Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/38713
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorMesquita, Cristiane Aparecida Moreira-
dc.date.accessioned2020-01-27T17:11:51Z-
dc.date.available2020-01-27T17:11:51Z-
dc.date.issued2020-01-24-
dc.date.submitted2019-10-25-
dc.identifier.citationMESQUITA, C. A. M. Inferência sorológica de espécies da ordem Rickettsiales de importância em saúde pública em cães no Sul de Minas Gerais. 2019. 46 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias)–Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/38713-
dc.descriptionArquivo retido, a pedido do autor(a), até janeiro de 2021.-
dc.description.abstractDiseases caused by bacteria of the order Rickettsiales are a major public health challenge. A high fatality rate may be associated with health professionals' lack of knowledge about the patient's clinical and epidemiological history and their circulation in the geographical area. This leads to late diagnosis and treatment. Dogs are host to ticks and sentinels to zoonoses, so investigating the presence of anti-rickettsia and anti-anaplasma antibodies in these is important in regions with no recorded human cases. This study aimed to determine the presence of circulating Rickettsiales pathogens in the city of Lavras/MG, through the Indirect Immunofluorescence Reaction (RIFI), in dogs, considering that there are no reports of animal and/ or human cases in the region. A bank of canine serums stored in the Laboratory of Pathology of the Department of Veterinary Medicine at the Federal University of Lavras, collected in 2010 was used. Serums of ninety-nine urban and hundred rural dogs were tested for anti-Rickettsia amblyommatis antibodies, R. belli, R. parkeri, R. rickettsii and Anaplasma phagocytophilum. Descriptive analysis of all variables was performed, and the association between each diagnosis with urban/rural area, gender and age were tested by the chi-square test, considering the statistical significance of p <0.05 and calculated odds ratios with a confidence interval of 95%. Titers equal or greater than 1:64 and 1: 320 were considered positive for rickettsiae and A. phagocytophilum, respectively. In the case of co-infection between rickettsiae, the final titer agent was four times higher than the others in the IFAT, and was considered as the most likely diagnosis. Of the samples, 61.8% (123/199) were seropositive for rickettsiae. Of these, 26.0% (32/123) had a reaction for more than one species: ten were considered probable for R. parkeri and one as R. rickettsi, the remainders were considered as coinfection. The R. rickettsii species had the highest rate of co-infections 71.9% (23/32), but with titers ranging from 1/64 to 1/256. There was no significant difference (p> 0.05) among areas, gender or age. In this comparison by species, only seropositive for R. parkeri and R. belli showed significant differences between areas, p=0.037 and p=0.017, respectively. However, for R. rickettsii and R. amblyommatis there were no differences between the two groups. In the analysis of the risk estimate (OR), dogs from the urban area had 5.16 (CI=0.13 to 0.85) times more chance of seropositivity for R. parkeri and 3.39 (CI = 0.27 to 0,96) times for R. belli compared to rural animals. Regarding the serological research related to A. phagocytophilum, 19.1% (38/199) were reactive when considering the 1:40 cutoff point, but only two sera (1%), both from rural areas, were positive with titer. four times the cut-off point, ruling out a possible cross-reaction with A. platys. One of the sera positive for A. phagocytophilum was also reactive to R. parkeri. The results indicate the circulation of bacteria of the order Rickettsiales in Lavras/ MG, with dogs seropositive for R. parkeri, R. rickettsii, R. belli, R. amblyommatis and A. phagocytophilum, in this frequency order. Some of it has a similar frequency in endemic regions in Brazil. Consequently, due to the absence of clinical cases, it can be inferred that the region is a silent area for Brazilian Macular Fever and Human Granulocytic Anaplasmosis. The risk and the need to adopt environmental surveillance measures for early diagnosis of possible human cases should be considered.pt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Lavraspt_BR
dc.rightsrestrictAccesspt_BR
dc.subjectRickettsia spp.pt_BR
dc.subjectAnaplasma phagocytophilumpt_BR
dc.subjectReação de imunofluorescência indiretapt_BR
dc.subjectEpidemiologiapt_BR
dc.subjectIndirect immunofluorescence reactionpt_BR
dc.subjectEpidemiologypt_BR
dc.subjectZoonosept_BR
dc.subjectEctoparasitaspt_BR
dc.subjectCarrapatospt_BR
dc.subjectSorologiapt_BR
dc.subjectZoonosispt_BR
dc.subjectEctoparasitespt_BR
dc.subjectTick-borne infectionspt_BR
dc.subjectSerologypt_BR
dc.titleInferência sorológica de espécies da ordem Rickettsiales de importância em saúde pública em cães no Sul de Minas Geraispt_BR
dc.title.alternativeSerological inference of species of order Rickettsiales of importance in public health in dogs in South Minas Geraispt_BR
dc.typedissertaçãopt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Ciências Veterináriaspt_BR
dc.publisher.initialsUFLApt_BR
dc.publisher.countrybrasilpt_BR
dc.contributor.advisor1Rocha, Christiane Maria Barcellos Magalhães da-
dc.contributor.advisor-co1Guimarães, Antônio Marcos-
dc.contributor.referee1Guimarães, Antônio Marcos-
dc.contributor.referee2Guedes, Elizangela-
dc.contributor.referee3Rocha, Gino Chaves da-
dc.contributor.referee4Silveira, Júlia Angélica Gonçalves-
dc.description.resumoDoenças causadas por bactérias da ordem Rickettsiales são um grande desafio para saúde pública. Alta taxa de letalidade pode estar associada ao desconhecimento dos profissionais de saúde sobre histórico clínico-epidemiológico do paciente e circulação destes na área geográfica. Isso leva a diagnóstico e tratamento tardio. Cães são hospedeiros para carrapatos e sentinelas para zoonoses, portanto investigar a presença de anticorpos anti-riquétsia e anti-anaplasma nestes é importante em regiões sem registro de casos humanos. Esse estudo teve como objetivo determinar a presença de patógenos da ordem Rickettsiales circulantes no município de Lavras/MG, por meio da Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI), em cães, considerando que não há relatos de casos animais e/ou humanos na região. Utilizou-se banco de soros caninos armazenados no Laboratório de Patologia do Departamento de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Lavras coletados em 2010. Foram testados 99 soros de cães da zona urbana e 100 da zona rural para pesquisa de anticorpos anti-Rickettsia amblyommatis, R. belli, R. parkeri, R. rickettsii e Anaplasma phagocytophilum. Realizou-se análise descritiva de todas as variáveis, e testou-se associação entre cada diagnóstico com a área urbana/rural, sexo e idade pelo teste do qui-quadrado, considerando significância estatística de p<0,05 e calculou-se odds ratio com intervalo de confiança de 95%. Títulos iguais ou superiores a 1:64 e 1:320 foram considerados positivos para riquétsias e A. phagocytophilum, respectivamente. No caso de coinfecção entre riquétsias, foi considerado como diagnóstico mais provável o agente com título final quatro vezes superiores aos outros na RIFI. Das amostras, 61,8% (123/199) foram soropositivas para riquétsias. Destas, 26,0% (32/123) apresentaram reação para mais de uma espécie: dez foram considerados como provável para R. parkeri e uma como R. rickettsi, o restante foi considerado como coinfecção. A espécie R. rickettsii apresentou maior taxa de coinfecções 71,9% (23/32), mas com títulos que variaram de 1/64 a 1/256. Não houve diferença significativa (p>0,05) entre as áreas, sexo ou idade. Nessa comparação por espécies, apenas soropositivos para R. parkeri e R. belli apresentaram diferença significativa entre áreas, p=0,037 e p=0,017, respectivamente. Porém, para R. rickettsii e R. amblyommatis não houve diferenças entre os dois grupos. Na análise da estimativa de risco (OR), cães da área urbana apresentaram 5,16 (IC=0,13 a 0,85) vezes mais chance de soropositividade para R. parkeri e 3,39 (IC=0,27 a 0,96) vezes para R. belli se comparados aos animais da zona rural. Quanto à pesquisa sorológica relacionada ao A. phagocytophilum, 19,1% (38/199), foram reativos quando considerado o ponto de corte 1:40, porém somente dois soros (1%), ambos da zona rural, foram positivos com título final quatro vezes superior ao ponto de corte, descartando uma possível reação cruzada com A. platys. Um dos soros positivos para A. phagocytophilum, também foi reativo a R. parkeri. Os resultados indicam a circulação de bactérias da ordem Rickettsiales em Lavras/MG, com cães soropositivos para R. parkeri, R. rickettsii, R. belli, R. amblyommatis e A. phagocytophilum, nesta ordem de frequência. Alguns com frequência semelhante a regiões endêmicas no Brasil. Conseqüentemente, pela ausência de casos clínicos pode-se inferir que a região é área silenciosa para Febre Maculosa Brasileira e Anaplasmose Granulocítica Humana. Deve-se considerar o risco e a necessidade da adoção de medidas de vigilância de ambientes para diagnóstico precoce de possíveis casos humanos.pt_BR
dc.publisher.departmentDepartamento de Medicina Veterináriapt_BR
dc.subject.cnpqMedicina Veterinária Preventivapt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/9465382681361226pt_BR
Appears in Collections:DMV - Ciências Veterinárias - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.