filogenia, mapeamento genético e clonagem de genes. Objetivou-se identificar a variabilidade genética de 100 clones de mandioca da coleção de acesso UFLA, e também a semelhança molecular entre dez clones novos, obtidos por policruzamento entre cultivares de mesa e indústria já consagradas no mercado. A pesquisa foi desenvolvida no Departamento de Agricultura da Universidade Federal de Lavras, MG (UFLA). Os clones de mandioca da coleção de acessos da UFLA foram caracterizados molecularmente utilizando-se marcadores microssatélites. Na primeira etapa, 100 clones foram identificados molecularmente, sendo 77 novos clones obtidos por policruzamento em 1998 na UFLA e 23 clones de cultivares já usadas popularmente. Na segunda etapa, avaliou-se o comportamento molecular em 10 clones de mandioca do acesso UFLA em relação a 10 cultivares comerciais, dentre elas cinco de mesa e cinco de indústria. Observou-se que os primers 7 e 11 não amplificaram alelos para nenhum dos 100 clones. O primer 13 foi o que apresentou maior polimorfismo. Os coeficientes de similaridade entre clones, nesta etapa, variaram de 0 a 94%. Houve formação de grupos homogêneos quando a similaridade média dentro dos grupos foi até 0,55. Na segunda etapa, os coeficientes de similaridade variaram de 15 a 75%. As cultivares "Fibra", "IAC13" e "IAC15", de propósito industrial, agruparam-se sob elevado índice de similaridade. O clone "UFLA E" agrupou-se com a cultivar "IAC 576/70", assim como o clone "UFLA 7" agrupou-se com a cultivar "Casca-Roxa". Portanto, os microssatélites mostraram-se eficientes para determinar a similaridade genética entre clones de mandioca da coleção de acesso da UFLA, e ainda possibilitaram identificar a aptidão comercial de clones novos de mandioca. Os dendrogramas gerados com base nos alelos amplificados demonstram a existência de grupos de clones geneticamente similares. Inferências são feitas com base nas identificações.
The characteristics of the clones used in the cassava cultivation vary in according to the commercial aptitude of the culture, for industrial processing or "in nature" human consumption. The present research aimed to identify new cassava clones obtained by polycross in the Federal University of Lavras (UFLA) in 1998 regarding those aptitudes. For such, an attempt was made to identify clones with molecular patterns similar to the patterns presented by the commercial clones. The methodology used for the DNA extraction and the obtaining the band patterns was the same recommended for the of Microsatellite molecular marker technique. The molecular characterization of the cassava clones of the UFLA accession and commercial clones already established presented a distribution similarity concentrated in two large groups. One group is composed by commercial "in nature" human consumption clones Baiana, Casca-roxa and IAC 576-70, and the UFLA 7, UFLA E, UFLA 22 and UFLA 55 accesses. The other group is composed by commercial industrial processing clones, FIBRA, IAC 12, IAC 13, IAC 14 e IAC 15, and the UFLA 20, UFLA 33, UFLA 36 and UFLA 64 accesses. The commercial cultivar Ouro-do-vale and the clones UFLA 38 and UFLA 69 not framed in any group, either "in nature" human consumption or industrial processing, while the clone Pão-da-China ("in nature" human consumption) was grouped together with clones for the industrial processing. So, the use of primers was appropriate to group the clones for the "in nature" human consumption, but not for industry. Molecular markers of the type Microsatellites, using 13 primers for amplification, became possible to characterize 100 cassava clones, namely, 77 obtained by polycrossing in the year of 1998 in the Federal University of Lavras and 23 cultivars already in use by farmers. The obtaining of the genetic material from DNA extraction was done from leaves of cassava clones of the UFLA collection of accessions. The results point out that primer 13 presented higher amplification of alleles. However, primers 7 and 11 did not amplify alleles for none of the clones and bands. The dendrograms generated on the basis on the amplified alleles demonstrated the existence of groups of genetically similar clones and some inferences are done on the basis of the identification.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3417
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DAG - Agronomia/Fitotecnia - Doutorado (Teses)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.