Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DZO - Departamento de Zootecnia >
DZO - Programa de Pós-graduação >
DZO - Zootecnia - Doutorado (Teses) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3987

Título: Crescimento e composição de carcaça e dos cortes comerciais de cordeiros submetidos á restrição alimentar antes ou após o nascimento
Título Alternativo: Growth, commercial cuts composition and carcass composition of lambs under prenatal and post-natal feed management
Autor(es): Carvalho, Paulo Afonso
Orientador: Pérez, Juan Ramón Olalquiaga
Membro da banca: Bressan, Maria Cristina
Santos, Cristiane Leal dos
Rodrigues, Paulo Borges
Muniz, Joel Augusto
Área de concentração: Nutrição de Ruminantes
Assunto: Ovino - Desempenho
Ovino - Crescimento
Ovino - Carcaça
Data de Defesa: 24-Fev-2005
Data de publicação: 24-Set-2014
Referência: CARVALHO, P. A. Crescimento e composição da carcaça e dos cortes comerciais de cordeiros submetidos a restrição alimentar antes ou após o nascimento. 2005. 198 p. Tese (Doutorado em Zootecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2005.
Resumo: O experimento foi conduzido no Setor de Ovinocultura do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras, Minas Gerais, com o objetivo de avaliar o crescimento, a composição dos cortes comerciais e a qualidade das carcaças produzidas por cordeiros Santa Inês, submetidos a diferentes manejos alimentares (alimentação à vontade, restrição alimentar pré-natal e restrição alimentar pós-natal) e abatidos em diferentes pesos. Foram utilizados 68 animais, machos inteiros, os quais foram divididos em três grupos: um grupo de cordeiros que não sofreu restrição alimentar (cordeiros controle), um grupo que sofreu restrição pré-natal e outro que sofreu restrição pós-natal. Foram abatidos, ao nascimento, quatro cordeiros sem restrição alimentar e quatro restritos no terço final da gestação, cujos dados foram usados como referência através da técnica de abate comparativo. Os abates subseqüentes contemplaram quatro cordeiros de cada tratamento aos 10, 15, 25, 35 e 45 kg. Foram testados os efeitos dos diferentes manejos alimentares, dos pesos de abate e da interação entre manejo alimentar e peso de abate sobre as características produtivas julgadas de interesse econômico. Quanto ao desempenho e características de carcaça, foi observado que a restrição alimentar influenciou (P<0,05) os consumos diário e total de sucedâneo, conversão do sucedâneo em peso vivo, consumos diário e total de concentrado, peso ao nascimento, peso de gorduras internas, rendimentos de carcaça quente e fria, rendimento biológico de carcaça, pesos de osso, de músculo e de gordura na carcaça fria, idade ao abate, ganho de peso vivo, ganho de peso de corpo vazio, ganhos de peso de carcaça quente e fria, ganhos de peso de osso, de músculo e de gordura na carcaça fria e ganho de músculo no ganho de peso vivo. Foi observado acréscimo linear (P<0,01) nos consumos diário e total de sucedâneo, consumos diário e total de concentrado, peso do conteúdo gastrintestinal, peso de corpo vazio, peso de componentes não carcaça, peso de gorduras internas, pesos e rendimentos de carcaça quente e fria, quebra ao resfriamento, rendimento biológico de carcaça, pesos de osso, de músculo e de gordura na carcaça fria, ganho de peso vivo, ganho de peso de corpo vazio, ganhos de peso de carcaça quente e fria, ganhos de peso de osso, de músculo e de gordura na carcaça fria e ganhos de peso de músculo e de gordura no ganho de peso vivo, conforme o aumento do peso ao abate. A conversão do concentrado em peso vivo e o índice de quebra ao resfriamento reduziram linearmente (P<0,01) com o aumento do peso ao abate. Com relação às características morfológicas foi observado que as restrições alimentares não influenciaram (P>0,05) a altura posterior, o comprimento corporal, o perímetro torácico, a compacidade corporal, a largura e o perímetro da garupa, a largura da perna, o comprimento e a compacidade da carcaça, assim como a largura, a profundidade e a área do músculo longissimus dorsi. No entanto, os cordeiros submetidos à restrição nutricional pós-natal apresentaram (P<0,05) maior altura do anterior, comprimento da perna e profundidade torácica, enquanto que os restritos no pré-natal apresentaram (P<0,05) maior espessura de gordura subcutânea que os demais. Todas as medidas morfológicas realizadas in vivo ou na carcaça foram aumentadas linearmente (P<0,01) conforme o peso de abate. Para todas as medidas de morfologia foram verificadas (P<0,01)correlações negativas com a porcentagem de osso e positivas com a porcentagem de gordura, entretanto não foram obtidas (P>0,05) correlações significativas com a porcentagem de músculo na carcaça. A avaliação da composição da perna demonstrou que a restrição alimentar influenciou (P<0,05) o peso e o rendimento de músculos da perna, peso e rendimento de gordura da perna, peso do somatório dos cinco músculos (bíceps femural + semitendinoso + semimembranoso + adutor + quadríceps femural) e os pesos individuais dos músculos semitendinoso e adutor. Foi observado um acréscimo linear (P<0,01) do peso da perna, peso de osso na perna, peso de músculo na perna, peso de gordura na perna, comprimento do fêmur; índice de muscularidade, rendimento de músculo na perna, rendimento de gordura na perna, peso do somatório dos músculos (bíceps femural + semitendinoso + semimembranoso + adutor + quadríceps femural) e do peso individual de cada um dos cinco músculos, conforme o aumento do peso ao abate. Os rendimentos de perna na carcaça fria e de osso na perna reduziram linearmente (P<0,01) com o aumento do peso ao abate. Quanto ao crescimento diferencial dos cortes da carcaça constatou-se um crescimento precoce (b<1) para o braço posterior, paleta e braço anterior. O carre apresentou crescimento isogônico (b=1), crescendo na mesma velocidade que a carcaça. Um crescimento tardio (b>1) foi verificado para o lombo e para o peito/fralda. A perna apresentou crescimento precoce (b<1) para os cordeiros com alimentação à vontade e crescimento isogônico (b=1) para os cordeiros com alimentação restrita no pré e pós-natal. O pescoço apresentou crescimento precoce para os cordeiros restritos no pré-natal e crescimento isogônico (b=1) para os alimentados à vontade e restritos no pós-natal. Quando foi analisado o crescimento diferencial dos diferentes tecidos nos cortes constatou-se crescimento precoce (b<1) para o tecido ósseo de todos os cortes e para o tecido muscular do peito/fralda. Um crescimento isogônico (b=1) foi verificado para os tecidos musculares da perna, lombo e carre dos cordeiros com alimentação à vontade, para o tecido muscular do lombo dos cordeiros restritos no pós-natal e para os tecidos musculares da paleta e do pescoço de todos os cordeiros. Um crescimento tardio (b>1) foi verificado para o tecido adiposo de todos os cortes e para os tecidos musculares do braço posterior e braço anterior, tecido muscular da perna e do carre dos cordeiros restritos no pré e pós-natal e tecido muscular do lombo dos cordeiros restritos no pré-natal. Analisando o crescimento diferencial dos tecidos em relação ao aumento de peso da carcaça fria constatouse um crescimento precoce (b<1) do tecido ósseo, em todos os manejos alimentares. O tecido muscular apresentou um crescimento isogônico (b=1) para os cordeiros com alimentação à vontade e crescimento tardio (b>1) para os cordeiros com alimentação restrita no pré e pós-natal. Um crescimento tardio (b>1) foi verificado para o tecido adiposo da carcaça em todos os manejos alimentares. Com o incremento do peso de carcaça fria ocorreu uma diminuição proporcional de osso e acréscimos proporcionais de músculo e gordura depositados na carcaça. Restrições alimentares durante o terço final de gestação podem comprometer o desenvolvimento muscular e acentuar o desenvolvimento de tecido adiposo na carcaça durante o crescimento pós-natal. O padrão de desenvolvimento observado infere que o abate de cordeiros Santa Inês, criados sob as condições deste estudo, contempla a melhor composição tecidual da carcaça quando realizado entre 25 e 35 kg.
This experiment was developed in the Sheep Production Sector of the Animal Science Department of the Universidade Federal de Lavras, Minas Gerais, to evaluate the growth, commercial cuts composition and carcass quality of Santa Inês lambs under different feed management and slaughtered at different weight. Were used 68 male lambs, not castred, divided into three groups: the first group were lambs without nutritional restriction (control lambs), the second group were lambs with prenatal nutritional restriction and third were with post-natal nutritional restriction lambs. The lambs in each group were slaughted at birth, 10, 15, 25, 35 and 45 kg. The effects of the different alimentary management, of the slaughter weights and of the interaction among alimentary management and slaughter weigh on the judged productive characteristics of economical interest were tested. With relationship to the performance and carcass characteristics was observed that there was feed management effect (P<0.05) on the daily and total milk replacer intake, milk replacer conversion ratio, daily and total concentrate intake, birth weight, internal fat weight, hot and cold carcass dressing percentage, biological carcass dressing percentage, bone, muscle and fat weight in the cold carcass, age slaughter, live weight gain, empty body weight gain, hot and cold carcass weight gain, bone, muscle and fat weight gain in the cold carcass and muscle gain in the live weight gain. The daily and total milk replacer intake, daily and total concentrate intake, content gastrointestinal weight, empty body weight, not carcass components weight, internal fat weight, hot and cold carcass weight and dressing percentage, cold loss, biological carcass dressing percentage, bone, muscle and fat weight in the cold carcass, hot and cold carcass weight gain, bone, muscle and fat weight gain in the cold carcass and muscle and fat gain in the live weight gain were increased linearly (P<0.01) with the slaughter weight increase. The concentrate conversion ratio and cold break yield decreased linearly (P<0.01) with the slaughter weight increase. With relationship to the morphologic characteristics was observed that not there was feed management effect (P<0.05) on the posterior height, body length, thorax perimeter, body compactness, croup width, croup perimeter, leg width, carcass length and carcass compactness, as well as width, depth and area of the longissimus dorsi muscle. However, the lambs submitted to the post-natal restriction presented (P<0.05) larger former height, leg length and thorax depth, while the prenatal restricted presented (P<0.05) larger subcutaneous fat thickness than the other. All the morphologic measures accomplished in vivo or in the carcass were increased linearly (P<0.01) according to the slaughter weight. For all morphology measures were verified (P<0.01) negative correlations with the bone percentage and positive with the fat percentage, however were not obtained (P>0.05) significant correlations with the carcass muscle percentage. The evaluation of the leg composition demonstrated that there was feed management effect (P<0.05) on the weight and percentage of muscle in the leg, weight and percentage of fat in the leg, total weight of the biceps femoris + semitendinosus + semimembranosus + adductor + quadriceps femoris muscles and individual weight of muscles semitendinosus and adductor. The leg weight, leg bone weight, leg muscle weight, leg fat weight, femur length, muscularity index, muscle percentage in the leg, fat percentage in the leg, sum weight of the biceps femoris + semitendinosus + semimembranosus + adductor + quadriceps femoris muscles and the individual weight of this five muscle increased linearly (P<0.01) with the increase of the slaughter weight. The leg percentage in relation to cold carcass and leg bone percentage in the leg decreased linearly (P<0.01) with the increase slaughter weight. With relationship to the alometric growth of the carcass cuts, one early growth was verified (b<1) for in hind arm, shoulder and fore arm. The rack presented an isogonic growth (b=1), growing in the same speed that the carcass. A late growth (b>1) it was verified for the loin and chest/flank. The leg presented early growth (b<1) for the ad libitum lambs and isogonic growth (b=1) for the prenatal and post-natal restricted lambs. The neck presented early growth (b<1) for the prenatal restricted lambs and isogonic growth (b=1) for ad libitum and post-natal restricted. When the alometric growth of the tissues was analyzed in the cuts, one early growth was verified (b<1) for the bone tissue of all the cuts and for the muscular tissue of the chest/flank. A isogonic growth (b=1) it was verified for the muscular tissues of leg, for the muscular tissues of loin and rack of the lambs with ad libitum feeding, for the muscular tissue of loin of the post-natal restricted lambs and for the muscular tissues of shoulder and neck. A late growth (b>1) it was verified for the fat tissue of all the cuts and for the muscular tissue of hind arm and fore arm, muscular tissue of leg and rack of the pre and postnatal restricted lambs and muscular tissues of loin of the prenatal restricted lambs. Analyzing the alometric growth of the tissues in relation to the increase of cold carcass weight, one early growth was verified (b<1) for bone tissue in all feed management. The muscular tissue presented an isogonic growth (b=1) for the ad libitum lambs and late growth (b>1) for the prenatal and post-natal restricted lambs. Late growth was verified (b<1) for fat tissue in all feed management. With the increment of the weight of cold carcass it happens a proportional decrease of bone and proportional increments of muscle and fat deposited in the carcass. Alimentary deficiencies in the gestation final they commit the muscular development and they accentuate the fat development in carcass during the postnatal growth. The development observed infers that the slaughter of Santa Inês lambs, maintained in the conditions of this study, it contemplates the best carcass tissue composition when accomplished between 25 and 35 kg.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3987
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DZO - Zootecnia - Doutorado (Teses)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
TESE_Crescimento e composição de carcaça e dos cortes comerciais de cordeiros submetidos á restrição alimentar antes ou após o nascimento.pdf1,37 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback