Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DAG - Departamento de Agricultura >
DAG - Programa de Pós-graduação >
DAG - Agronomia/Fitotecnia - Doutorado (Teses) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4138

Title: Resposta do feijoeiro (cv. BRS-MG Talismã) a doses de nitrogênio e fósforo
Other Titles: Common bean (cv. BRS-MG Talismã) response to nitrogen and phosphorus levels
???metadata.dc.creator???: Kikuti, Hamilton
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Andrade, Messias José Bastos de
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Carvalho, Janice Guedes de
???metadata.dc.contributor.referee1???: Rezende, Pedro Milanez de
Andrade, Wander Eustáquio de Bastos
Botrel, Élberis Pereira
???metadata.dc.description.concentration???: Fitotecnia
Keywords: Feijoeiro
Fósforo
Nitrogênio
Bean
Phosphorus
Nitrogen
???metadata.dc.date.submitted???: 27-Feb-2004
Issue Date: 29-Sep-2014
Citation: KIKUTI, H. Resposta do feijoeiro (cv. BRS-MG Talismã) a doses de nitrogênio e fósforo. 2004. 124 p. Tese (Doutorado em Agronomia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2004.
???metadata.dc.description.resumo???: A busca por produtividades cada vez maiores, tem levado os produtores mineiros de feijão à utilização de doses de fertilizantes superiores às recomendadas oficialmente, com potencial de risco ambiental e baixa eficiência econômica.O presente trabalho objetivou estudar o efeito de doses de N e P2O5 sobre o feijoeiro cv. BRS-MG Talismã. Foram conduzidos quatro experimentos de campo (inverno-primavera 2000, primavera-verão 2000/2001 e 2001/2002 e inverno-primavera 2002), em um Latossolo Vermelho distroférrico típico da área experimental do Departamento de Agricultura da Universidade Federal de Lavras (UFLA), em Lavras-MG, Brasil. Empregou-se o delineamento experimental de blocos casualizados com três repetições e esquema fatorial 4x4 envolvendo quatro doses de fósforo (0, 100, 200 e 300 kg.ha-1 de P2O5, fonte superfosfato triplo) e quatro doses de N (0, 70, 140 e 210 kg.ha-1 de N, fonte uréia, fracionando-se ½ na semeadura e ½ em cobertura no início da etapa V4 do ciclo do feijoeiro). Por ocasião do pleno florescimento, cinco plantas por parcela foram separadas em folhas + pecíolos, hastes + ramos e flores + vagens para a determinação dos teores de macro e micronutrientes. Aos 21 dias após semeadura foi determinado o estande inicial e na colheita, o estande final de plantas e o rendimento de grãos. Para apreciação econômica dos efeitos que se mostraram significativos, estimou-se o custo efetivo, a receita bruta e a margem bruta proporcionada em cada situação. O incremento das doses de N resultou em menor população de plantas e as doses de P2O5 atenuaram este efeito. O rendimento de grãos elevou-se de forma quadrática com o aumento da dose de N, atingindo pontos de máxima produtividade que variaram conforme a safra. A resposta do rendimento às doses de P2O5 foi linear ou quadrática e também variou de safra para safra. As doses recomendáveis de N e P2O5, calculadas de acordo com o critério de 90% da produtividade máxima, foram superiores às oficialmente recomendadas em Minas Gerais. A aplicação de N e P2O5, mesmo nas doses mais elevadas, não resultou em grandes alterações nos teores de nutrientes da parte aérea, os quais se mantiveram próximos às faixas consideradas adequadas. O incremento de N na adubação elevou significativamente os teores foliares de N, P, K, Mg, Cu, Zn e Mn, os teores de N, K, Mg e Cu nas hastes + ramos e os teores de N, K, B, Cu e Mn nas flores + vagens. Com a adição de doses de P2O5, elevaram-se significativamente os teores de B nas folhas + pecíolos e nas flores + vagens. Os teores de S e de K nas flores + vagens do feijoeiro decresceram significativamente com o incremento das doses de N e P2O5, respectivamente. Na maioria das situações analisadas, a margem bruta obtida com o feijão cresceu de forma quadrática com o incremento das doses de N ou P2O5. As doses de N ou P2O5 correspondentes aos pontos de máxima margem bruta superaram expressivamente as doses calculadas pelo critério de 90% do rendimento máximo. A inclusão de análise com preços diferenciados mostrou-se eficiente, já que a venda do produto pelo menor preço do período considerado resultou em margem bruta negativa, enquanto o maior preço do período resultou em margem bruta positiva.
Aiming to study the effect of N and P2O5 doses on common bean cv. BRS-MG Talismã, four field experiments were set (winter-spring 2000, spring-summer 2000/2001 and 2001/2002 and winter-spring 2002) in a typical dark red latossol at the experimental area of Departmento de Agricultura of Universidade Federal de Lavras (UFLA), Lavras-MG, Brasil. The experimental design was randomized blocks with three replications and 4x4 factorial scheme using four phosphorus doses (0, 100, 200 and 300 kg.ha -1 of P2O5, triple superphosphate source) and four doses of N (0, 70, 140 and 210 kg.ha -1 of N, urea source, split in two: the first ½ at sowing and the other ½ as side dressing at the beginning of the V4 stage of common bean cycle). By the time of the full flowering process, the sampled plants were separated in leaves and beanstalk for the macro and micronutrients content determination. At harvest, it was determined the beginning and the final standards and also the grains yield. For the economical studies of the effects that showed to be significative, the effective cost was estimated, the crude profit and the crude margin given in each situation. Enhanced N doses resulted in lowering the plants population and increasing P doses decrease N effect. The grain yield rose in the square way with the increasing of N dose, reaching peaks of maximum productivity that changed with the crop. The yield response to P2O5 was linear or quadratic and also changed from crop to crop. Those recommended N and P2O5 doses calculated based on the 90% maximum productivity were higher to those officially recommended for Minas Gerais. The N and P2O5 P2O5 applying even in higher doses did not result in higher changes among the nutrients levels from aerial parts and kept close to those said to be good bands. Increasing N in the fertilization rose a little the leaves levels of N, P, K, Mg, Cu, Zn and Mn, the branches levels of N, K, Mg and Cu and the levels of N, K, B, Cu and Mn in the flowers. With the increasing of P doses there were little elevation on B in tre leaves and in the flowers. The levels of S and of K and Zn in the common bean’s flowers decreased with the increasing of N and P2O5 doses, respectively. In most of the analysed situations, the crude margin gained with bean had rose in a square way when N or P2O5 doses were increased. These N and P2O5 doses related to points of maximum crude margin overcame those calculated doses by the 90% criteria of maximum yield. Putting analysis with differenciated prices showed to be efficient and realed that to sell the product by the lowest price of the season resulted in a negative crude margin, while, the highest season price always resulted in positive crude margin.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4138
Publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
???metadata.dc.language???: pt_BR
Appears in Collections:DAG - Agronomia/Fitotecnia - Doutorado (Teses)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
TESE_Resposta do feijoeiro (cv. BRS-MG Talismã) a doses de nitrogênio e fósforo.pdf1.32 MBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.


View Statistics

 


DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback