Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/37140
metadata.eventos.dc.title: Relação entre ativos intangíveis e o desempenho superior: um estudo do setor industrial brasileiro
metadata.eventos.dc.creator: Oliveira, Cledison Carlos de
Benedicto, Gideon Carvalho de
Prado, José Willer do
Calegário, Cristina Lélis Leal
metadata.eventos.dc.subject: Intangibilidade
Ativos intangíveis
Desempenho econômico
metadata.eventos.dc.date.issued: 2018
metadata.eventos.dc.identifier.citation: OLIVEIRA, C. C. de et al. Relação entre ativos intangíveis e o desempenho superior: um estudo do setor industrial brasileiro. In: INTERNATIONAL CONFERENCE IN ACCOUNTING, 18., 2018, São Paulo. Anais... [S.l.]: [s.n.], 2018. p. 1-17.
metadata.eventos.dc.description.resumo: Os ativos intangíveis são apontados por Kayo e Famá (2004) e Perez e Famá (2006) como sendo o principal fator de diferenciação das empresas, além de propiciarem maior eficiência econômica e financeira para as firmas. Neste sentido, o objetivo deste trabalho é investigar os efeitos da intangibilidade de ativos no desempenho econômico superior específico das empresas brasileiras de capital aberto com ações negociadas na BM&FBovespa, do setor industrial a partir da crise de 2008. Para tanto, as variáveis foram analisadas por meio de uma estatística descritiva, na sequência foi usada a técnica de regressão com dados em painel, o método de estimação de efeitos fixos (EF) foi considerado o mais adequado pelo teste de Hausman. Entretanto, com a existência de heteroscedasticidade sendo confirmada pelo teste de Wald, vê-se a necessidade de o método de efeitos fixos com erros padrão robustos para heterocedasticidade. A escolha deste método de efeitos fixos proporciona uma modelagem mais consistente e robusta para o trabalho. O banco de dados contém dados anuais coletados de 2008 a 2016, referente às indústrias brasileiras. Da forma como foi construída a variável de interação da intangibilidade com o setor industrial, as estimativas resultantes das regressões por EF mostraram que a intangibilidade tem uma relação negativa, e significativa estatisticamente a 1% no geral para o setor industrial. O que nos leva a inferir que a influência da intangibilidade no desempenho econômico superior das empresas brasileiras de capital aberto do setor industrial difere entre os setores industriais da economia, e que a intangibilidade dos ativos contribuiu de forma significativa para o desempenho econômico acima da média das firmas integrantes desses setores, de forma negativa.
metadata.eventos.dc.description.uri: https://congressousp.fipecafi.org/anais/Anais2018/ArtigosDownload/823.pdf
metadata.eventos.dc.language: pt_BR
Appears in Collections:DAE - Trabalhos apresentados em eventos

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.