Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DCS - Departamento de Ciência do Solo >
DCS - Programa de Pós-graduação >
DCS - Ciência do Solo - Doutorado (Teses) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3588

Título: Deficiências nutricionais em bananeira ornamental (Musa velutina H. Wedl. & Drude): Alterações químicas e morfológicas e caracterização de sintomas visuais
Título Alternativo: Nutritional deficiencies in pink velvet banana plant (Musa velutina H. Wendll. & Drude): Chemical and morphological changes and characterization of visual symptoms
Autor(es): Pinho, Paulo Jorge de
Orientador: Carvalho, Janice Guedes de
Coorientador(es): Bastos, Ana Rosa Ribeiro
Membro da banca: Castro, Evaristo Mauro de
Muraoka, Takashi
Silva, Enilson de Barros
Assunto: Banana - Plantas ornamentais
Banana - Deficiência nutricional
Data de Defesa: 19-Dez-2007
Data de publicação: 5-Set-2014
Referência: PINHO, P. J. de. Deficiências nutricionais em bananeira ornamental (Musa velutina H. Wedl. & Drude): alterações químicas e morfológicas e caracterização de sintomas visuais. 2007. 152 p. Tese (Doutorado em Ciência dos Alimentos)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2007.
Resumo: O objetivo deste trabalho foi de caracterizar os sintomas visuais de deficiências nutricionais simples e múltiplas, a composição química, exportação e aspecto de cachos sob omissão de nutrientes, efeitos de deficiências nutricionais no crescimento e na nutrição mineral e alterações morfo-anatômicas. O experimento foi realizado em casa-de-vegetação da área experimental do Departamento de Ciência do Solo da Universidade Federal de Lavras (Lavras-MG). O experimento foi iniciado em novembro de 2006, por um período de seis meses. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com 5 repetições e 12 tratamentos. Os tratamentos consistiram de: Solução Hoagland & Arnon (1950) completa, com omissão de N (-N), com omissão de P (-P), com omissão de K (-K), com omissão de Ca (-Ca), com omissão de Mg (-Mg), com omissão de S (-S), com omissão de B (-B), com omissão de Fe (-Fe), com omissão de Mn (-Mn), com omissão de Ca e B (-CaB) e com omissão de Mg e Mn (-MgMn). Os dados obtidos foram submetidos a análise de variância e as médias avaliadas pelo teste Scott & Knott (p ≤ 0,05). As plantas foram observadas, verificando-se as alterações decorrentes das omissões de nutrientes e os sintomas caracterizados e fotografados à medida que ocorriam durante o período experimental. Os sintomas visuais de deficiências nutricionais foram semelhantes aos descritos na literatura para a bananeira comestível. Há dominância dos sintomas de B quando esse nutriente é omitido em conjunto com o Ca. Sob omissão simultânea de Mg e Mn, os sintomas apresentados foram característicos dos dois nutrientes. Na ocasião da colheita, os cachos foram fotografados e os efeitos dos tratamentos foram avaliados através de medidas e aparência visual dos mesmos. Foram avaliados o comprimento do engaço, número de pencas, número de frutos, comprimento e diâmetro do fruto central da primeira penca e determinados os teores e acúmulos de nutrientes dos cachos. Sob omissão de N, K e B não houve emissão de cachos. A omissão de nutrientes tanto de forma simples quanto múltipla afetou os parâmetros de crescimento dos cachos assim como seu aspecto visual. A omissão de Mn e MgMn diminuíram a intensidade da cor dos cachos. A ordem de exportação de nutrientes pelos cachos foi: K> N> Ca> Mg> P> S> Fe> Zn> Mn> B> Cu. Foram avaliados semanalmente a altura das plantas e o diâmetro do pseudocaule. Por ocasião da colheita foi avaliado ainda o número de folhas e o comprimento e largura da terceira folha. As plantas foram divididas em folhas + pseudocaule, rizoma, raiz e perfilhos para determinação da composição química de cada parte. Na emissão da inflorescência foi coletada a folha III para determinação química. Foram determinadas as curvas de crescimento e a área abaixo da curva de crescimento das plantas sob cada tratamento. A omissão de nutrientes tanto de forma simples quanto múltipla afetou os parâmetros de crescimento das plantas, a produção de matéria seca e os teores e acúmulos de nutrientes. O nutriente que mais afetou a produção de matéria seca foi o K. Sob omissão de K não houve emissão de perfilhos. De maneira geral, os teores encontrados para bananeira ornamental estavam próximos aos preconizados na literatura para as bananeiras comestíveis. Para a análise anatômicas partes das folhas sintomáticas foram coletadas. Essas folhas foram fixadas em FAA70 e conservadas em etanol 70%. Foram realizados cortes transversais para medições da espessura das epidermes, hipodermes e dos parênquimas. Foram ainda medidos a densidade estomática da face abaxial e adaxial e os diâmetros polar e equatorial dos estômatos. Somente a espessura da epiderme adaxial não foi afetada pela omissão de nutrientes. A densidade estomática e os diâmetros polar e equatorial foram afetados pelos tratamentos.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3588
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DCS - Ciência do Solo - Doutorado (Teses)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
TESE_Deficiências nutricionais em bananeira ornamental (Musa velutina H. Wedl. & Drude) alterações químicas e morfológicas e caracterização de sintomas visuais.pdf1,26 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback